carnaval

...

Desta vez estava preparada para a ouvir pedir-me um fato de princesa disney, mas anunciou-me há uns meses que decidira mascarar-se de fada chinesa e que só precisava de umas sabrinas novas. Ainda pensei que, nos dias que correm, a opção não fosse politicamente correcta mas demos ambas o assunto por arrumado. Ontem fomos comprar as ditas sabrinas e trouxemos um irresistível pijama de esqueleto dos saldos. Tão irresistível que pela hora do jantar a fada chinesa tinha sido substituída pela fada esqueleto. Não me ocorreu interferir ou contrariá-la e esta manhã lá foi, feliz, de pijama preto, asas, sabrinas, luvas e varinha cor de rosa, tal e qual como queria. Quando a fui buscar estava cabisbaixa. Todas (mesmo todas) as meninas estavam vestidas de fadas, princesas-fadas, fadinhas, rainhas ou belas-e-o-monstro (que é feito das noivas do Minho, palhaços, mulheres da Nazaré, índias, bruxas, joaninhas e outras que tais?). Desatou num pranto sobre ser igual e ser diferente, que se tinha arrependido, que queria estar de saia e que o esqueleto tinha sido uma péssima ideia. Tentei consolá-la com um vago discurso sobre as vantagens de ser original e de ter imaginação, mas sem grande resultado. O pior de tudo, disse-me em segredo, foi não ter ouvido dizer às outras crianças que estava bonita. Mas estava.

41 comments » Write a comment

  1. rai’s parta, pá!

    é mesmo verdade que não há variedade nenhuma (nem se trata já de ter ideias novas). vão todas de igual…

    um beijinho à maravilhosa elvira!

  2. As criancas nao sabiam, que ha por ai um blog, onde todos podem comentar o fato da menina E.

    Menina E!

    Estiveste mesmo muito bonita e muito original.

    O que conta na vida, nao ser igual aos outros ou os elogios quando se esta igual a todos, mas ter a sua alma, as suas ideias, os seus gostos e sonhos …e segui-los.

    E o que TU ja FAZES.

    PARABENS!!!!e CORAGEM! Nao pares!

  3. oh elvira as meninas fadas e as meninas princesas, e as rainhas e as belas e os monstros vivem todos os dias na tua cabeça e nos teus desenhos e nas historias que te contam na escola e nos filmes que te mostram na escola. e todas as outras meninas as conhecem e sonham com elas e as desenham. mas só tu é que descobriste que todas elas – as princesas e as rainhas e as fadas – lá por baixo dos vestidos e dos cabelos louros são assim como tu com esses ossinhos engraçados e complicados que se juntam nuns sitios e se separam nos outros, apesar das asas e das varinhas mágicas. hoje ensinaste uma coisa nova aos outros meninos e o mais interessante é que eles ainda nem deram conta. e um dia destes vão-te pedir para levares esse pijama outra vez para a escola e tu vais lá chegar muito vaidosa com ele, e se os crescidos de lá forem espertos vão ensinar muitas palavras novas às meninas dos vestidos de princesa. e tudo porque tu descobriste, que as fadas são assim mais ou menos como nós e decidiste mostrá-lo a toda a gente.

  4. De todas as fadas a E. foi com certeza a mais bonita.:)

    E original também o foi, pois de certeza que não havia mais nenhuma fada-esqueleto.

  5. A E. estava muito gira! E hoje cresceu muito.Mais do que todas as fadinhas “perfeitas” que apesar disso se sentiram da mesma forma que ela. Mais cedo ou mais tarde as crianças têm de se confrontar com essas batalhas e quanto a mim é melhor mais cedo do que mais tarde. A capacidade de encaixe é maior.

    beijos para ela.

  6. :D ela não estava linda, ela estava mesmo genial! ;)

    e diz-lhe que estava tão fantástica que eu chamei o gonçalo para ver a fotografia à tarde ;)

    eu passei pelo mesmo, no início chateava, depois tinha mesmo piada ser sempre a diferente de todas as outras meninas.

    e nessa altura é impossível consolar.

    =)**** muitos beijos para a fada mais linda e original.

