a lã é grande

041210.jpg
Fiquei contente com o artigo do Carlos Quevedo publicado no DNa (Diário de Notícias) de hoje. A conversa da qual o texto nasceu tinha sido muito agradável e, depois de saber que era o Carlos o responsável pelas traduções selvagens da saudosa revista K, tive a certeza de que nada de mau poderia sair dali. Aproveito só para fazer uma pequena errata: Primeiro, não sou nem nunca fui professora de História Medieval, por muito que isso estivesse nos meus planos de quando entrei para a faculdade. Latinista, ainda menos, apesar de continuar a saber bem pelo menos as primeiras três declinações. E finalmente, na minha cabeça, tricot e Idade Média têm tudo a ver um com a outra.
Artigos à parte, tenho um problema prático para resolver. Ao contrário do que esperava, a gerente do Cem Medos, onde se realizou o encontro de Novembro, foi extremamente antipática comigo (para não dizer mal-agradecida) quando lhe propus fazermos também lá o encontro da próxima segunda-feira (apesar de ter, como sempre àquela hora e a todas as outras, o café totalmente vazio, reclamou que poucas das tricotdeiras tinham consumido e ameaçou que mais encontros só com consumo mínimo de Ä5 por pessoa! Se fosse de resposta mais rápida ter-lhe-ia dito que poucas sempre são mais que nenhuma, mas só me ocorreu depois e saí de lá com um ar desolado). Agora tenho de encontrar rapidamente um espaço no Bairro Alto ou arredores que possa receber cerca de 20 pessoas daqui a três dias…

10 comments » Write a comment

  1. Este artigo foi uma surpresa, também gostaria de participar no encontro das tricoteiras!

  2. Adorei ler tb. E ainda por cima fui apanhada de surpresa. Eu bem digo que isso vai virar um império…..Beijinhos.

  3. Rosa, Em primeiro lugar quero-lhe dizer que sou sua fã! Adoro tu o que faz. Desde que encontrei o seu blog, há cerca de três dias, que o estou a percorrer linha a linha e ainda não acabei. Tenho uma especial paixão pelos seus bonequinhos e acho lindo o amor que demonstra por cada obra sua. Sou jornalista, mas sempre gostei de artesanato, embora confesse não ter nem metade do jeito da Rosa. Costumo fazer ponto cruz e tricot, mas nesta última arte ainda tenho muito que aprender. Juntei-me ao grupo das tricotadeiras, mas infelizmente não vai dar para ir a Lisboa. São todas da cidade? Eu moro em Fontanelas/Sintra. Se achar bem, considere também este como mais um dos locais onde nos poderemos encontrar. Tenho três blogs activos: um acerca da actualidade: jornablogar (http://jornablogar.weblog.com.pt; um sobre fotografia: O Mundo Aos Meus Olhos (http://spadraofoto.blogspot.com/; e um sobre os meus tricots e afins (http://lipgloss.weblog.com.pt… Visite-me! Beijinhos

  4. Rosa,
    Fiquei muito mal impressionada com a história da gerente do Cem Medos! Que vergonha! Ainda bem que tornaste essa situação pública. Pode ser que lhe chegue aos ouvidos e se envergonhe da atitude que teve. Espero que consigas encontrar um sítio bem mais giro e simpático para o próximo meetup. A reportagem com o Jérôme (pianista com o piano de cauda vermelho no Padrão dos Descobrimentos) vai ser emitida na próxima sexta-feira mas depois confirmo para tentares ver. Correu muito bem e adorei a Ruth. Já sabes: mais ideias giras e contactos, manda vir!
    Beijos para ti e para a E.

  5. A reportagem está muito engraçada.
    Sabias que o autor é marido da bloguista que se assina Bomba Inteligente?

  6. The photos look qute, pity I can’t read the article. Just joined a S’nB knitting group in Amsterdam, I think it’s the only group active.
    re Felt Square, I can’t wait to see E’s!

  7. Achei bem gira a peça no DNA. Vocês são uma autêntica ‘movida’! E achei um charme alguém ser apelidada de “latinista”, ó Rosa, deixa seguir, que te fica bem o título. E a História Medieval também tem assim uma aura…diferente. E todos diferentes, todos diferentes também pode ser uma coisa boa.
    Que antipatia a do outro café. E que tontice comercial. Ainda bem que já há outro sítio. Siga o tricô.

  8. a cindy emilia e o ursinho da rosa têm feito um sucesso plo reino dos algarves, que logo de manhã recebi um telefonema e outro à tarde a avisar-me que o DN tinha um artigo sobre a minha amiga rosa ; ) e o seu grupo de tricotadeiras.
    muitos parabéns.