remade in portugal

re-made in portugal

re-made in portugal

Taça Attitude, de Alda Tomás (Portugal) e porta lápis, Tramando S. A. (Argentina)

Fomos ver a exposição Remade in Portugal, na Estufa fria. Trata-se de um projecto originalmente italiano, com o objectivo de incentivar as empresas ao desenvolvimento de produtos realizados com material reciclado, que apresentem um desenho original e qualidade de produção. Estão expostos os resultados das edições estrangeiras da iniciativa e as peças concebidas pelos vários criadores portugueses convidados. Pode-se mexer, sentar, experimentar e ler nas legendas do que é feita cada uma. Pela composição inesperada, destacam-se as taças de Alda Tomás (ainda por cima muito bonitas), 50% feitas de lamas de uma ETAR mas, em geral, a representação portuguesa não fica em nada atrás das anteriores.

Creio que seria igualmente interessante, numa iniciativa do género, mostrar como (ainda que por razões diferentes – de economia e necessidade, e não de consciência cívica/ecológica) o reaproveitamento e mesmo a reciclagem são práticas de sempre e não uma novidade. Na produção têxtil, que conheço um bocadinho melhor, os exemplos são múltiplos e óbvios: dos tapetes de trapo às mantas de retalhos, passando pelos chinelos de ourelos, bolas para brincar, etc. Isto para não falar nos usos (em desuso?) dos desperdícios da indústria no dia-a-dia: aqueles emaranhados de fios a que nas garagens se limpa(va) as mãos, o baetão cinzento que agora não se encontra. E por falar em baetão, na exposição há uma secção muito interessante dedicada a uma base de dados de eco-design italiana, a matrec. Um dos materiais em exibição chama-se pannotex e é primo direito do nosso baetão de desperdício. Aliás, quase que aposto que daria uns bons quilts…

Ainda a propósito, um link há meses em carteira: Alentejo Bowls de Daniel Michalik.


re-made in portugal

re-made in portugal

remade in portugal

9 comments » Write a comment

  1. Olá Rosa,

    Conheci a Tramando, por acaso, no início deste ano e fiquei completamente apaixonada pelas peças desta marca.

    Esse porta-lápis encontra-se na exposição Remade in Portugal? Nunca tinha visto peças deles por aqui.

    Muitos Parabéns pelo site.É sempre uma lufada de ar fresco. :)

  2. Adorável e muito interessante este seu post Rosa.

    Os sapatos de ourelo conheço-os bem são da minha terra!

  3. Ola Rosa,

    O BAETÃO cinzento…ainda se encontra…

    eu tenho umas bonecas feitas de baetão (textil reciclado);

    na loja que mas vendiam, a dona, a Catarina, dizia

    -Olha faz-me mais uma daquelas bonecas,

    as feitas de pano de rodilha (aqui rodilha, significa pano de lavar o chão)

    E eu riaaaa…

    realmente o baetão não é lindo!

    mas é quente, e um bom Baetão vale muito e dá um bom cobertor por pouco dinheiro…

    Já agora, o nome das bonecas feitas de Baetão, foi , Botão.

    e ninguem percebia porque….

    e eu ria ainda mais….

    mas pronto,

    não se pode exigir que todo o mundo tenha cultura textil….é um tema muito especializado,

    :)

    a,

  4. tenho que confessar que estou aqui cansada de dar voltas e não percebo como funciona aquilo para os lápis… mas a taça é linnnda!

  5. Depois de visitar a Remade sai de lá um pouco desiludida. Embora seja uma iniciativa importante para alertar consciências e para estimular a industria. Torna-se um pouco dúbia na parte de educação ambiental ao fomentar acima de tudo a reciclagem de materiais. A reciclagem deve ser o último recurso, devemos antes reutilizar e principalmente reduzir para construirmos uma sociedade sustentável. A reciclagem pode ser um factor muito positivo mas pode também, dependendo dos processos e dos materiais a reciclar, implicar elevados custos ambientais e económicos.

  6. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » re-made in portugal 2010:

Leave a Reply

Required fields are marked *.