  7. Elvira

    Eu nunca em 37 anos ouvi falar de uma fada esqueleto! Adorei.

    E claro que as meninas gostam de fadas. São tão lindas!

    beijinho

    Mary

  8. Temo que a minha filha vá passar o mesmo e é de partir o coração. Ver a nossa filhota não entender que a diferença é o que a destaca da multidão e o que lhe dá valor.

    Também passei por isso em pequena. E ainda hoje acontece. Mas ao contrário do passado hoje sinto-me abençoada com tal diferença.

    E essa menina linda cheia de um mundo mágico só dela, não viu que ela sim, era a Rainha. Pois as outras fadas e princesas eram todas iguais e as Rainhas das fadas e princesas destacam-se sempre da multidão. Para quem não as conhecer perceber de imediato quem são.

  9. Eu também cheguei ontem à escola e encontrei a minha filha mais velha a chorar. Pela mesma razão de fundo mas, curiosamente, em circunstâncias de sinal rigorosamente oposto. O que não deixa de ser curioso e motivo de reflexão. É que este ano a escola decidiu ir “contra” a invasão de fadas&princesas&homens aranha e propôs aos pais fantariarem os filhos dentro do tema que estavam a desenvolver: a Segurança na escola. E sugeriam: policias,bombeiros, enfermeiros, sinais de trânsito, semáforos, manguieras, fogo, etc, etc. Como era previsível, a esmagadora maioria das crianças apareceu de polícia, bombeiro e engfermeira, já que são os fatos disponíveis no mercado a os pais não têm nem tempo nem talento para fabricar algo diferente. Tentei, em vão, convencer a T. a ir de detective Sherlock ou parecido porque me parecia a única coisa suficientemente original, dentro do tema e acessível à minha completa falta de jeito e tempo…à últimas hora desistiu, queria mesmo ir com o fato de espanhola da prima, tão bonito, e convenceu-me que a maioria das outras meninas também ia do que queria e não do que a escola pedira. Mas isso não sucedeu. Estavam todas ou quase todas de polícia e enfermeira. A T. estava obviamente muito bonita e, ironicamente, naquelas circunstâncias, mais original. Mas as crianças, no seu instinto de sobrevivência ( e alguma crueldade) fizeram pouco dela…e também não lhe disseram que estava bonita!

    O que fazer? Nada. A lógica do grupo é imbatível e a inveja um sentimento muito…humano. Ela vai ter de aprender com isso assim como a E. que estava também muito bonita.

  10. Nem imaginas como a percebo. Também sou mãe de duas e sei bem o que isso é… Aprender que a diferença é boa, saudável e para estimular não é fácil, e muito menos nessas idades…

    Sim, ela estava linda. Mesmo muito! Uma sugestão: compra-lhe o livro “Não faz mal ser diferente”, Todd Parr (FNAC); faz parte do Plano Nacional de Leitura (não é que isso seja um “plus” mas faz) e tem a ver com uns desenhos animados que passam no Canal Panda. A minha filha de quase 4 anos passou essa fase e agora acha que ser diferente é o máximo. Este ano quis-se mascarar de Homem-Aranha e decidiu que fadas e princesas é só para “pirosas”.

  11. A fada-esqueleto está muito original!! a minha foi de Joaninha, ainda consigo fugir às máscaras da Disney e à grande comunidade das princesas…até ver. Quando a E. for mais crescida irá gostar muito de ler este post, certamente!

  12. Já deixámos um comentário no flickr, mas aqui fica outra vez, para não haver dúvida alguma: eu e a alice achamos que ia muito bonita.

  13. Querida elvira…!

    Confesso que me ri; ri-me baixinho ao mesmo tempo que anuia e me vinham a memoria situacoes identicas,alturas em que,ainda pequena, nao estar em “conformidade” com o mundo foi um desapontamento…ri-me baixinho, porque ainda hoje assim e .

  14. Que interessa ser a mais bonita?

    O que importa mesmo é ser a Fada mais Fixe da escola!!

    e esse título ninguem lhe tira!

    isso e o de fazer os melhores bolos semi-envenenados para bruxas do mundo!

    eu que o diga, que os provei (“mas só a parte de fora que não tem veneno”).

