não, obrigada

Há o correio bom e há o outro, que não pedimos, que não queremos e que nos vem à mesma ter às mãos. É um total desperdício de energia e matérias-primas e, mesmo que fosse todo encaminhado para a reciclagem, muito melhor seria não o recebermos de todo. Outra aberração dos nossos dias é o telemarketing, que não pede licença, interrompe e incomoda. Numa rápida pesquisa, googlei uma medida que vai além do célebre autocolante de colar na caixa do correio e que pode poupar um monte de árvores. Até porque muita desta publicidade vem endereçada e contra essa os poderes do dístico são nulos (curiosamente uma das empresas mais gulosas de dados e prolífica em lixo postal é a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor). Fiquei a saber que existe uma coisa chamada Lista Robinson, e que as empresas não podem, por lei, enviar correspondência ou telefonar para as moradas/números de telefone nela incluídos. Ora, em vez de devolver cada carta destas empresas exigindo ao abrigo da lei a eliminação dos meus dados, como tenho feito, vou mandar já amanhã uma carta para a Associação Portuguesa de Marketing Directo, com a ajuda desta minuta e cortar o mal (que não mais árvores) pela raiz. O processo está explicado aqui, numa página do Instituto do Consumidor que também permite pedir por email o autocolante anti-publicidade não endereçada. Depois, fica só a questão das duas palavras da Vírgula.

16 comments » Write a comment

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.