quase 23 meses

Boa parte das minhas manhãs são passadas entre a mesa do computador e a das agulhas, com a E. a brincar no espaço que fica entre uma e a outra (e frequentemente também em cima e por baixo de uma e da outra). O ideal seria conseguir teclar com uma mão, coser com a outra, desenhar (um cão, um gato, um passarinho, uma minhoca e uma banana, por esta ordem e muitas vezes) para a E. com um dos pés e ficar com o outro livre para as emergências e reflexos rápidos que com um toddler por perto são uma constante. Como tenho de me limitar a fazer uma ou no máximo duas destas coisas de cada vez (e sem o auxílio dos pés) acabo por recorrer bastantes vezes a entreter a E. com o que me ocupa nesse momento, explicando-lhe o que estou a fazer e, quando a paciência é muita, convidando-a a fazer as coisas comigo (pôr o recheio nos bonecos, por exemplo, é uma das actividades predilectas). Esta manhã, ao falar mais para mim do que com ela sobre como não sabia por onde andava uma certa lata que queria encontrar, igual à que tinha nesse momento nas mãos, ela surpreendeu-me com um decidido iôta iata cá qui e puxou-me, corredor fora, até apontar orgulhosa para a dita outra lata, na qual nunca tinha mexido e de cuja existência não me passaria pela cabeça que soubesse. Parece que de um dia para o outro o meu bebé se transformou numa pessoa.

10 comments » Write a comment

  1. é das coisas mais enternecedoras.. ver uma criança a crescer e a formar a personalidade.

    é bom acompanhar por aqui o crescimento da tua filhota. e poder sorrir com as situações que vais contando.

    um grande beijo para as duas

    :)

  2. :o)

    A cada vez que descreves o crescimento da tua filhota, ponho-me a imaginar como será o meu piolho, vê-lo crescer, amá-lo simplesmente…

    Um beijo e parabéns…por tudo!

    Inês

  3. já leio a ervilha cor de rosa há uns tempos, mas nunca tinha comentado. gosto muito. e queria agradecer-te, porque por tua causa, pedi umas demonstrações a uma amiga, outras à minha mãe, ontem comprei agulhas e lã, e acabei agora o primeiro novelo do meu primeiro cachecol. Agora tenho que esperar que a minha mãe volte a casa para me ensinar a mudar para um novelo novo (enfim…), mas no fim de semana já deve estar acabado.

  4. El domingo 23 Jan cumple dos años.

    Cuando regresé del hospital, aún estaba muy triste, y un día Jan vio como me echaba a llorar. Vino corriendo y me abrazó y me besó hasta que se me pasó la llorera. :)

    …ya no son unos bebés!