mosaico hidráulico

mosaico hidráulico = Lúcio Zagalo

mosaico hidráulico = Lúcio Zagalo

Soube da existência de um fabricante de mosaico hidráulico em Estremoz pela revista K (ou seja, há mais de quinze anos), mas só graças a um comentário neste post fiquei finalmente a saber como se chamava. Hoje rumámos ao Alentejo para conhecer a Fábrica de Mosaicos Hidráulicos de Estremoz.

O Mestre Lúcio Zagalo faz mosaico hidráulico desde os catorze anos. Trabalhou em várias oficinas durante a juventude e acabou por abrir o seu próprio negócio. Na pequena fábrica (todos os mosaicos são feitos por ele numa única prensa) reúne cerca de dois mil (!) moldes diferentes, uns herdados, outros mandados fazer a gosto do cliente ou para trabalhos de restauro de pavimentos antigos. De cada molde podem sair muitos padrões, dependendo da forma como se usem as cores, pelo que as possibilidades são quase infinitas. Depois há ainda os lindíssimos mosaicos com fingido de madeira ou mármore, feitos com muita arte (desenhados individualmente à mão e sem molde). O melhor é ver, escolher e levar impresso, porque só uma ínfima parte dos desenhos está em exposição e o que apetece quando se lá chega é trazer um de cada.


mosaico hidráulico = Lúcio Zagalo

mosaico hidráulico = Lúcio Zagalo

mosaico hidráulico = Lúcio Zagalo

Atrás da oficina há um tanque onde os mosaicos fazem jus ao nome (esqueci-me de perguntar que papel tem este mergulho prolongado no processo de fabrico) e por todo o lado há quadrados empilhados e à espera de um chão ou espalhados numa espécie de mostruário informal.

Lúcio Zagalo

O Mestre Lúcio Zagalo é uma simpatia e não se cansa de falar da arte do mosaico. Mostra os materiais, as ferramentas e os processos enquanto vai exibindo todo ufano um molde que foi desencantar recentemente com um cisne e o respectivo lago. Mesmo a fazer lembrar os deste livro, que prometi enviar-lhe muito em breve.

mosaico hidráulico = Lúcio Zagalo

Chega-se à fábrica muito facilmente: sai-se da A6 em direcção a Estremoz. Ao chegar à rotunda que antecede a entrada na cidade, segue-se em frente em direcção a Portalegre. Vira-se pouco depois em direcção ao Centro de Saúde e depois é só seguir as placas que dizem Zona Industrial. Na zona industrial, procurar do lado esquerdo da estrada a placa da fábrica de mosaicos.

Ainda mais fotografias.

Ah, e o Sr. Lúcio vende o mosaico a menos de metade do preço da concorrência!

Mosaico Hidráulico = Lúcio Zagalo

68 comments » Write a comment

  1. a very interesting process. thank you for you sharing. I wish I could take some of these designs and make them into a quilt for my room. blues and browns.

    :)

  2. Obrigada Rosa por, mais uma vez, partilhares coisas fantásticas com quem te visita ‘online’.

    Esta textura também me fascinou :).

  3. Pois é…depois de vários contactos fomos à origem dos mosaicos.A Estremoz.

    Viemos muito contentes e agora as oito casas de banho e a grande entrada, estão já forradas e muito bonitas. depois de prontas tiro fotografias.

    Ainda tenho essa K.

  4. Obrigada por este post. Vou com muita frequência a Estremoz, porque é a terra dos meus avós e fiquei muito feliz de saber que ainda há mosaico deste há venda com variedade e bom preço.

    Vou guardar este post com cuidado.

  5. olá, Rosa

    Muito muito bem, e grande serviço que prestaste a esta fábrica!

    Vou já mandar o link do teu post para o meu arquitecto!!

    *

    MJ

  6. Também já fui a Estremoz. Os mosaicos de bolinhas brancas em fundo preto que vêm na fotografia são meus! Devem chegar a minha casa ainda esta semana.

