exigir ou deixar passar

1. A E. vê com alguma frequência os desenhos animados do fim da tarde no segundo canal. É a única altura em que a televisão está ligada antes de ela se deitar e, depois de conhecer a programação, já aproveitei várias vezes esse bocadinho para fazer o jantar. Há cerca de duas semanas liguei a televisão à hora certa e apanhei a publicidade antes de os desenhos animados começarem (imagino que muitas outras crianças já estejam à espera àquela hora e nem todas com o pai ou a mãe ao lado): entre os anúncios, dois a séries impróprias para pequeninos (uma delas de terror). Cheguei mais ou menos a tempo ao comando e nesse dia aproveitei para verificar que no intervalo imediatamente a seguir ao espaço infantil a cena se repetia (tiros, sangue, gritos e gente com ar apavorado). Enviei à 2: um email, perguntando se não seria possível evitar este tipo de conteúdos nos dois espaços publicitários colados ao Zig-zag. Ainda não tive resposta nem pude conferir eventuais resultados do meu pedido.


2. Levados pelo bom tempo e pela esplanada, resolvemos há dias almoçar num restaurante indiano-italiano (estranha mistura) em pleno Largo do Carmo. Sentámo-nos na única mesa vaga e durante todo o tempo em que lá estivemos todas as outras estiveram cheias (só) de turistas (mau sinal). Não sou especialista em restaurantes indianos mas já fiz um curso de cozinha indiana, sei nomear umas três variedades de dahl e conheço os condimentos mais frequentes pelo menos de asafoetida a tamarindo, para além de ao longo dos anos ter experimentado inúmeros destes restaurantes, incluindo a saudosa (e menos insalubre do que se poderia supor) esplanada da cave do Centro Comercial da Mouraria, que frequentei durante anos. O Indian Palace (assim se chama o restaurante do Largo do Carmo, que tem website – restauranteindianpalace ponto com – e sucursais noutras cidades) é, tanto quanto eu e o F. pudemos provar, o pior indiano do meu currículo, e não foi pela fraca qualidade da comida que ganhou este estatuto: no meu mango lassi vinha de brinde uma asa de mosca, a flutuar no meio do copo. Ao pedir ao empregado que o substituisse, desapareceu com ele sem uma palavra (quanto mais um merecido pedido de desculpas) para regressar quinze minutos depois com outro lassi (mais uma vez sem uma palavra). Só que o outro tinha a mesma asa de mosca puxada para a beira do copo. Para cúmulo quiseram cobrá-lo no fim, quando evidentemente foi devolvido com uma cara feia. E o pior foi nós não termos pedido o livro de reclamações. Prometi a mim mesma que foi a última vez. A ideia de fazer parte da estatística que diz que os portugueses são os consumidores menos exigentes desagrada-me sobremaneira.

PS: Depois de escrever este post e de ficar com a consciência ainda mais pesada por não ter feito nada na altura fui ao site do IGAE e apresentei uma reclamação por escrito.

17 comments » Write a comment

  1. Para mim e por todos os que vierem a seguir, exigir sim e deixar passar não.

    Apesar da chatice que é, vale a pena reclamar…com bom tom e paciência, para que se melhore e quem venha a seguir receba melhor tratamento.

  2. A estranha mistura dos italianos e indianos, que se repete em vários outros restaurantes, deve-se ao forno que é usado simultaneamente para o tandoori e para as pizzas. Também estou de acordo que esse é o pior, e que o mais ‘verdadeiro’ é o Gandhi Palace. Dos goeses, o http://tentacoesdegoa.restaunet.pt/

    E também eu me recuso a não exercer o meu papel de consumidora exigente; qualquer passagem pelos EUA mostra o conceito de Customer Service que cá lamentavelmente ainda não chegou.

  3. Quanto ao primeiro ponto, é prática corrente (ou aberração corrente) isso acontecer na SIC. Acho um absurdo tão grande!!! Nunca me tinha apercebido que também acontecia na 2:!!!! Rosa, vou fazer o mesmo e enviar um email à 2: e proponho que outros pais façam o mesmo, seremos muitos e talves consigamos mudar alguma coisa. Temos que ser nós a exigir que este estilo de coisas desapareça.

    Quanto ao segundo ponto… enfim comemos e calamos… e é realmente triste que assim seja.

  4. Comer e calar, no máximo criticar depois e nos sítios impróprios é típicamente português! Essa é, pno meu entender, a causa da cauda. Eu deixei de calar, só que cansa ser única, ter o rótulo de refilona.

  5. Quanto ao 1., as minhas sobrinhas também só assistem ao Zig Zag ou então vêm dvds, de qualquer forma, não acho assim tão ‘pedagógico’ estarmos sempre em cima a tentar explicar, ludibriar, controlar ou esconder.

    Acompanhar nunca foi, para mim, sinónimo de agrilhoar alguém (criança ou não) a uma determinada realidade que achamos ser A perfeita.

