não, obrigada

Há o correio bom e há o outro, que não pedimos, que não queremos e que nos vem à mesma ter às mãos. É um total desperdício de energia e matérias-primas e, mesmo que fosse todo encaminhado para a reciclagem, muito melhor seria não o recebermos de todo. Outra aberração dos nossos dias é o telemarketing, que não pede licença, interrompe e incomoda. Numa rápida pesquisa, googlei uma medida que vai além do célebre autocolante de colar na caixa do correio e que pode poupar um monte de árvores. Até porque muita desta publicidade vem endereçada e contra essa os poderes do dístico são nulos (curiosamente uma das empresas mais gulosas de dados e prolífica em lixo postal é a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor). Fiquei a saber que existe uma coisa chamada Lista Robinson, e que as empresas não podem, por lei, enviar correspondência ou telefonar para as moradas/números de telefone nela incluídos. Ora, em vez de devolver cada carta destas empresas exigindo ao abrigo da lei a eliminação dos meus dados, como tenho feito, vou mandar já amanhã uma carta para a Associação Portuguesa de Marketing Directo, com a ajuda desta minuta e cortar o mal (que não mais árvores) pela raiz. O processo está explicado aqui, numa página do Instituto do Consumidor que também permite pedir por email o autocolante anti-publicidade não endereçada. Depois, fica só a questão das duas palavras da Vírgula.

16 comments » Write a comment

  1. Ai como eu te compreendo! Acho particularmente irritante os tais telefonemas quase constantes em que alguém do outro lado nos diz, em tom de voz pouco convincente que ganhámos um prémio (seja ele o que raio for). Mas que coisa, só não ganhamos o euro milhões!!! Quanto aos autocolantes anti-publicidade, creio que não são tão eficazes quanto isso, pois a quem distribui os panfletos, flyers, …, interessa é despachar os exemplares que têm em mãos o mais rapidamente possível, sem ter em atenção qualquer tipo de critérios. Já me aconteceu ter dentro da caixa de correio certamente mais de 15 exemplares de alguns panfletos (espero que quem os lá tivesse colocado não contasse comigo para os distribuir). Enfim… aproveitei para desabafar :)!! Agradeço o cuidado que tiveste em divulgar algumas medidas que podemos tomar para evitar alguns exageros.

  2. Certa altura dirigi-me aos correios para adquirir o tal autocolante, e deram-me a seguinte informação

    “o autocolante que pede, nenhum efeito tem, já nem sequer o temos para distribuir, porque não existe nenhuma lei a obrigar as tais empresas que distribuem publicidade a respeitarem o que lá está escrito”

    :\ !!

  3. Ainda hoje desentupi a minha caixa de correio e pensei em telefonar para o jornalzinho religioso e todos os hipermercados a pedir que tenham pena das árvores. Ando eu a ensinar as crianças a poupar/aproveitar papel para depois ter de deitar toneladas dele no ecoponto. E vou fazer um autocolante personalizado, já que também não mo deram nos correios.

    Beijinhos e obrigada por estas informações :)

  4. Uma das formas de combater, no caso, o telemarketing é pedir à operadora com que contratámos a confidencialidade do nosso número.

    Agora, pode é não interessar, designadamente por razões profissionais, esse tipo de solução.

    Ou então também acontece os nossos próprios pais não saberem que o telefone que toca é de uma chamada nossa, dado que no visor aparece “número desconhecido” :):)

  5. Agora gostava era de ter um autocolante para a campainha. Chego a atravessar quatro vezes a casa para atender à porta e ouvir “publicidade”. Fora as vezes que me acordam os miúdos. Que praga.

  6. infelizmente as coisas passam-se mesmo como a margarida diz. conheço quem já tenha distribuído panfletos e era realmente sem critério. o importante era distribuir x quantidade no menor tempo possível para ficarem com o resto livre. :(

    também me incomoda muito mais o tocar da campainha, tanto que deixei de atende-la (se for realmente para mim tocam a segunda vez, de certo!)

  7. Olá Rosa! Acompanho seu blog há muito tempo, mas esta é a primeira vez q posto, e que surpresa poder postar nesse blog com layout novinho em folha =)

    Compreendo perfeitamente o que diz a respeito de “telemarketing”…aqui no Brasil sofremos muito com isso. Alias, não passava pela minha cabeça que esse serviço também fosse tão irritante em Portugal…

  8. Totalmente de acordo e obrigada pelas dicas, é o que vamos fazer também.. então o telemarketing, já utilizo diversas personagens para atender o telefone, pois é a forma de não desesperar às vezes aos 5 telefonemas por dia. Assim eles fartam-se e eu tenho paz durante uns tempos…

  9. Concordo plenamente e até já tinha pensado em informar-me àcerca desta questão tão pertinente.Por acaso, ultimamente tenho, ou pelo menos, tentado trabalhar com todo aquele papel que nos vem parar à caixa do correio sem nunca o termos pedido. Contudo, isto só não chega. Por muito que tente reciclar materiais cá em casa, há que fazer mais do que isso.

    Rosa muito obrigada,este seu Post foi muito interessante e útil para todos nós.

  10. Obrigada pela utilissima informação! A sério, já tinha pensado em como me podia livrar dessas coisas irritantes da publicidade que invarialvelmente ia directamente para o lixo, agora já sei como.

  11. Muito boa a dica para a Lista Robinson, de facto está a tornar-se um problema cada vez mais irritante. No outo dia depois de pela segunda vez responder ao telefonema (de 15min pelo menos), dizendo que NÃO queria 10lt de um produto de limpeza que “dá para tudo” a senhora que já tinha esgotado todos os argumentos possíveis (até a oferta de uma esferográfica com calculadora!!! ) descaradamente desligou-me o telefone na cara! Mais, o nº de que ligou era privado… nem pude reclamar.. Grrr!

    Depois são as constantes promoções que oferecem a idosos… A minha avó recebe montes de telefonemas a perguntar se quer comprar isto e aquilo, que tem desconto, promoção e brindes… Uff! Que cáustico!

  12. Obrigada Rosa pelas dicas. Vou já tratar do assunto.

    Há já uns anos que tenho o autocolante na caixa do correio e até tem dado resultado p/a publicidade não endereçada, mas em relação ao telemarketing, tem dias que é uma verdadeira praga. Não há pachorra…

  13. A minha forma de protesto contra as empresas que enviam publicidade endereçada é um pouco diferente… Normalmente todas enviam um envelope RSF. Então o que faço é eliminar os meus dados de todo e qualquel papelinho que me enviem e colocá-los todos no dito envelope RSF que vai bem atafulhado e bem pesado de volta para quem mo enviou. Como o envelope é RSF, quem paga a franquia é quem me envia a publicidade. Conheço muita gente que aderiu a esta prática. Quem sabe, se formos muitos, as contas a pagar nos correios por essas empresas aumentem de tal forma que os leve a pensar duas vezes antes de investir tanto em publicidade! ;)

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>