  7. obrigada rosa, pela linda visita de estudo! muito curioso!

    padrões lindos! e as cores **)

    ‘:’

  8. Que maravilha! Enche os olhos!

    Por aqui são escassos o uso do ladrilho, e muitos antigos estão em péssimo estado. Mas ainda existem algumas pessoa com sensibilidade, que apesar do custo, os pedem em seus projetos arquitetônicos. Na casinha que alugamos para nosso estúdio temos duas áreas com eles, foi um dos quesitos que nos ajudou na escolha.

    bjs

  9. Já me tinha deparado com o teu fascínio pelo mosaico hidraulico aqui nas minhas andanças pelo teu blog, e pensei logo que te tinha de indicar o Mestre zagalo, que forrou o chão da casa de jantar e cozinha dos meus pais, por um desenho feito por eles. Fico contente que tenhas encontrado, pois quase sempre, penso em comentar os teus blogs, mas algo interrompe esse processo. Desta vez consegui, apesar de não ter nada a acrescentar. Depois mando-te umas fotos…

  10. Olá Rosa,

    Chamo-me Ana Evangelina, moro em Recife (capital de Pernambuco, Brasil)e leio o seu blog há algum tempo (acho que cheguei até aqui através da Fernanda Fonseca).

    Vendo a sua ‘paixão’ por mosaicos hidráulicos lembrei-me da minha infância porque meu avõ paterno tinha uma fábrica de mosaicos e a sua casa (que depois passou a ser nossa por herança)tinha quase todos os pisos dos cômodos de mosaico. Lembro-me que a fábrica (que era na minha cidade natal, Palmares)passou a ser do meu tio e que nós, os sobrinhos, íamos lá espiar a fabricação. Para mim era simplesmente lindo ver aquelas formas de ferro ganharem a massa e depois os pigmentos… e depois de todo o processo, as pedras eram expostas à venda…

    Pena que a casa precisou de reformas e depois de cinco décadas tivemos que substituir os pisos e assim perdermos aquela arte…

    Mas gravei na memória aquelas formas geométricas coloridas e sempre que vejo um piso de mosaico fico nostálgica…

    Gosto muito do seu blog e da sua arte, e assim como você, sou mãe de uma menina e depois de julho terei outra para fazer companhia à minha primeira.

    Deixo um abraço e felicitações por seu trabalho muito lindo,

    Ana Evangelina

  11. que boa ideia divulgar esta oficina tão artesanal. Através da tua insistência com o mosaico hidráulico é que me dei conta que em Portugal deve estar mesmo em extinção … efeito do marketing colossal da (quase sempre pirosa) Porcelanosa ?(no entanto em Espanha existem indústrias de mosaico hidraulico muito activas)

    Certos padrões reconheço da minha memória afectiva (casa de avós, etc.), um encanto este post.

  12. Rosa

    Em Coimbra houve em tempos uma Fábrica destes mosaicos, Fábrica de Mosaicos Rainha Santa sabel. Hoje já lá não está, pena pois o próprio edificio era muito bonito. Eu cheguei a assistir ao processo de fabrico e posso garantir que existem Mosaicos AS, era assim q o designavam, no Brasil e em Moçambique, e não sei bem porquê mas eles tinham muitos clientes alentejanos.

    Ah, penso q ainda existe no activo uma pequena fabriqueta destes mosaicos em Monte Redondo, perto de Leiria

  13. São lindos, fico tão contente por saber que ainda existem e posso um dia escolher um chão desses para mim :)

  14. Obrigada, obrigada, obrigada ! Os teus posts são autênticas histórias … Qua maravilha descobrir esse “Portugal” através do teu olhar ! Tanto entusiasmo, tanto amor à cultura … Hum, sabe mesmo bem !

  15. Vivi 5 anos numa casa alugada forrada a mosaico hidráulico, e agora que comprei a minha casa, fiz questão de os usar na cozinha, num padrão e cores feitos por nós.

    Mestre Zagalo, claro.

    O resto da casa é feito do mesmo material, mas em vez de ser em mosaico, é feito directamente no chão, numa superfície única.

    O mergulho em água pretende retardar a segagem e enrijecer o material.

    Parabéns pela divulgação.

    Um beijinho.

  16. HELP!!!!!OLá , sou apaixonado por pisos hidráulicos, acho que esse tipo de arte nunca deveria acabar, atualmente estou a procura de quem vende, estou construindo minha casa e gostaria muito de ter pelo menos um ambiente da casa , quem sabe a sala com piso hidraulico, sou de Recife , quando eu era criança até adolescente tinha muitas fabricas por aqui, hoje não sei mais . Alquem sabe onde posso encontrar?

