carpe diem

o meu professor de latim do liceu (o único padre que admirei na vida) escreveu uma vez carpe diem no quadro, em resposta a um aluno que dizia não ter preparado a lição por falta de tempo (na verdade só eu e a sofia é que as preparávamos quase sempre). depois desenhou um segmento de recta que representava o nosso dia e começou agitadamente a riscá-lo com traços em forma de relâmpago. perdeu-se a falar do tempo e de tudo o que podíamos fazer com ele de uma maneira que nunca lhe tinha visto nem voltei a ver.

quando a e. adormece a seguir ao almoço começa a minha roda-viva. naquela hora e meia de mil trabalhos mais ou menos insignificantes lembro-me muito dele.

Page 1 of 41234