37 semanas (bis)

sweetnellie

sweetnellie

A juntar às maravilhas oferecidas pela Catarina e pela Mary, este bebé que ainda nem nasceu recebeu um boneco da Trish, chegado de surpresa e acompanhado por três pares de carapins (doce palavra) mais do que perfeitos. Face à pandemia de bonecos de pano dos últimos três anos, sabe bem ver (e ainda melhor tocar) o cuidado e o gosto com que são feitos estes ou a frescura de trabalhos como os da dupla Piece of Cake. Thank you Trish!

Do lado de dentro não há ainda novidades. Depois de hesitar durante vários dias decidi não tentar a famosa acupunctura ou moxibustão (esta nem sei onde poderia fazer) nos mindinhos dos pés. O melhor artigo que li sobre o assunto foi este, do qual a ideia de que se o bebé está naturalmente de cabeça para cima pode ser que tenha boas razões para isso me pareceu válida e sensata. Isto por muito que tenha chorado depois de saber que uma cesariana implica duas horas de recobro, i.e., separação entre a mãe e o recém-nascido (duas horas, quando eu e a E. não estivemos separadas mais de dez minutos que ainda assim foram os mais longos de toda a minha vida). A ver vamos o que acontece nos dias ou semanas que faltam, e afinal são muitas as histórias de bebés que resolveram dar a volta em pleno trabalho de parto.

20 comments » Write a comment

  1. Também eu não estive separada da minha pequenina durante duas horas depois da cesariana. Terão sido uns 15 ou 20 minutos…

  2. Olá Rosa

    Eu também gosto de pensar que nestas coisas a natureza é sábia. E o melhor é respeitá-la. Pode ser que ela te faça uma surpresa à última da hora e te permita um parto normal.

    Desejo-te muitas felicidades para este momento fantástico e que tudo corra como desejas. E já agora…uma horinha pequenina!

    bjs

  3. Duas horas!?

    Não sei quando tempo estive separada da M, mas foi o tempo de me coserem, analisarem e vestirem a bebé. Meia-hora no máximo dos máximos.

  4. Pois é, parece que os tempos variam muito consoante a maternidade. Tenho de falar melhor do assunto com a minha obstetra…

  5. rosa, vai tudo correr bem. e se tiver que ser cesariana, que seja. o que interessa é que ela chegue bem e que tu fiques bem também. dez minutos, meia-hora ou duas horas – o que é isso comparado com os anos e anos que terão juntas depois! :)

  6. Pois, que corra tudo bem, é o que interessa! E que a bebé venha com o gás todo para uma vida feliz. Quanto à new domesticity, eu cá invejo-te por poderes escolher… a minha filha aos 3 meses já andava no infantário. Também não lhe fez mal nenhum… (os sapatinhos são uma graça mesmo).

  7. Eu passei por duas cesarianas e não foram certamente 2 horas: uma no máximo (da segunda vez demorou mais, da primeira vez deve ter sido meia hora) – é só enquanto te limpam e cosem e limpam e tratam do bebé: passa num instante.

    E espero que corra tudo bem para as duas.

  8. Tenho-me evitado comentar estes posts sobre bébés pélvivos e cesarianas, porque a minha opinião não vai de encontra aos testemunhos que aqui vejo…

    Mas o que seria do mundo se todos pensassem da mesma forma?:)

    Um bébé pélvico, por si só, não é motivo para cesariana, principalmente se isso traz qualquer tipo de tristeza ou angústia à mãe.

    Muita da informação que nos é passada em main-stream vai de encontro ao que é mais confortável e “manageable” para os médicos, e não tanto de encontro ao que é melhor para mães e bébés, ao contrário do que nos fazem crer.

    Não quero de maneira nenhuma ofender quem aqui fala das suas cesarianas como uma coisa perfeitamente natural e que não deixou mazelas nenhumas, mas acredito que estas (tal como tantas outras) são resultado do tipo de medicina interventiva que é praticada, e não de reais situações de gravidade.

