fabrico próprio

bolas de berlim

Bolas de Berlim, fotografia de Pedro Ferreira

Foi através do Flickr que soube da existência do projecto Fabrico Próprio (o site oficial ainda não está pronto). Pareceu-me uma ideia literalmente deliciosa e aguardo com expectativa a sua concretização sob a forma de livro. Ontem recebi de um dos mentores, o Frederico Duarte (os outros dois estão também por detrás da instalação Grão no Museu do Azulejo), um apelo curioso, que transcrevo a seguir. Quem quiser ou puder dar-lhe resposta pode deixá-la aqui nos comentários ou encaminhá-la para frederico arroba 05031979 ponto net.

Bolos por aqui: Padaria Ribeiro, o Natário e croissants do Porto (prensados se faz favor).


Apesar do Verão atípico deste ano, e das brigadas da ASAE, há uma coisa que não muda em muitas praias portuguesas: a venda, e o consumo, de Bolas de Berlim.

Com e sem creme, são uma parte fundamental de muitas memórias de infância, e de muitos dias de praia ainda hoje bem passados por todo o país.

Como parte do nosso projecto Fabrico Próprio, que nos tem levado a investigar, a provar e a catalogar a pastelaria semi-industrial portuguesa, queremos homenagear algumas das pessoas que mais admiramos, dentro do universo pasteleiro nacional: as vendedoras e vendedores de Bolas de Berlim.

Para tal, queremos incluir no nosso livro uma série de retratos destes corajosos indivíduos, que desafiam o calor, o sol, a areia quente e outros obstáculos – como frisbees, crateras na areia escondidas por toalhas e bolas de raquetes – para nos trazerem um dos maiores prazeres estivais de Portugal. Muitas destas pessoas são ainda parte integrante da história de cada praia, personagens que completam a nossa experiência balnear.

Queremos encontrar pelo menos 10 pessoas, de Moledo a Montegordo, que mereçam este destaque.

Mas antes queremos saber em que praias se vendem, quem vende as melhores, e quem é mais digno de atenção em cada praia.

Para tal, precisamos da vossa ajuda. Nas vossas praias habituais ou visitas ocasionais, certamente se lembram destas pessoas.

Queremos o máximo de detalhes que nos possam dar: os nomes das praias, e se possível também o nome dos vendedores, de forma a completarmos o nosso mapa da costa portuguesa em Bolas de Berlim.

Gostaríamos de ter toda esta informação até dia 7 de Setembro por isso pedimo-vos que sejam rápidos!

No Flickr descobri dois: um de Alvor e outro de Oeiras. E também umas Bolas de Berlim particularmente divertidas.

20 comments » Write a comment

  1. Chamem-me picuinhas mas não posso deixar de informar que não existem vendedores de bolas de Berlim em Moledo ou em qualquer praia do Minho que conheça… sempre achei que era uma tradição de praia do centro e sul do país. No Norte, lembro-me de se venderem gelados e línguas da sogra..

  2. Olá, sou uma visita habitual por cá, mas hoje decidi comentar… e como diz a Helena é mesmo só para ser picuinhas e chata, mas cá fica: apesar de ser “a pastelaria”, é o Natário, de Manuel Natário, aliás Capitão Natário de Jorge Amado, cantam as estórias por cá.Mas sem dúvida, não há bolas de berlim na praia, mas há quem venha da praia a correr para comer as do Natário!

  3. Na praia da ilha de Tavira há um personagem inesquecível, o Mário das bolinhas! Marcante não só pela energia com que percorre o areal e pela rapidez com que “despeja” inúmeros cestos cheios de bolas (sem creme) pelos veraneantes, mas principalmente pelo seu bom humor. Era impossível ficar indiferente ao seu grito: “boliiiiiinhas”, prolongando o “iiii” até ficar sem fôlego para só depois rematar a palavra com a última sílaba. Era também hilariante nas piadas que fazia com os clientes, principalmente com as crianças, e mesmo quem adormecia ao sol e acordava com o seu grito não podia deixar de lhe sorrir.

    Quando o conheci, há talvez uma década, já tinha certamente mais de 30 anos e distribuia bolinhas desde os 6 anos de idade! Terá certamente muitas histórias deliciosas e divertidas para contar!

  4. Ohlala, ça me rapelle des souvenirs cette photo. Mais à la mer du nord. “Bouules de Berlin!” tellement délicieuses avec un peu de sable venu se coller dessus. Merci Rosa pour ces réminissences.

  5. Neste verão apercebi-me de um facto: no algarve “chovem” bolas de berlim na praia, se calhar mais que em lisboa e arredores. Será impressão minha? Até na Ilha de Tavira que nunca mais acaba, os senhores e senhoras aventuram-se pela areia com as suas bolas de berlim.

    Eu que sou viciada agradeço :)

  6. Olá, Rosa!

    A dona (direi antes, esposa do dono)da padaria Ribeiro trabalha aqui mesmo, na mesa à minha frente :-) O que lhe vale é não gostar de doces (há gente com sorte?!)

