contagem decrescente

rosa, hilda e walter

Amanhã por esta hora não vou estar aqui, em frente ao computador. Vou estar na Baby Feira Mix, atrás da minha mesa cheia de coisas. Já lá fui deixar algum material e, se tudo correr bem, vou ficar no segundo andar ao lado da Hilda (autora da moldura) e do Walter (que fez este passarinho). Hoje ainda tenho de conseguir pensar em tudo o que me vai fazer falta (tesoura, fita-cola, martelo e pregos), ir aos correios enviar mais umas encomendas de postais e acabar mais algumas coisas.

Quanto ao encontro de tricot de sábado de manhã, tenho uma proposta a fazer aos interessados: participar neste projecto – basta tricotar um quadradinho de 10,2 cm, com a lã, as agulhas e o ponto que se quiser.

tchque tchque tchque

sapatinhos

Nos correios, na papelaria e em alguns olhares curiosos continuo a sentir o efeito da reportagem. Não resisto a transcrever parte do email que recebi da M. esta manhã:

A minha avó mora na Figueira da Foz e telefonou a dizer que vê imensa gente a tricotar nas esplanadas, que agora é moda. Foi até buscar as velhas agulhas para, muitos anos depois de aquecer os invernos dos netos com camisolas, botinhas e cachecóis, fazer umas coisinhas para o bisneto.

Não vi essa reportagem de que falas, mas ela deve ter visto, que agora não fala de outra coisa.

A Ana – única autora de um weblog que espero que um dia escreva também um livro (não confundir com a publicação em livro do que se publicou num weblog que isso, para mim, é uma coisa absurda, assim como ir agora editar o Lobo Antunes em pergaminho manuscrito…) – escreve sobre tricot e eu penso que desta moda sairá se tivermos sorte a distribuição em Portugal de publicações de jeito dedicadas ao assunto e o alerta para quem cá produz lãs especiais (as minhas favoritas são as de Mértola) de que há mercado e procura para esses produtos.

Na Baby Feira Mix também vai haver espaço para tricotar.

E ainda:

Seth Scriver: animações e outras coisas fora do vulgar, incluindo bonecos feitos de peúgas, como este.

#99

soft doll

Quase quase a chegar aos 100, este nasceu de um tecido acabado de chegar de Moçambique pela mão da minha querida L. Quem sabe se amanhã já vai dormir junto ao seu novo dono.

(Thank you Jenny!)

tele-tricot

tricot

Acho que a Andreia Vale, a jornalista da SIC que fez uma reportagem sobre o nosso último encontro de tricotadeiras está de parabéns. Gostava de ver e ouvir as reacções de quem foi surpreendido por aquelas imagens de um monte de gente a fazer tricot. Será que viram um clube de excêntricas, um ajuntamento de donas de casa ou um grupo de pessoas divertidas a fazer algo de que gostam?

Read more →

baby feira mix

baby feira mix

Falta pouco mais de uma semana para a Baby Feira Mix e ainda não me enviaram o programa completo para o poder divulgar. O cartaz está finalmente pronto e o anúncio já tem passado na televisão (pouco explicativo para quem não saiba do que se trata, parece-me). Para já só posso falar por mim: vou lá estar três dias inteirinhos (Sexta, Sábado e Domingo, das 10.00h às 21.00h), o que vai implicar muita ginástica de horários também para o resto da família (vou fazer imenso tricot). Levo tudo o que conseguir ter pronto até à data: bonecos, postais, crachás e imans, cobertores, gorros de tricot e sapatinhos. Do resto da feira, sei só que vai haver um leque variado de actividades para bebés e crianças e algumas conversas sobre temas que interessam a quem tem filhos espalhadas ao longo dos três dias. Mal posso esperar!

#97

boneca mamã

Mais uma boneca mamã, desta feita uma ruiva.

1001 links sobre tricot, descobertos enquanto trocava ideias com a Andreia (notícias da reportagem em breve):

KnitKnit: Revista fora de série sobre tricot (mais sobre o que se pode fazer com tricot). Entre outras coisas a não perder estão estes conceptual cosies (que me lebraram logo os tree cosies da Freddie Robbins) e um artigo sobre os já célebres sacos de sacos.

microRevolt: É bem capaz de ser o mais bonito dos sites sobre o assunto e inclui links, iniciativas e uma secção de how to knit.

Kathryn Ruppert-Dazai: mais uma artista têxtil para a minha colecção de favoritas.

…e ainda, depois de Lisboa e do Porto/Braga, as tricotadeiras de Madrid ressuscitam, graças aos esforços da Marta.