o brilho das imagens

o brilho das imagens

Por pouco perdia esta magnífica exposição no MNAA. Visitar assim a Idade Média é sempre um duplo mergulho no passado, na tese por escrever, nos meus mortos.

No Flickr quase não se encontram imagens da exposição, com excepção deste óptimo conjunto dedicado à montagem(?). Se calhar não se podia tirar fotografias. Eu tirei só uma (sem flash, claro) e ninguém me disse nada mas, estranhamente, também ninguém disse nada ao senhor que entrou com um enorme guarda-chuva debaixo do braço ou à senhora cujas filhas mexiam descontraidamente nas peças expostas…

5 comments » Write a comment

  1. Eu perdi mesmo. E já tinha prometido a mim mesma ser este o ano em que ia ver sozinha as coisas que gosto mesmo quando mais ninguém acha interessante.

    Há uns anos atrás, para um trabalho na faculdade, passei alguns dias no MNAA como se tivesse na minha 2ªcasa. Na altura foi-me permitido tirar fotografias e julgo que foi exactamente o facto de poder andar para trás e para frente, descontraidamente de máquina na mão, que me fez eleger o MNAA como o meu museu preferido de Lisboa.

    Quanto às meninas a mexer nas obras…arrepia-me só de pensar!

  2. eu juro que não ando a adivinhar os teus programas semanais, mas o facto é que estive no Museu uns dias antes do domingo deste post…

Leave a Reply

Required fields are marked *.