#436

436

Esta semana tenho estado mais tempo na loja. Passados dois meses desde que abrimos portas, já me habituei a ter aquele espaço como ponto de encontro, de coser à vista de olhos curiosos e de receber visitas inesperadas. Vai fazer-me falta, de certeza.

Com a E. tenho tido conversas sobre o Natal. Que responsabilidade a de decidir o que contar, como contar, e que sensação a de ver os olhos arregalados enquanto me ouvia dizer que o Pai Natal vem de trenó, a voar, distribuir prendas a todos os meninos bem comportados (num mundo tão PC não devo ser a única mãe a ter hesitado uns segundos antes de avançar definitivamente com tal patranha).

9 comments » Write a comment

  1. Linda esta versão do doll. Realmente é difícil nos dias de hoje falar p/ as crianças da magia do papai-noel. Quando os meus (tenho uma moça com 18 anos,um rapaz com 19 e outro com 16) eram pequeninos

    acreditavam que o papai-noel existia, dai qnd. cresceram mais, encararam a triste realidade da ficção, com grande desapontamento. Lembro-me que comigo foi assim também, e creio que com tantas outras crianças. Mesmo assim, é lindo a magia da inocência.

  2. ui, também eu já passei por essa de ter de decidir o que contar do Natal. ainda por cima, quando eu era pequena, ainda não era muito comum falar no pai natal, era mais o menino jesus. de maneira que juntei as duas histórias – o menino jesus ajuda o pai natal, dizendo que prendas dar a cada menino, e o pai natal desce pela chaminé, deixando o trenó a flutuar no céu, a entregar as prendas. não disse que eram só para meninos bem comportados. ah, e deixamos sempre dois biscoitos que fazemos na tarde de dia 24 em cima do fogão – um para o pai natal e outro para ele levar ao menino jesus.

    é tão bom eles ainda acreditarem piamente nisto!!!!!!!

  3. Ser criança e não acreditar no Pai Natal é não ser uma criança! É sem dúvida uma das fantasias mais maravilhosas. O desapontamento de descobrir que o Pai Natal não existe…Ainda me lembro!Mas foi bom enquanto durou e ainda bem que existiu! Por tudo isso adoro o Natal: o reunir de todos aqueles que amamos e a própria fantasia mágica que o acompanha.

    … Mas inda acredito em fadas!:)

  4. Para as pessoas católicas é fácil falar e ensinar o Natal às suas crianças. O importante é mesmo a magia desta época qualquer que seja o personagem mais importante: Pai Natal, menino Jesus…

    As crianças precisam desta magia para crescerem bem. Posso-lhe dizer que em 20 anos de trabalho com crianças, aquelas que não acreditavam em nada porque tinha sido essa a opção dos pais eram crianças com graves problemas de comportamento e socialização.

    É tão bom sonhar.

    Queria também dizer-lhe que gosto imenso do seu trabalho e especialmente do seu blog que visito diariamente.

    Votos de feliz Natal

  5. O teu post fez-me lembrar uma conversa que tive há dias com a minha priminha Mónica: estava triste porque a Mafalda, a sua mana mais velha, lhe tinha dito que o Pai Natal não existe!

    Espliquei-lhe que o caso é como o das fadas: só existe para quem acredita! Acresceitei: eu acredito, Mónica, e já sou grande. Fez um grande sorriso e respondeu: e eu também acredito. Conclui a conversa dizendo-lhe: sabes, temos sorte, porque o Pai Natal dá mais prendas a quem acredita nele…

  6. A Elvira tem muita sorte… tu és uma espécie de mãe-natal: por certo com um saco, enorme, mágico, de onde vão saindo coisas muito especiais durante todo o ano.

    A loja… tenho a certeza que esta é só a primeira daquelas que vêm já a seguir :)