    Quanto ao 2., para além de cada vez mais preferir comer em casa, acho que a má educação não é uma questão de inteligência, mas antes de sensibilidade e se não é inato, é ainda mais irreversível que a má educação.

    Não te chateies com isso. Há coisas que não valem a pena.

  6. Querida Rosa

    Descobri,por acaso,que há gente que não desiste de ser melhor e fazer os outros melhores. A Rosa é assim.

    Ainda bem.

    Marga

  7. tens toda a razão em ambos pontos. a publicidade a filmes violentos e de terror e a programas com conteúdos e imagens inadequadas passa a qualquer hora. não percebo…

    em relação á esplanada em questão, confirmo: não tive a experiência da asa de mosca mas a qualidade da ementa, da comida e do serviço é deplorável. não é fácil encontrar esplanadas em lisboa onde se coma bem, adoro esplanadas e têm para mim a vantagem de poder levar o dodo. última descoberta fantástica: a esplanada do teatro nacional de são carlos!

  8. Quanto à programação da 2, apesar de a F (quase 3 anos) não ver quase nunca (desorganização de fim de tarde, “olha já acabou”) e apesar de reconhecer um papel pedagógico ao medo e às personagens maléficas, não é disso que se trata na publicidade descrita pela Rosa.

    Quanto a restaurantes indianos recomento o recém lançado Royal Tandoori do Muhjib que cozinhava no luxuoso Kashimir (por trás do Centro Roma) e que se estava literalmente a perder no tandoori. Para mim, destronou o delicioso restaurante da Rua do Sol ao Rato (Natraj) e está mesmo a precisar de uma mãozinha para se lançar. Delicioso e muito económico! R. do Poço dos Negros, nº 64, aberto todos os dias até às 23h.

  9. Apesar de tudo, quem não reclama é mesmo tolo- todos nós!!!…e pior, queixarmo-nos do que se passa e sem nada termos feito.

    Ao menos reclamaste o não pagamento do Lassi-asa-de-mosca, fizeste tu bem!

    Mas também a verdade seja dita, esse tal Italo/Indiano sempre foi um dos restaurantes de Lisboa que me soou pior dos ultimos tempos, e ter-se tornado falado como tem sido, soa ainda pior!

  10. eu gosto de um que ha no primeiro andar (ainda existe?)de um edificio entre o rossio e a praca da figueira que tem no segundo piso um centro de enfermagem; providencial….

  11. Quanto à RTP2:

    Também eu enviei um email à 2 há já longos meses quando percebi que tinha que estar de comando em punho pronta para o fim do “Zig-Zag” pois seguia-se imediatamente a publicidade a séries simplesmente impróprias para o público alvo de desenhos animados (na altura publicitavam a série das emergências – com o tal sangue, gritos, barrigas abertas – e uma chamada “a noite dos mortos vivos” ou parecido).

    Expus à 2 que não entendia como podiam publicitar às 20h séries que só podem passar a horas mais tardias.

    Nunca obtive resposta a esse email, nem qualquer confirmação de que o tenham recebido. Resultados não teve.

    Deixei o caso e passei a agarrar no comando quando aparece o “Patinho” a anunciar o fim dos desenhos animados.

    (Infelizmente) pode ser que muitos emails juntos tenham (alguma) resposta melhor do que alguns isolados.

    Proponho que encontremos outra forma de agir – procurando a entidade que pode/deve supervisionar, quando a 2 falha em sequer dar resposta.

    Um abraço.

  12. Realmente esse restaurante deixa muito a desejar, estive lá há 2 meses e não faço planos para voltar lá. Está visto que má educação faz parte da politica da casa, também aconteceu comigo uma situação desagradável, o empregado foi um mal educado.

  13. Acho que fizeste muito bem em exigir.O que é estranho é que até tinha uma boa opinião desse restaurante. Aliás, até o meu colega indiano acha que é dos melhores de Lisboa.

    Devem ter perdido qualidade.´

    O que nos acontecau lá foi pedirmos um prato italinao que era “4 massas” e eles trocaram os pedidos todos.

  14. Que interessante, geralmente coloco a minha afilhada a ver os desenho animados da 2 precisamente a essa hora( nota-se que nos açores é uma hora a menos) mas nunca me apercebi dos intervalos, logo vou ver isso!

    obrigado pela informação

  15. Também deixei a minha indignação no site da dois e da rtp, com a condição de que se não me responderem, sigo para as instituições seguintes, anacom e etc…

    Kiss susy

  16. Olá Rosa!

    A tua intervenção cívica é notável. Lá em casa tb só os desenhos animados da 2 e é quando é. Nunca ligo a Tv antes por isso não me tinha apercebido do conteúdo da publicidade anterior ao Ziz Zag, mas já tinha ficado indignada com as imagens do depois….

    Exigir, é essa a nossa responsabilidade. Também lhes vou enviar um email.

    Obrigada Rosa

    bjs

Leave a Reply

Required fields are marked *.