porta-bebés (2)

071119_Giotto-di-Bondone.jpg

Giotto di Bondone (c. 1267 – 1337), A fuga para o Egipto. Fresco da Cappella degli Scrovegni.

Tal é a quantidade de imagens com que me tenho regalado desde este post, que vou precisar de vários só para partilhar as minhas preferidas. A algumas cheguei sozinha, outras foram descobertas pela Mary e há poucos recebi um email da Hungria graças ao qual percebi, entre outras coisas, que o Menino mais célebre da arte ocidental foi representado mais vezes num sling do que eu pensava. Deixo para outra vez os bebés em cestos de muitos feitios e continuo a minha pesquisa de bebés portugueses enrolados nos xailes e capuchas das mães, irmãs e avós. Aqui fica uma amostra das técnicas europeias de cerregar os bebés com as mãos livres, algumas delas usadas desde a antiguidade até aos dias de hoje.


Encontram-se porta-bebés sobretudo onde há gente em movimento. Procurem-se mendigos ou ciganos e lá estão eles, mas todos os viajantes, de pequeno ou longo curso, sabem que os braços ficam cansados quando o colo é prolongado. Dentro de casa também.

O site mais interessante que encontrei, fruto de muita pesquisa, foi o russo Slingokonsultant. Com a ajuda do babelfish consegue-se perceber boa parte e aprender, por exemplo, a técnica do avental, usada para carregar crianças até aos dois ou três anos, em casa, no campo e nas expedições em busca de cogumelos.

Quanto a imagens, acho que nenhumas me comovem mais do que estas, tiradas a emigrantes europeus na sua chegada ao novo continente (as generosas bibliotecas norte-americanas são um vício para quem é capaz de perder horas a ver fotografias antigas):

Germans. Digital ID: 495066. New York Public Library

[Slovak woman and children.] Digital ID: 418048. New York Public Library

Imagens da NYPL Digital Library (clicar para mais informação).

A técnica de segurar o bebé com um xaile que se vê na imagem de baixo é conhecida de muitas avós portuguesas. Quem a conhecer ou tiver imagens e quiser partilhá-las, por favor avise!

16 comments » Write a comment

  1. Estas tuas pesquisas são fascinantes.

    (Não tens vontade de retomar o teu projecto de terminar o mestrado? – a mim, que sou uma leiga, este parece-me um bom tema…)

    Não tenho deixado muitos sinais da minha passagem, mas continuo fã do teu blog.

  2. Espectacular! Obrigada pela partilha!

    Tenho visto as ciganas romenas que andam pelas ruas de Lisboa de bebé a tiracolo suportado por uma tira de pano que põem a tiracolo, tipo sling mas muito mais estreito e nada acolchoado. Pergunto-me como é que se ajeitam, porque o apoio parece pouco para tanto peso…

    Beijos!!!

  3. Muito, muito giro. Adorei a imagem do menino Jesus ao colo da virgem Mãe. Faz todo o sentido, e a imagem é bastante familiar, a minha atenção é que nunca lá tinha estado. É claro que transportar os filhos e ter as mãos livres foi sempre essencial. É óbvio. É um trabalho lindo, o teu Rosa, tanto o criativo, como o de pesquisa e de dedicação. Parabéns.

  4. A primeira foto a p&b é um espanto. As saias compridas são lindas e gosto tanto de ver as meninas com o xaile cruzado à frente. Fico a imaginar a situação que se terá proporcionado a tirar a fotografia…

  5. perguntei ontem à minha avó sobre porta-bebés e ela diz que também se lembra que algumas mulheres aqui (no Algarve) carregavam os filhos usando um lenço, principalmente na altura da ceifa em que tinham de se deslocar para longe. fotografias é que não tenho, mas pela descrição que me fez suponho que seria como mostra a última fotografia.

  6. I have been thinking, Rosa, that this is in fact is a fascinating subject you are studying …(that apron technique is amazing!)The extent of our imagination due to necessity is so evident here.

    Mary

  7. Eestou adorando a série, Rosa! Hoje mesmo eu estava lendo um texto do Darnton (O grande massacre de gatos) sobre a história da mentalidades e ele relata, entre outras coisas, o folclore no antigo regime. Os adultos não paravam de trabalhar um minuto sequer à época e por isso as crianças precisavam ser “embaladas” para que o trabalho rendesse o que deveria…

    A minha contribuição: fotografia de um pai aventureiro com um acessório fantásico e que me parece indispensável: http://flickr.com/photo_zoom.gne?id=1252773105&size=l

    Grande abraço!

    dani

  8. Maravilhoso! :) (A primeira fotografia é lindíssima.)

    Nunca tinha dado pela existência de um sling nas pinturas de Giotto… O_o ;)

  9. Só a Rosa para se lembrar de tal pesquisa. Admirável. É vísivel a paixão pelo que fazes, e um optimo exemplo de como é bom e interessante conhecer bem a história daquilo que andamos a fazer.

    Algo me diz que um dia, ainda vamos ver por aí um ou mais livros com autoria Rosa Pomar :)

    Felicidades

Comentar