(mais)

quilt

Ainda não domino a arte de fotografar quilts (mais difícil de praticar sem um jardim ou um estendal bonito), mas aqui vê-se um bocadinho melhor. Os tecidos, como neste, foram cortados a olho e sem grandes preocupações e cosidos à máquina. Para acolchoar usei baetão branco e agulha e linha sem bastidor (que desconfio que só funciona bem com batting mais fino). Demorou meses a acabar mas esteve parado muitas semanas por causa do calor. Entretanto já tenho outro começado…

Quilt ♥, etc.:

Mini: Branco é bom.

DSQ Original: A propósito do mesmo assunto que me levou a escrever sobre os quilts da Zara Home e a mudar, gradualmente mas cada vez com mais convicção, os meus hábitos de consumo. Nada como saber (o que custa) fazer para aprender a questionar o valor do trabalho e o significado real dos preços praticados pelas lojas.

Brie’s Baby Quilt: perfeito, mesmo para quem como eu não é grande fã de bebés e cor de rosa.

Thrifted quilt. Os quilts mais lindos também vão à praia.

Denise Burge (via Whip Up).


pormenor

7 comments » Write a comment

  1. Ficou maravilhoso! Meus parabéns!

    Imagino o trabalho que deve ter dado… eu estou tentando terminar um que o nenêm já vai nascer, e e ainda falta um tanto… vamos ver se me encho de coragem e sigo sua energia!

    beijos,

    gil

  2. Lindo, lindo, lindo. E sim, concordo plenamente com os ” brancos” a contrastar com os outros padrões. Dão um ar fresco de “coisa do campo” que traz cheiro de maçãs vermelhas e chão encerado de madeira!Tenho uma pergunta: quando se faz o “quilting”, principalmente à máquina, começa-se do centro para as margens, das margens para o centro ou de um lado para o outro? É que acho complicado controlar o tecido de modo a que não “arrepanhe” todo ao passar do pedal.

    Beijinhos Rosa!

    sara

Leave a Reply

Required fields are marked *.