    Quanto uma mãe de bébé pélvico decide ter uma cesariana, o melhor conselho que lhe posso dar é esperar entrar em trabalho de parto naturalmente, para que tenha um sinal de que o bébé está pronto e quer nascer. Digamos que assim é uma cesariana “humanizada” que respeita o timing da natureza e não dos médicos.:)

    Quanto aos tempos de recobro, realmente variam muito de hospital e de médico, mas com as epidurais e as cesarianas “light” que fazem hoje em dia, este é muito mais encurtado que há uns tempos.

    E imagino que uma mãe que queira começar o vínculo com o seu bébé o mais rápido possível terá todo o apoio para o fazer…afinal isso é que é o melhor para ambos!

    :)

  9. Olá

    Espero que tudo continue a correr bem!

    Eu tive os meus filhos por cesariana e no 1º foi com anestesia geral e aí estive cercas de uma hora no recobro, sem ele, mas estava com o pai.

    Da minha filha foi com epidural e só estive sem ela na altura em que o pediatra e a parteira a estavam com ela (mais ou nemos 10 minutos)…depois ela veio na minha camna para o quarto.

  10. Pensamentos positivos! Ela se calhar está a guardar o melhor para o fim e ainda dá a volta. :)

    Se não der, espero que estejas com ela logo depois de nascer.

    Estou a torcer pelas duas!

    Beijinhos!

  11. Rosa,

    Não costumo comentar o teu blogue, apesar de o visitar frequentemente e de gostar muito do que lá encontro. Queria desta vez fazê-lo, apenas para te dizer que a minha filha nasceu de cesariana (há dois anos) e que não estive longe dela mais do que trinta segundos (os dos testes normais); e que isso é possível. Desejo-te o melhor para as duas

    bjs

  12. Só mais uma coisa: durante o tempo em que fui cosida (10 minutos) ela esteve ao colo do pai. Depois pai e filha acompanharam-me no recobro. bjs e boa sorte

  13. Foi exactamente isso que aconteceu comigo. Eu estava na mesma posição que esse bebé lindo que está para vir, adivinhava-se então uma cesariana, e quando estava tudo pronto para que ela acontecesse, quando digo tudo é a minha mãe já deitada na marquesa pronta para lhe abrirem a barriga, na ultima hora eu dei a volta e só se aperceberam disso quando a minha mãe de repente sente contracções e acaba por me ter num parto normal e, diz ela, que entre o meu e o do meu irmão, o meu foi sem duvida o menos doloroso e com o qual ela sentiu exactamente o sentido de dar á luz uma criança. Por isso tudo pode acontecer e, segundo a minha mãe, o importante é não entrar em pânico e pensar que muito também depende da mãe e da sua atitude durante o parto. Boa sorte e muitas felicidades.

  14. Olá Rosa,

    Primeiro quero dizer-te que normalmente numa cesariana não se fica muito tempo longe do bebé, mas espero que o desejando o parto seja normal. Há exactamente 3 semanas tive a minha filha, Marta, por cesariana, apesar de preferir que assim não fosse, mas há ultima da hora a dilatação não era suficiente. Passado pouco tempo estava no recobro a dar-lhe de mamar. O mais chato é a recuperação, mas em poucos dias estamos como novas.

    Bem, era só para tentar animar-te. Um beijo, felicidades e fica bem.

    Cláudia

  15. Há-de tudo correr pelo melhor. Não penses nas duas horas que vais estar longe do bebé, mas em todos os segundos que vais estar bem perto dele :)

    Tenho pena de não ter chegado a fazer-te uma festinha na barriga. Aqui vai uma, ao de leve, e um beijinho também.**

  16. Para juntar às outras, cá vai mais uma história. Esta é de uma colega e passou-se em 2002, era a 2ª gravidez e a filha estava pélvica, a Mãe optou por marcar uma cesariana, um dia antes começou com dores, mas resolveu ignorar, o dia passou as dores aumentaram até que rebentaram as águas, de emergência para o Hospital, mal chega é observada, dilatação completa, a bebé não é muito grande tinha 2700 gr sai normalmente sem qualquer problema mesmo na posição pélvica.

    Tudo de bom e boa sorte. ****

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>