shop update

#718

Três Dois novos bonecos e dois novos slings na loja. Um deles é em malha polar, já a preparar o Inverno e, por falar em slings e tempo frio, aproveito para explicar que o sling se veste por baixo do casaco, e não por cima. Não só é muito mais confortável como faz com que o bebé fique protegido do frio pelo nosso casaco (a mim deu-me imenso jeito nos primeiros meses um casaco de malha de grávida, que fechava por fora do sling).

Queria agradecer todos os comentários ao post anterior e chamar a atenção especialmente para os testemunhos da Isabel Ventura e da Conceição Ferreira. Num refere-se o hábito de levar crianças pequenas para o campo em gigas (cestas) e no outro (tcharam!) a forma como na beira litoral as mulheres seguravam os bébés com auxílio do xaile. Em Portugal e em pleno século XX! Sinceramente, é por isto que me dá gosto ter um blog. Se alguém tiver imagens antigas ou modernas destas práticas e quiser partilhá-las, por favor entre em contacto comigo, aqui nos comentários ou por email. Obrigada!

baby slingBaby sling

#718#720#721

7 comments » Write a comment

  1. Acabo de recordar que tengo una foto de una pasiega con un cuévano-cuna (explico esas palabras en el comentario que dejé en el tema anterior) tomada cuando la transhumancia pasa por el centro de Madrid en noviembre para recordar la importancia de las cañadas reales (o como se llaman ahora en “eurospeak” las “vias agropecuarias”).

    Hoy en día no creo que se sigan usando los cuévanos-cunas más que como parte del traje folkórico, pero si te interesa la foto te la envío.

    (Si prefieres que te escriba en inglés o en francés dímelo. Lo siento pero no hablo portugués.)

  2. Rosa, imaginar um bebé no sling e ainda dentro do casaco da mãe/pai só me faz pensar “Amor”. Muito Amor… obrigada. Vou chorar um bocadinho :)*

  3. Eu espero que alguém em ofereça um sling no Natal lol, dps eu compro outro e dps alguém me oferece outro no nascimento hihih

    E cá ando á espera de um boneco sem braços, é certo que não explorei as lojas, mas já sabes se houver diz-me.

  4. Nós só somos aquilo que recebemos e damos aos outros. Só assim é que crescemos. O que um tem, outro já ouviu falar e o outro nunca mais vai esquecer.

  5. Ola Rosa,

    a proposito do post anterior:

    Recordo-me de ver as minhas tias da Beira Baixa a transportarem os meus primos mais novos dentro de uma manta de la, especie de xaile, a caminho da ribeira local (Ribeira do Paul)onde iam lavar a roupa (em meados dos anos 70, as maquinas de lavar roupa eram poucas e a agua da ribeira era pura e limpa); enquanto a roupa era lavada e posta a corar ao sol, os mais pequenos brincavam ou dormiam dentro dos alguidares de folha

  6. Rosa: Só depois do comentário da Conceição me ocorreu que na zona de Mira (terra dos meus avós) é assim que andam AINDA os bebés, nos xailes das mães. Devo ter fotografias, se calhar de mim!, embrulhada dessa maneira. Vou procurar.

  7. Nada a ver com o post, mas sim com a foto. Como a Amélia está parecida com a Elvira!!! :)

    beijos

Leave a Reply

Required fields are marked *.