  17. Alguien habla español que pueda intercambiar datos y preguntas?

    Does someone speek english so I can ask some questions?

  18. Muitos parabéns.

    É assim que se descobrem tesouroros neste País que tanto palacete construi e que tanto exportou para o Mundo Português incluindo Brasil.

    Vou procurar utilizar e abusar.

    Francisco Guedes (arq.)

  19. São espectaculares!

    Estamos a colocar uns numa obra e vou à fábrica do Sr. Zagalo esta semana.

    Já sei que me vou perder com tanta variedade.

    Sabes que mais?!?

    Descobri, na primeira foto do post, os que estão na cozinha e na wc em casa da minha avó;D

  20. eu trabalno ha 15 ans numa fabrica de pisos e adoro fazer os mosaicos mas gostaria de aprender novas tcnicas para a fabricaçao se possivel entre em contato comigo obrigado sou de goias

  21. Eu sou fã de tudo o que tem carácter próprio!

    Adoro mosaico hidraúlico e gostei muito de conhecer esta dica. Já está nos favoritos!

  22. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » direcção:

  23. Visitei este senhor à uns dias.

    O mergulho prolongado nos tanques de agua tem como função ligar a misturada de areia e cimento que é adicionado antes de o mosaico ir à prensa.

    Vale a pena dar lá um pulo!

  24. Pingback: Tweets that mention A Ervilha Cor de Rosa » mosaico hidráulico: -- Topsy.com

  25. Ola Rosa, somos fabricantes de mosaicos hidráulicos de qualidade desde 11 anos em Estremoz e agora em Fronteira desde 2004(Alentejo).

    Como vôce estamos bastante paxãonantes para este arte antigo e para guardar-a para o futuro em Portugal. Seja sempre bemvindo em nossas instalações em Fronteira – ver o nosso site http://www.artevida.net
    Até breve, Sean & Kristina

  26. Há que reconhecer que há qualquer coisa de intemporal no mosaico hidráulico e que será sempre uma relação de amizade mesmo com o desgaste que o tempo lhe confere, e que pouco ou nada tem haver com a moda esse namoro que fica na memória.
    Este material era imagem constante nos pavimentos das lojas e das casas dos centros históricos, infelizmente a reabilitação contemporânea é em geral feita sem ter isto em conta. Muitas vezes por falta de conhecimento e outras tantas por más experiências com fornecedores e por valores excessivos praticados pelas empresas.
    É de facto de louvar e reconhecer pessoas que trabalharam décadas como o Sr. Lúcio dedicados à arte muita vezes sem saber como sobreviver dela por ser, ingratamente, tão pouco destacada. Por isso felicito-a pela iniciativa e sugiro profissionais que oferecem um mosaico de extrema qualidade, bom preço e cumprem prazos. Que é sempre importante na ordem de trabalhos de uma obra.
    Além de ser um prazer pessoal conhecer estas pessoas, é também um privilégio poder usufruir do que eles gostam tanto de fazer.Porque estes artistas e artesãos existem pode-se continuar a reconhecer a dignidade deste trabalho e viver o presente sem esquecer o passado.

  27. Thank you for the information you give. I am looking for the tools needed for this amazing tile. anyone know of a family not using their tools?

  28. Pingback: por vezes « Chá de Bergamota

  29. Boa tarde

    Estou a trabalhar na recuperação de dois prédios inseridos em Zona Histórica e para os quais procuro mosaicos hidráulicos enquadráveis neste trabalho. Já consultei vários sites de empresas que produzem mosaicos hidráulicos, porém em nenhum se encontram preços, mesmo que orientativos. Será que alguém sabe ou tem ideia do preço de mosaicos deste tipo? Ou alguém sabe de um amepresa que disponibilize catálogo com informação de preços?
    Desde já muito obrigada e parabéns pelo óptimo post!

    Bem hajam!
    Ana

  30. Mestre Lúcio Zagalo,
    Excelente. Continue.

    Com os melhores cumprimentos,

    Graça de Andrade

  31. Pingback: Baldosas hidráulicas –

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.