quilting pfp (2)

hand quilted log cabin

Enquanto tento terminar este quilt, todo acolchoado à mão (dá muito, muito mais trabalho mas gosto ainda mais do resultado), deixo mais algumas respostas às perguntas frequentemente perguntadas sobre o assunto (a parte 1 está aqui e os arquivos, aqui):


Sugeres algum padrão para fazer a minha primeira experiência ou um primeiro projecto que seja particularmente simples?

O melhor é sem dúvida começar por juntar quadrados uns aos outros e numa escala pequena, para não se perder a paciência a meio nem se gastar muito tecido no caso de correr mal. Fica-se a perceber uma série de coisas com a experiência e o resultado pode ser um objecto tão simples como um cobertor para as bonecas (1 e 2, por exemplo) ou um pousa-qualquer-coisa (vulgo individual). Quem tiver vontade de tentar logo a sorte com um dos blocos mais populares talvez deva experimentar o log cabin numa das suas múltiplas variantes. Com um só pode fazer-se logo alguma coisa.

seventies quilting books

japanese quilting books

De não faço ideia como começar nem a peça mais simples a queria comprar um bom livro com muitas técnicas e padrões mas não sei como escolher.

Apesar de nos últimos dois anos ter comprado vários livros recentes sobre o assunto, os que tenho desde pequena respondem à maior parte das dúvidas e ensinam várias técnicas. As traduções portuguesas encontram-se com muita sorte nos alfarrabistas e nas casas das avós mas no original é mais fácil encontrá-los:

Janet Barber e Belinda Lyon, O meu primeiro livro de Costura. Lisboa, Verbo, 1979. No original, My Learn to Sew Book (capa). Um dos vários projectos propostos pelo livro (à esquerda na foto de cima) é precisamente uma mini-colcha de retalhos.

O Grande Livro dos Lavores. Lisboa, Selecções do Reader’s Digest, 1985. É a tradução esgotadíssima do Complete Guide to Needlework, que continua a ser editado em Inglês. É certamente o livro mais usado desta parte da minha biblioteca: para além de todos os outros capítulos, que já me levaram a citá-lo aqui uma e outra vez, tem um completíssimo capítulo sobre quilting / patchwork, com ilustrações excelentes e textos muito claros.

Recentes e diferentes:

Denise Schmidt, Quilt-It Kit: 15 Colorful Quilt and Patchwork Projects ou Denyse Schmidt Quilts: 30 Colorful Quilt and Patchwork Projects. Apesar de não ter nenhum destes dois (estão na minha wishlist), se fosse começar agora fa-lo-ia certamente com um deles. A autora (cujo site merece visita) é uma das principais referências actuais dentro da área e os seus quilts são dos que mais me inspiram.

Kaffe Fassett, Passionate Patchwork: Over 20 Original Quilt Designs. Kaffe Fasset (site) é outro dos autores mais célebres que prefiro. Tenho vários livros dele nos quais, embora algumas das combinações de cores e padrões me pareçam um bocadinho enjoativas, tenho aprendido bastante. Todos eles incluem, para além dos padrões de diferentes níveis de complexidade e textos sobre a sua concepção, um capítulo técnico suficientemente completo para esclarecer um principiante.

Japoneses apaixonantes:

Machine Made Patchworks e Machine Made Patchworks 02. São de certeza os mais célebres fora do Japão e valem tanto pela qualidade dos projectos apresentados (malas, malinhas, estojos, colchas, tapetas, etc.) como pela escolha de tecidos e cuidado com que são combinados.

Yoshiko Jinzenji, Simple Quilt. Neste momento é o meu preferido. A autora cria quilts (ou serão quadros?) a partir das sombras das casas, cose milhares de retalhinhos todos brancos uns aos outros e inscreve códigos secretos nos seus trabalhos. Quem me dera que estivesse traduzido.

E os tecidos?

Retrosaria

A cereja em cima deste post é o facto de haver, perto de Lisboa, uma loja dedicada aos tecidos americanos para patchwork, que creio ser a única do género no país. Chama-se Arco-Íris a Metro, fica no Laranjeiro e a dona (Paula Coelho) é muito simpática e prestável. Chega-se lá bem de transportes e podem pedir-se indicações por email para gerencia arroba arcoirisametro ponto com :

Arco Iris a Metro

Praceta Gomes Leal, Loja 30-C

Laranjeiro

Tel. 212596135

…e, claro.

15 comments » Write a comment

  1. Fiquei com vontade de experimentar, eu e a máquina de costura ainda não nos entendemos a 100% e sabendo que o posso coser à mão ainda melhor!

    Beijinhos

  2. =)))))

    tinha saudades dos “posts extensos que dizem tanto e fazem abrir tantas cabeças”!

    essa frase (a do”…e, claro.”) está no meu caderninho para nunca me esquecer! ;)

  3. sempre a partilhar! eu tenho o livro da denise smidt e um outro que se chama modern quilts, ambos muito bons no esclarecimento da tecnica.

    os japoneses que mencionas, machine made patchworks, tambem tenho (gracas a hillary e a ti), sao realmente muito bonitos, mas nem se soubesse ler japones aprendia a tecnica com eles.

    ainda nao me aventurei, quer dizer ja fiz uma bolsa que uso para estojo, mas ficou muito tosca!

    queria fazer uma colcha, consigo arranjar o batting por aqui, mas tres vezes mais caro do que no ebay! e quanto a tecidos de patchwork americanos, tambem os encontro mas a 15 euros o metro contra os 6/7 nas lojas online americanas!

    ah… tambem eu tinha saudades destes teus posts longos!

    jinhos

  4. love this quilt, inspiring, I’m now even starting to contemplate that maybe i might start, at sometime, a small, dolls quilt as well ;)

  5. Que belas dicas, nem sabia que existia uma loja especalizada em patchwork em Portugal. Eu ando a tirar um curso aqui em Aveiro e já fiz uma almofada, mas o que me custa mais é a parte do quilting pico os dedos todos, rsss. Também te acontece??

    Beijinhos e bons trabalhos

  6. Eu sou o tipo que passou totalmente despercebido numa noite em que a SIC entrou numa loja do Bairro-Alto para gravar a reportagem sobre as tricotadeiras. Fui eu que segurei a camara pelo meio das mesas e cadeiras atafulhadas de novelos de lã divertidos e coloridos. Dois anos depois desse feito a minha tricotadeira em potência descobriu este lugar e mostrou-me o arquivo dele. Deu-me a ler e deu-me vontade de dizer que também gostei de por lá ter passado, embora não ache muita piada a coisas de “gajas” da mesma maneira que não acho muita piada a coisas de “gajos”. Como já não consegui deixar o coment lá, vim deixa-lo aqui.

  7. Conheci teu site hoje, fazendo uma pesquisa sobre máquinas de costura e amei. Quanta informação, quanta coisas lindas. Parabéns!! Vou ler com mais carinho e volta para comentar. Se me permitires gostaria de linkar ao meu blog.

  8. Oi tudo bem?! Moro na cidade do porto e gostaria de saber se existe algum lugar onde se possa fazer um curso de patchwork. Acho uma arte muito linda e gostaria muito de aprender. Existe alguma loja especializada nisso aqui em portugal? Vou aguardar anciosa a sua resposta. Beijinhos, Mariana.

  9. I’ve always done scrapbooking before, but I might just have to try quilting now. :-)

Comentar