    Beijo grande para ela

  15. também quis muito ser dama antiga, cor de rosa, como as colegas em outros anos, certo carnaval a minha mãe decidiu fazer-me um fato todo de papel de dama antiga. Convencida regressei vencida pois todos os meninos tinham fatos elaborados e pronto a vestir. hoje recordo essa noite de prolongado serão, em que a ajudei a colar as flores de papel crepe no chapeu, com um doce sorriso no rosto…

  16. Achei a máscara que a E. escolheu deliciosa, tão querida… Muito original, compreendo que não terá sido fácil o dia junto de tantas fadas e princesas a reluzir por todo lado, mas este vai ser concerteza um Carnaval que ela jamais vai esquecer, aconteceu-me os mesmo a mim, quando por auto-recriação, mascarei-me de pasteleiro numa geração de damas-antigas, foi o pior Carnaval na minha vida, mas o único que ainda hoje recordo… ;)

  17. ai, tadica, difícil fazê-la entender, né? Mas faz parte de crescer e ela estava mesmolinda de fada esqueleto! Acho que vc devia contar pra ela do tanto de gente que veio aqui dizer que ela estava linda! : )

  18. O que a Elvira não sabe é que as fadas-esqueleto são especiais e têm uma magia que ninguém consegue imitar, por isso é que ela era a única.

    Um grande beijinho de consolo para a linda fada-esqueleto :)

  19. Olhem, Rosa e E., é tudo uma questão de idade. Nos anos anteriores a M. foi de princesa e de chinesa. Este ano, depois da carecada que teve de levar por causa dos piolhos, demos a volta à situação com o disfarce de Joana d’Arc – uma roupa de guerreiro medieval, mais um elmo e uma capa com flor de lis feitos pelos avós. Lemos-lhe a história, realçámos o facto da Joana d’Arc ser uma rapariga CORAJOSA e nada PIROSA (e saltámos as partes das vozes vindas do céu…)e ela ficou toda contente. Era a única da turma que não ia de branca de neve, chinesa, princesa ou afim, mas ia super satisfeita e orgulhosa porque as professoras a elogiaram. Mas ela vai já a caminho dos 6, e no ano passado não teria sido assim…

    A Elvira, com a ideia da fada-esqueleto, bateu todos aos pontos no capítulo da imaginação. E, sim, estava muito bonita.

  20. Querida Elvira, estavas LINDA vestida de fada-esqueleto. Não só linda como também muito original. Não te arrependas.

    Beijinhos e um grande xi-coração.

  21. A Elvira está dando os primeiros passos rumo ao sofrimento e a felicidade de ser diferente. Que Deus a abençôe e não permita que ela perca essa personalidade tão difícil de carregar, mas tão gratificante quando vem de dentro de nossa alma.

    Durante toda a minha vida “sofri”por sentir diferente, por gostar diferente, por querer diferente. Mas vale a pena…

  22. Ai! Ese é un dos meus medos cando comece a escola a miña Z., que queira ser coma “a masa”, que queira facer o que fan todas, vestir igual, e que esqueza o especial que é. Imaxino que é unha fase do crecemento, pero aborrezo que a xente queira ser “como todo o mundo” e non sairse da liña para non sertildados de “raros”.

    A min gústame ser consciente da miña diferencia, non escoitar a mesma música, nin deixarme arrastrar, cuestionarme as cousas que me parecen fora de lugar…

    Estaba preciosa a E.

    Agardo que se me entenda ben en galego.

  23. oh… fartei-de de gabar o fato dela este fim de semana…! completamente tim burton!

    … mas percebo que, nessas idades, não seja fácil ser uma fada-esqueleto ao pé de todas as fadas-princesas…

    fica a compensação de percebermos nela uma menina cheia de imaginação… que, daqui a muitos anos, vai olhar para as fotografias e sentir-se orgulhosa de ser tão única :)

  24. Muito, mesmo MUITO BONITA! De certeza que vai ficar convencida que sim qdo lhe leres os comentários.

    Ainda não consigo perceber porque é que a questão da integração no grupo implica (quase) sempre a perda da originalidade (tanto o caso da E. como o caso que a Helena contou são demosntração disso mesmo).

