dois anos e três meses

tintas

Quando começou a sentar-se arranjámos uns daqueles puzzles (não estes mas uns semelhantes com números e animais) da Imaginarium para tornar o chão em que ela brincava menos duro. Funcionou até ela descobrir que as peças mais pequeninas eram óptimas para morder. Há uns dois meses voltei a tirá-los do armário e o sucesso foi imediato. Em dois dias aprendeu a reconhecer os números pelo nome e pela forma e desde aí passou a vê-los em toda a parte. O relógio do micro-ondas tornou-se a atracção principal de toda a casa e na rua chama-nos constantemente a atenção para os letreiros e sinais de trânsito. Entretanto aprendeu também meia dúzia de letras – o A, o B, o C, o E e o O – e encontra-as em todos os livros, embalagens, etc. Por muito que não queira que ela aprenda este género de coisas antes do tempo (até porque depois apanha uma seca na escola, sei-o por experiência própria), é uma emoção ver os seus primeiros passos no caminho da literacia.

10 comments » Write a comment

  1. But her experiences with “premature” reading may turn out better than yours? Then again, it’s not reading right now. It’s the joy at recognition of something so far only the grown ups have known about. She’s growing. :-)

  2. Da minha experiência enquanto mãe, se ela quiser aprender, e perguntar, deve-se responder e ensinar. Quando etrar para a escola, haverá tanta novidade que o facto de já saber ler ou de já conhecer as letras não a vai frustrar. a minha filha mais velha já lia e escrevia perfeitamente, apesar de eu não a ter incentivado a aprender, precisamente por ter tido uma má experiência. Acho que, hoje em dia, os professores estão mais atentos a essas questões.

  3. Rosa,

    Jan está exactamente en el mismo punto. Ve los números por todas partes, y la tele se ha convertido en un juguete en el que lo divertido es cambiar de canal para ver su número en pantalla.

    Las letras las ve por todas partes, y cuando empezó a preguntar por los nombres de la letras que aún no sabe, yo me quedé alucinada. Aunque yo tampoco quiero que aprenda antes de hora, creo que es mucho más divertido para él aprender así que por obligación. :)

  4. It’s fun to see them learn and apply :)

    The first 2 years were amazing but now I can see F. change from week to week. Learning so much and so happy to learn. E. is very smart and cute!

  5. por aqui ainda nao ha numeros e letras… o L. tb tem 2 anos e 5 meses, mas como tentamos ensinar duas linguas vem tudo mais tarde. por isso cada palavrinha nova e uma emocao…

  6. Como foi emocionante o passar do tempo naqueles minutos em que esperei com a rapariga o mudar dos números do relógio do micro-ondas.

    Agora o meu número preferido é o “inco” ; )

    beijitos para a contadora!

    ainda lhe devo uma ida à rua!

  7. Rosa,

    “antes do tempo” não existe, se são eles que querem aprender. eles é que sabem. e pelo que tenho visto nos meus e em outros miúdos, cada um tem o seu tempo – que é, todavia, seguramente sempre antes dos seis anos “oficiais” da primeira classe. mais uma coisa que critico no método dos waldorfs, que se recusam a ensinar letras e números antes dos 7 anos, porque dizem que os miúdos até lá devem viver num mundo imaginário e de fantasia… pois pois, como se a fantasia e a imaginação só tivessem que ver com fadinhas e florzinhas e a mãe natureza…

    beijos(temos saudades! venham visitar-nos!)

  8. que giro mesmo!

    eu tb desencantei esse puzzle depois de muitos meses escondido… mas como já foi há meio ano, o espanto foi para os encaixes e construções que podia fazer… :)