patchwork heaven

patchwork

Quando eu era assim pequena (estavam a começar os anos 80 e) vivia no paraíso do patchwork mas o livro que mostrava à máquina fotográfica era um guia de aves porque (mercê de muitas horas de birdwatching com a minha mãe) planeava vir a ser especialista na matéria. Hoje em dia ainda distingo um abibe ou uma toutinegra mas na verdade puxa-me mais para os trapos. Às fatias, de preferência. A culpa (de tudo isto) só pode ser das almofadas.

Retalhos de encher o olho:

Doll quilt e Molly’s quilt e um tesouro por um dolar.

E mais:


Gee’s Bend Inspiration. Originally uploaded by kmel.

Um dos quilts de Gee’s Bend, e agora também um dos meus favoritos de sempre. Mais do mesmo:

whitney. Originally uploaded by jenisstudio

E também estes e este.

E japoneses:

Tokyo International Quilt Festival. Originally uploaded by movinghands.

E este, este e mais este.

10 comments » Write a comment

  1. Viva o patchwork!

    Com a minha mãe era o mesmo: as aves e a botânica.Também me lembro de gostar de ler uns guias assim, sobre pássaros, árvores e plantas, para além dos herbários que faziamos :)

  2. Feitas pela Fátima Vaz, que era a melhor artista do género da época. Desapareceu cedo demais…

  3. Não imaginas o quanto me revejo nessa fotografia!

    Também eu cresci num paraíso de patchwork, em almofadas, mantas e trapinhos vários.

    Quanto aos pássaros, a miopia precoce não mos deixava distinguir ao vivo e a cores, só nos livros.E quando fosse grande o que eu queria, era ser “intelectual”…

    lol

    :)

  4. esta semana vi uns lindos, feitos artesanalmente na guatemala e colombia,

    são assim http://farm1.static.flickr.com/155/380817134_520c0f6c11_m.jpg

    a ceramica estava encima, ops!

    é colombiana, tambem lindissima,

    achei interessante que ao contrario, das que estamos acostumados a ver, com muitos padroes, estas, cada tecido e de cor unica, e o que faz os desenhos, decoração, é o corte, que dão ao tecido.

    os que mostra tb sao lindissimos. e trabalhosos…eu nao me atrevo, mas a minha bisa avó fazia muito.

  5. Olá, Rosa. Há já algum tempo que admiro o teu trabalho. Venho espreitar-te de vez em quando e nunca calhou deixar mensagem…

    Hoje, talvez por causa da passarada (aconteceu-me o mesmo, mas era o meu pai o impulsionador), apeteceu-me dizer-te que, ao observar a foto de uma criança com aquele ar refastelado e são, só poderíamos esperar grandes feitos. Envoltos, ou não em patchwork.

    Beijinho grande, grande.

    E, caso ainda te dê para a espreitadela aos pássaros, dá uma vista de olhos pelos meus.

  6. Se quiser adquirir tecidos para Patchwork, pode ir à RETROSARIA FANTASIA, no ESTORIL, uma loja antiga, com sabores de outros tempos, onde vendem tecidos americanos, lindos de morrer, para fazer todo o tipo de trabalhos em quilting.

    Além das centenas de botões que lá há, pode fazer uma viagem ao passado e reviver momentos da sua infância, através de uma data de brinquedos antigos de lata, Jogos da Majora, bonecas de papel, colecções e um cem número de tralhas deliciosas, já raras de encontrar onde quer que seja.

    É uma visita que vale a pena um passeio até ao Estoril. A loja fica perto do Hotel de Inglaterra.

Leave a Reply

Required fields are marked *.