casa das cortiças

mr. cork

A Casa das Cortiças deve fechar portas em breve. Os livros de faça você mesmo e actividades crafty dos anos 70 estavam cheios de projectos para fazer com cortiça (bases para tachos, brinquedos, etc.), mas parece ser um material em que ninguém se tem lembrado de voltar a pegar (ao contrário do que acontece no Japão). Quando acontecer, espero que seja a tempo de dar uso às milhentas rolhas e rolhinhas que moram na Rua da Escola Politécnica. A gerência agradece.

Read more →

voyager

051027_voyager.jpg

Um dos meus bonecos anda desde Julho a bordo de um atrelado de camião muito especial, a Voyager (o site só tem dados relativos à edição de 2003). Partiu directamente para Estrasburgo, seguiu para Praga e agora, até dia 30 de Outubro, está no Largo do Município, no Funchal. Só tenho pena de não ter chegado a vê-lo a bordo. Será que ainda vem a Lisboa?

PS: Neves, mais uma vez obrigada pelo tecido…

Read more →

traductor traditor

pé camuflado

Vinha recentemente noticiada no Público a publicação pela APDSi um glossário que fornece definições e propostas de tradução para uma abrangente lista de termos respeitantes ao universo da informática e da internet (aliás, da Sociedade da Informação). Se o combate à info-exclusão é um objectivo nobre, há determinadas traduções que me parece inútil sequer propor, sobretudo numa altura em que os termos na língua original já entraram irreversivelmente no vocabulário das pessoas que contactam com eles diariamente. É tudo uma questão de energia: dá muito mais trabalho dizer mensagem de correio electrónico do que dizer email. Mensagem de correio electrónico parece uma palavra (o problema é que nem sequer é uma palavra, são quatro) de info-excluídos. Os franceses conseguiram resolver o problema abreviando: courriel é quase tão fácil de dizer como email e eu, por cá, julgo que faz mais sentido dar às pessoas uma boa definição de email do que ensinar aos que não sabem uma palavra (não, 4 palavras) que só eles é que vão usar. Dizer email, para não sair do universo estritamente feminino em que sou quase sempre catalogada, é como dizer em Português as palavras francesas soutien ou cachecol. Peça de roupa que oculta o efeito da gravidade sobre o peito e cobertor para o pescoço também não colaram. É natural.

Read more →

babete xl

babete da elvira

Há exactamente um ano fiz o primeiro babete (foi a Miriam que mo lembrou). Foi um projecto divertido, por causa das nódoas pintadas e das letras que bordei à mão. Nessa altura também fiz vários pares de sapatinhos de bebé todos diferentes uns dos outros e outras coisas que ainda não tive tempo de retomar. Todos os que nasceram entretanto eram para bebés pequeninos, mas agora tenho finalmente pronta uma colecção (são só 9) de babetes para toddlers, impermeáveis e segura-migalhas, feitos com a chita de que mais gosto. Este ficou para a E.

Muito obrigada por todos os emails e comentários de parabéns!

Read more →

Page 1 of 3123