31 semanas, 3 anos e meio

brinquedos artesanais portugueses

Depois de uma semana em que parecia estar comodamente instalada de cabeça para baixo voltou às mudanças de posição frequentes (com correspondente variação do feitio da minha barriga ao longo do dia). Eu vou-me mexendo com deselegância, esbarrando de lado nas portas e mesas como aos treze anos mas ainda sem me sentir só uma barriga com pernas. Hoje, depois de um simpático email da dona da loja, fui ver mais carrinhos na Gama Rústica e já estou quase decidida a repetir as compras de há quatro anos.

A E. elogiou tudo o que havia de cor de rosa na loja, mas felizmente pediu um carrinho azul para a irmã. Já responde em piloto automático ao permanente então vais ter um mano ou uma mana? mas do que gosta mesmo de falar ultimamente é de países, bandeiras, nacionalidades e como é que se diz seja o que for nas línguas todas de que se conseguir lembrar. Derreto-me sempre com as deduções dela, como hoje: Mamã, sabes o que é pu[b]licidade? É o sítio onde moram os polícias.

Na fotografia, a montra de uma loja na esquina da Av. de Roma com a João XXI. A bem das minhas finanças estava fechada, mas espero que só para férias.

13 comments » Write a comment

  1. Delicioso o aroma a bebé novo que se sente vir por aí, com os preparativos a fervilharem. A Maria também só vê cor-de-rosa à frente, o que não deixa de ser curioso porque não foi a típica menina de cor-de-rosa, bem pelo contrário, no hospital, quando nasceu, todos se espantavam por estar com um vestido (ainda assim um vestido…) azul. Não percebi…

    Quanto à montra, apesar de fechada, fico sempre feliz de ainda ouvir dizer que lojas como esta ainda existem…

    Boa sorte para os últimos retoques e escolhas para o novo bebé e parabéns para a E. Como “filósofa” e trabalhando com pequeninos nesta área, aprecio muito ouvir estas saborosas frases de quem quer descobrir e construir uma lógica para o mundo.

  2. Ainda me lembro desses brinquedos, dos quais tenho saudades (acho que se procurar bem ainda encontro algum aqui em casa).

    A colecção da maxi-cosi é linda, estive quase para comprar um carrinho desses mas optamos pela marca portuguesa bebécar.

    Boas compras! E um beijinho ou melhor três!!!

  3. Olá mamã :-)

    É engraçado como o pessoal de Lx é tão adepto da maxi-cosi! o povo nortenho é mais bebeconfort.

    Em miuda tive um conjunto de panelas igual ao dessa montra, I wonder were they are…tenho que fazer uma rusga com a minha filha ao sótão da minha mãe.

    *

    MJ

  4. Liiiinnndos! Eu tinha um serviço desses tachinhos! Ou melhor um “trem” completo! Lembro-me de tentar fazer uns “bolinhos” neles, em massa-pão… só mais tarde percebi que tinham que ir ao forno… :(

    Depois “os tios do Canadá” trouxeram um trem novo do “My little Pony”… ah Globalização..

    Estes últimos desapareceram todos e estragaram-se, já os antigos, de alumínio duraram e a minha irmã (doze anos mais nova) ainda se fartou de “cozinhar”. O meu preferido era a Cafeteira, ou Fervedor.

    Beijinhos

    sara

  5. e eu a dar maxi-cosis, carrinhos de tres rodas hipermodernos e alcofas a condizer, espreguicadeiras, esterilisadores, a box, roupinhas, eu sei la….

    esvaziar o sotao que vamos para obras e um terceiro esta mesmo fora de questao! ;-)

    as lojas que encontras…

  6. eu no norte desisti da bebécar (porque escolhi mal o modelo) e mudei para a maxi-cosi porque é um pouco mais barata quee a bebéconfort…

    mas o primeiro carro ficou inutilizado, rosa?

  7. Já há muito tempo que visito o teu blogue, adoro as coisas que fazes, é tudo lindo, e gosto muito de ter “ver” com a tua E. Eu também me lembro dessa máquina de costura e dos tachinhos, embora eu não tivesses esses lembro-me de os ver em casa das primas. Eu tenho o carrinho da B.Confort, mas isso são gostos e opções que dependem das necessidades de cada um.

  8. ando lá a namorar a máquina de costura, que tem uma agulha que sobe e desce e tudo, há mais de um ano. Mas 10 Euros…

  9. Essa montra existe há tantos anos, que até a minha mãe que vive nessa zona desde os 4 anos se lembra de lá ter comprado os seus tachinhos de brincar e afins.

    É de louvar a persistência de pequenas lojas como estas, que fazem as nossas delícias.

    É difícil perceber como sobrevivem, a vender “miudezas” a que a maior parte das pessoas já parece não ligar, e numa altura em que os antigos proprietários das lojas daquelas ruas acabaram por se render ao lucro óbvio que resultou dos trespasses e que transformou estas avenidas em mais um aglomerado de bens franchisados.

  10. Há muito tempo que tenho este blog nos meus favoritos, e sempre o venho espreitar.

    Mas só hoje decidi comentar.

    O teu trabalho é lindissimo!

    Ao ver esta foto destes brinquedos voei para as memórias da minha infância, dos dias de Junho em que ia às Fontainhas e trazia para casa mais um brinquedo de metal como estes.

    Obrigada por este momento.

  11. Namoro essas coisas aí desde os meus 15 anos, já lá vão uns 16.

    Houve até uma altura em que desapareceram da montra e arrependi-me piamente de nunca ter chegado a comprar nada…e ainda não comprei!…

    Se calhar passa a ser desta, não vá eu estar um dia com uma menina na barriga (como tu) e ficar a pensar nisso! Ehehehehe!

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>