crafty chicas rule

make love not war

Comprámos a espiga nos Restauradores e chegámos à Rua da Conceição sem papoilas. A E. adorou a passear de ramo na mão e dá-lo a cheirar a toda a gente e eu gostei de ficar a ouvir as histórias das senhoras mais velhas sobre o que significa cada uma das plantas representadas. Ainda hei-de experimentar fazer pão no dia da espiga e guardar um bocadinho de massa para fazer o do ano seguinte, como também é tradição nalguns lugares. Pelo caminho apanhámos uma agenda cultural de Maio.

7 comments » Write a comment

  1. Olá Rosa,

    outra descrição daquelas dum bodadinho lindo da tua vida, contado duma maneira que parece que estivemos presentes.

    Fiquei muito contente de ver ali uma publicação sobre as mãos de fada que tanto gosto.

    Tenho que ir comprar a agenda de Maio.

    Sandra

  2. por acaso vi ontem no “elas em marte” o “anúncio” à agenda cultural de lisboa…:) parece-me bastante parecida à do porto…é so muito difícil escolher ao que ir…são imensos eventos :)

  3. Não conheço essa tradição do dia da espiga? De que se trata? Fiquei curiosa, com aquilo de fazer pão e guardar para o ano seguinte…