de volta

quer

Ainda não se nota muito, mas estou de volta. Tenho emails por responder e encomendas por terminar. Alguns tecidos novos que trouxe para os slings já estão aqui e a um deles, bom para bebés de Inverno, chamei Nazaré.

Procuro: tema para um possível texto (máximo 3200 caracteres) a publicar num jornal diário (o convite chegou-me ontem). Para o blog nunca me faltam ideias mas assim parece que sinto mais o peso da responsabilidade…

PS: troquei a fotografia deste post por outra mais bonita.

24 comments » Write a comment

  1. vejo por aqui uns slings que poderiam perfeitamente ser para mim… no futuro! ;)

    espero que as férias tenham servido para recuperar energias e ganhar, ainda mais, inspiração.

    beijos.

  2. E que regresso…já vi o tecido novo para os slings, lindo!

    Quanto à escrita diária, só podia ser, tinha que acontecer mais dia menos dia, parabéns! Sobre o tema: não me atrevo! Ou talvez: reinventAR…

    abrangente, desafiante…só uma sugestão.

    Benvinda!

  3. Viva a Nazaré :)

    Estive numa loja da Nazaré que vende uma montanha de axadrezados, todos tão bonitos e tão típicos!

    Boa sorte para o texto!

  4. mas é um jornal temático? é uma espécie de diário? textos generalistas ou sempre ligados ao craft? diz lá para ser mais facil ajudar!:-)

  5. Eu acho que deves falar sobre o que de melhor falas: vida de mãe de duas crianças. E a propósito delas desenvolveste o teu trabalho, pesquisas, fotografias…

  6. E eu também! Mistura tudo: crafts, crianças, história de umas e outras (ou seja, história do artesanato, história da infância…). Parabéns pelo convite!!!

  7. ola gira!

    temas: tens tantos no teu blog- a tradiçao, recuperaçao do antigo, pirataria, familia, ate o teu blog é tema… fãs que te lêem…

    :)

    manela

  8. Sem dúvida, estou com a Maria João e com a Carla. É um tema que não podemos deixar esquecer. Tu tens a “faca e o queijo na mão”.Tenho esperança de que com estas pequenas acções se consiga re-valorizar o artesanato/ arte portugueses.

    :*

  9. Sou visitante assídua do teu blog,embora só hoje comente.

    Tens uma vida cheia de experiências como mulher como mãe e como artesã, neste último capítulo não te cansas de imaginar, projectar e depois concretizar a obra, isto tudo serve para ocupares o tempo o que te realiza com toda a certeza. Talvez se falasses desta faceta em pormenor para as camadas mais jovens que tanta dificuldade vão tendo em arranjar ocupações que não passem pela televisão, jogos de computador e outras coisas do género.Era bom que aprendessem como se pode imaginar e concretizar obras feitas à mão e a satisfação que isto pode trazer…

    Obrig.

    Terec

  10. Sou visitante assídua do teu blog, mas só hoje comento.

    Tens uma vida cheia de experiências, como mulher,mãe e artesã, neste último capítulo tens muito a dizer, desde o imaginar,projectar e depois concretizar a obra, tudo isto te ocupa muito tempo e te dá concerteza uma enorme satisfação e realização. Tentar transmitir isto às camadas mais jovens que tanta dificuldade vão tendo em ocupar o tempo sem passar pela televisão, jogos de computador,cafés, bares e outras coisas do género. Mostrar-lhes como é bom imaginar algo e

    depois fazer, dando o teu trabalho um pouco como exemplo.

    Obrig. pela oportunidade

    Terec

  11. olá, ainda bem que estás de volta. Em relação ao tema estou de acordo com a MJ acho que “Limbransa” é interessante, mas depende do contexto do jornal também.

  12. olá Rosa

    welcome back.

    encontrei muito por acaso esta foto num site de “celebridades” (!) mas arrisco mesmo assim a enviar-te o link porque acho que o bebé slingado (e satifeito)está com um ar descontraidíssimo e super-confortável.

    http://www.people.com/people/gallery/0,,20057574_3,00.html

    Espero que gostes.

    bjs

  13. Parabéns Rosa. Depois deixa seber qual o jornal, gostava de ler o artigo. De certeza que saberás escolher o melhor a dizer.

    A A. está já a treinar as pontas!!…que linda bailarina!

    *MJ

  14. Olá! Chamo-me Joana e escrevo da Figueira da Foz.

    Não sei bem como dei com este blog, mas achei o nome curioso ( o blog que faço pa a minha filha de 6 meses chama-se historias da ervilhinha ) e por isso decidi “espreitar”. ADOREI as bonecas!!! Onde posso comprar? E já agora…preços?

    Tenho amigas à espera de bébé que de certeza que iriam adorar receber uma…

  15. Benvinda. I think all of the suggestions above would make really interesting reading (motherhood, crafts etc) but I was wondering if you did have total liberty in what write? Do you have any unexplored ideas or projects that it would be an opportunity to run with? It might be a personal project, or some dream for your community or for crafts in portgual – whatever. There’s lots to lament in terms of lost arts, and there’s a need for documentation; there are many challenges in our society or motherhood.

    But if you have any constructive idea about how things might be different- however fanciful the idea or scheme my seem, I suppose i’m daring you to dream about it and share it!

  16. Olá!

    Apesar de não ser um tema muito simpático e ter mais a ver contigo falares (e fazeres) de coisas bonitas sugeria que falasses sobre plágios porque pode ser que assim aprendam a distinguir um original de uma cópia foleira. Eu sou designer textil e, nas fábricas onde trabalhei, copiar nas feiras e em catálogos estrangeiros era O TRABALHO do designer! Porque o que era bonito e vendia não era um trabalho cuidado e pensado para um mercado português mas a cópia de uma quqlquer marca de sucesso! Acho isso escandaloso (e viu se o que fizeram numa t-shirt pavorosa) e desisti de trabalhar em fábricas!!

  17. Não sei se percebi se será só um artigo, ou se serão diários. Seja como for a minha sugestão vai para “(Vida de) mãe (de duas) e trabalhadora independente no sec XXI” Assim dá para falar de tudo e sobretudo das vitórias alcançadas.

  18. Em minha casa há uma fotografia igualinha a essa: foi tirada há 32 anos pela Teresa Sisa aos pés da minha irmã mais nova. Fiquei parva quando vi esta. Na fotografia a minha irmã está a espreitar para um tanque de granito, mas´como aqui só se vê os pés e a ponta do vestido, até o vestido podia ser o dela, há 32 anos.

Leave a Reply

Required fields are marked *.