    *

    MJ

  7. Pois, tenho que concordar com a Marta, também em Lagos (Praia da Luz) há uma enchente de Bolas de Berlim. O “moço” aparece por volta das 13h e novamente à tarde pelas 18h. Confesso que eu e o J. somos viciados. Compramos todos os dias, mas no último dia de praia… pelo menos duas a cada um! É a despedida, uns 10 banhos e no fim a recompensa: redondinhas, sem creme, com açúcar e com sorte, quentinhas! “Olhááá B’linhaa, B’linhaaa!”

    Aqui por terras do Lis a tradição é mais a “Bolacha Americana”. Muito desensabida para o meu gosto, e nos últimos tempos com tendência a mirrar cada vez mais.

    A ideia de uma espécie de roteiro gastronómico das praias portuguesas parece-me fantástica!

  8. Quem frequenta a ‘Praia do Barril’, Santa Luzia, Tavira, não fica indiferente ao Sr. (compro bolas de Berlim à mais de 20 anos e não é que não sei o nome do Sr.! … nunca me ocorreu perguntar!) … que desde manhã cedo até ao por do sol lá vende as suas bolas de Berlim (segundo me disse, em alguns domingos despacha mais de 400!), para mim as melhores bolas de Berlim do mundo (será apetite veraneio?)… quentinhas, a massa é muito fofa, consistente, por 1€ temos direito a uma bola de Berlim grandiosa, suculenta, edílica!

  9. … é só para acrescentar uma pastelaria maravilhosa em Lisboa, a ‘Pastelaria Astro’, na Av. Guerra Junqueiro: “Pão, Bolos e Pasteis, além da cafetaria, onde servem refeições, rápidas, têm uma imensa variedade de bolos e doces tradicionais de todo o país”. Os meus ‘apetites de grávida’ fora lá plenamente satisfeitos (Bolas de Berlim, pasteis de nata, Travesseiros de Sintra, queijadas, pasteis de Tertugal, …)!!!

  10. Uiiii! Croissants prensados com queijo!!!

    De Inverno quando tomo o pequeno almoço fora é obrigatório! Ao princípio aqui no Algarve ainda me perguntavam o que era prensado…agora já me conhecem!!!

    Nas praias de Albufeira também há BOLLLLIIIInhas com fartura…mas nada do tipico de antigamente com a caixa de metal cheia de prateleiras como a D. Rosa da praia de S. Pedro do Estoril!!! É pena!

  11. Olá! Realmente o Algarve está cheio de Bolas de Berlim pelas suas praias. O que é Bom. Aqui, na Ilha de Faro, há um particularmente interessante, porque não pára, quase não dá tempo para o chamar! Ele segue o seu caminho como quem tem uma missão no mundo, outra que não vender bolas de Berlim!:)

  12. Já não há é bolas de berlim com creme. Chuiiifff!!! A ASAE proibiu, o creme estragou-se a partir de 2006. É pena!

  13. Espero não estar atrapalhando o projeto com meu comentário. Mas sou uma admiradora – embora conheça pouco – da pastelaria tradicional portuguesa, sobre a qual tenho muita curiosidade.

    Então alguém poderia me explicar o que são bolas de Berlim? São como sonhos recheados?

  14. Visito o teu blog regularmente… hoje não pude deixar de comentar… bolas de berlim na praia é algo sem o que não se passa na praia de carcavelos…

    Não é praia de que goste no verão porque está sempre cheia, mas como sempre conheci aquela praia… verão e inverno… sempre foi a minha praia…e ainda por ali perto moro, não custa nada (bem pelo contrário!) passar por lá e comer uma bola de berlim da Dona Graça… uma senhora de pernas grossas e bronzeadas que deve ter pelo menos uns 60 anos e corre a praia a vender as melhores (sem qualquer sombra de dúvida as melhores) bolas de berlim que alguma vez comi. Como tem muitos clientes estão quase sempre (pelo menos) mornas, fofinhas… não dá… são irresistiveis!! Recentemente descobri que é a namorada do Sr. Morais que também vende bolas na mesma praia… São uma dupla linda… só isso… linda!

  15. De vez em quando cusco por estas partes. Cusco sobretudo o artesanato e foi por acaso que vi a foto da senhora dos bolos.Para já digo que esta senhora vende umas bolas maravilhosas(com creme) e aquela caixa inconfundivel na Praia da Saúde (Costa da Caparica) faz as delicias do pessoal que por lá passa. A D. Cristina vende bolos fresquissimos, e umas filhoses feitas por ela, maravilhosas. Apesar da azae os bolos esgotam todos os dias e por isso não há o perigo de estarem fora de prazo.Espero continuar a vê-la e a comer os seus bolos, por muito tempo nesta bela praia.

  16. Conheço o Natário de Viana e a Padaria Ribeiro do Porto. São excelentes. Acrescento a Confeitaria Moura em Santo Tirso, com os seus inegualáveis Jesuitas que esgotam sempre e o Ao Bom Doce de Vila do Conde.

Comentar