curtas

bonecas

Todos os dias a caminho do (outro) trabalho passo pela montra em que moram estas bonecas. Podia dizer que as bonecas de porcelana me assustam (para onde olham quando está escuro?) mas esta (a grande, que tem – quase que aposto – cabelo de menina de verdade) não me mete medo. Acho-a tão bonita. Não creio , no entanto, que alguma vez entrarei no antiquário onde mora porque me repugnam os antiquários que ostentam memorabilia do estado novo como se não fosse nada de mais.

Skin Deep: Ontem a seguir a pôr a E. (que faz hoje um ano e meio!) a dormir a sesta apanhei no segundo canal parte de um documentário – inserido na série de documentários de refugo que têm vindo a passar – que me prendeu a atenção: uma mulher da geração da minha mãe passava cinco dias na rua disfarçada de sem-abrigo (sem dinheiro, sem comida, sem uma muda de roupa interior). Lembrei-me logo do Les glaneurs et la glaneuse, que vi há três anos, mas aqui havia uma pontinha de demagogia, não sei bem. Consegui fixar o nome da senhora, que afinal não era nem mais nem menos do que a fundadora da Body Shop.

4 comments » Write a comment

  1. Quando vi a fotografia pensava tratar-se de bonecas que estão no Hospital das Bonecas, ali na Praça da Figueira. Conheces? Um dia destes tenho de ir visita-lo, páro sempre em frente à montra quando ando por esses lados.

  2. ainda acerca do documentário, vi um outro em que a annie qualquer coisa (da body shop, essa mesma) se fazia passar por gorda, magistralmente disfarçada de modo a pesar 130 kg. supostamente, tentava descobrir quais os maiores problemas que enfrentam as pessoas gordas. apesar de ser um bocado forçado (demagógico, concordo) demonstrou claramente que ser gordo, activa uma série de ideias nos outros: comilão, pouco activo, desinteressante, etc. o mais engraçado foi quando ela foi a um blind-date (todos a evitavam, mas quando ela revelou a sua identidade e falsa obesidade, passou a ser a pessoa mais interessante do encontro)

    um abraço cá de longe (estou de volta às serranias)

    e muitos parabéns pelo ano e meio da tua menina. isabel

  3. Será mesmo de verdade o cabelo?

    Há muitas estátuas sacras em Minas Gerais que possuem cabelos de verdade. Ao saber disso durante uma visita, me afligi mais ainda ao olhar para elas…

  4. Também vi esse programa. Não fazia ideia de quem era a senhora. Já tinha visto também parte de um outro decomentário com ela, em que foi maquilhada e vestida de “velha” para compreender como é a vida, os movimento, a visão, etc de uma pessoa de idade.