escolarização

no castelo

Passou um mês desde o primeiro dia mas à escala dela deve parecer muito mais tempo. Mesmo na nossa, de pais recentes, estas poucas semanas parecem ter mais novidades do que dias. As mudanças mais profundas (no olhar, no tom de voz) não se pode ter a certeza de serem provocadas pela escola ou pela simples passagem de um mês inteirinho, mas todos os dias traz novidades para casa, sejam o diminutivês que agora lhe dá para falar (chuchinha, roupinha, …), os disparates que aprendeu a fazer à mesa, as inúmeras novas cantigas (que acarretam quase sempre a desilusão de não as sabermos cantar também – essa eterna sina dos pais) ou a capacidade de verbalizar de forma muito mais inteligível o que lhe apetece (proporcionadora de tiradas como mamã, aquele senhor tem um bebé na barriga).

10 comments » Write a comment

  1. i am so glad that E likes school… the small transition period that is tough is over maybe? she is such a doll. xo, mav

  2. :) first time I heard F. sing a song I didn’t know I was so surprised. Then he taught me the song. Or when the teacher tells me what he’s been doing that morning. My little man in that world that is completely his, so small and so big.

    Changes are happening fast!!!!

  3. Deduzo que já não haja lágrimas na despedida. Ou há?

    :)

    Esse drama das cantigas que não sabemos cantar também o sofro. Já cheguei a perguntar na escolinha como se cantavam algumas coisas. Que vergonha!

  4. n has also started preschool this year – for 3 yr olds. it is so hard to see them go isn’t it, and many a struggle we’ve had to go at first. but i think now too he is getting used to it and in fact likes it and sings new songs too. so bittersweet this time.

  5. Querida rosa obrigado por todos os dias nos dares cor e imaginação… hoje encontrei um argumento para te escrever. Existe um livro que se chama “Cancioneiro Infantil”. A autora é a Rita Ana Domingos e a editora é a Casa das Letras/Editorial Notícias. Podes encontra-lo na FNAC. É uma verdadeira viagem à nossa infância e assim já podes cantarolar com a tua E.

  6. As fotos da E fizeram-me recuar uns 20 anos atrás quando F era da idade dela. Eu começava a ir ao café, à noite, e ele acompanhava-me e eu dizia aos meus amigos que ele era o meu irmãozinho. Era um menino muito fofo assim como a E parece ser. Ela é muito parecida com o pai, a mesma expressão!

    Eu sou a Ana, mãe da Carolina e da Leonor. E passei a ser mais uma admiradora do teu talento.

    Beijinhos para vocês