    Não tenho nada contra as fadas ditas normais e as princesas cor-de-rosa mas uma fada-esqueleto é fantástica.

  25. Ela é linda e a fantasia fê-la mais linda ainda, porque era ela!

    A L. tb escolheu uma fantasia diferente de todas as outras e estava feliz, porque estava como ele é!

    Beijo mágico para a E.

  26. Estavas linda, Elvira! Linda mesmo! E um dia, qd fores mais crescida, vais perceber isso.

    Um beijinho grande para a fada mais gira que eu alguma vez tinha visto.

  27. Se um dia me perguntarem qual os posts que mais gostei de ler em meus passeios por blogs mundo afora, este, certamente, estará nos meus ‘top 10’. Obrigada!

  28. Olá Rosa,

    Às vezes também tenho a sensação de que o mundo das crianças (e também o nosso) está cada vez mais uniforme… O que é suposto vestirem, brincarem e gostarem… O Zé quis vestir-se de Robin dos Bosques, personagem que eu até pensava ser de agrado geral das crianças. Mas também ele veio um pouco triste da escola porque não elogiaram o fato dele e porque não o deixaram brincar nas brincadeiras por não ter espada ou pistola.

    E eu, por muito que pense que ele deve fazer o que gosta e não o que os outros querem, não consigo deixar de ficar triste e preocupada quando ele chega triste a casa porque, por um motivo ou por outro, foi excluído das brincadeiras pelas outras crianças.

    Ser mãe custa!

  29. Não se arrependam de educar os vossos filhos a fazerem a diferença, eles vão acabar por compreender e gostar. Eu fiz isso e não me arrependo, hoje tenho uma filha adolescente cheia de imaginação que não tem medo de ser diferente e até gosta.

  30. olá Rosa encontrei-te numa revista (blue design) e ainda bem! Já te tinha visto na 2: (a correr) logo não tinha conseguido decorar o teu nome…

    Em relação ao site…tens material fantástico! Este post…comoveu-me! um miminho à fadinha que com certeza sai à mãe e devia estar um espanto! ;)

  31. eu passei pelo mesmo há uns tempos porque deixei o meu filho comprar uma bicicleta cor-de-rosa e não o obriguei a trazer uma azul.

    é claro que foi chacota no parque… um menino de bicicleta rosa…

    ficamos a sentirmo-nos mal, é claro, mas no fim somos nós que estamos certas porque

    não os castramos de acordo com o socialmente-correcto.

    A E. estava muito bonita, original, e vai ser uma grande mulher como a mãe.

    :D

  32. Linda como a flor desabrochando!

    Criatividade e personalidade, eu sempre levava minhas bonecas ao comboio dos carrinhos dos meu irmãos, bolas-de-gude e bolinhos de lama conviviam harmônicamente… Sempre gostei de inventar as roupas e móveis de minhas bonecas e isso sempre me fez diferente, na escola aos meus 4 a 5 anos, o dia de levar o brinquedo era difícil pois eu era a única que não tinha uma Barbie, contornei a situação quando percebi que as bonecas de pano que minha mãe fazia eram sempre o centro das atenções, por serem únicas e cheias de amor.

    Aos 13 anos ganhei uma Barbie, tenho até hoje, mas tenho e faço muitas bonecas de pano, pois são minhas preferidas. Um dia aprendemos como os detalhes são importantes.

    bjs.

    Lua

    RJ – Brasil

  33. Hoy 18 de marzo he encontrado esta página Web con los muñecos de Rosa Pomar y me ha parecido MARAVILLOSA. Siempre ando buscando en la Red páginas que sean de MUÑECOS. Yo hago de tipo Country, pero con mi sello. Nunca me puedo ajustar a un tipo, a un modelo. Felicito sinceramente a ROSA por que hace cosas hermosas. Con cariño SILVIA.

    P.D. me gustaria saber si recibio este mail. Muchas gracias.

  34. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » e:

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.