coser

sewing

Coser roupa continua a ser uma aventura. Estava há anos para fazer um casaco reversível para a E. e ontem, enquanto planeava encomendas de tecidos para a Retrosaria, tropecei na página que me fez deitar mãos à obra. Como os figurinos estão todos em Japonês e os desenhos são vagos para uma leiga fica mais espaço para a imaginação (e para o disparate). Usei só sobras dos slings e as medidas foram a olho. O resultado, um serão inteirinho depois, é um casaco razoavelmente à medida da E. (que desconfiou da ausência de fecho e bolsos) ou uma espécie de haori de mangas gigantes para a A., que passou a manhã com ele. Agora apetece-me fazer um para mim, ou um destes () com tecidos da Retrosaria.

Read more →

mosaico hidráulico

mosaico hidráulico = Lúcio Zagalo

mosaico hidráulico = Lúcio Zagalo

Soube da existência de um fabricante de mosaico hidráulico em Estremoz pela revista K (ou seja, há mais de quinze anos), mas só graças a um comentário neste post fiquei finalmente a saber como se chamava. Hoje rumámos ao Alentejo para conhecer a Fábrica de Mosaicos Hidráulicos de Estremoz.

O Mestre Lúcio Zagalo faz mosaico hidráulico desde os catorze anos. Trabalhou em várias oficinas durante a juventude e acabou por abrir o seu próprio negócio. Na pequena fábrica (todos os mosaicos são feitos por ele numa única prensa) reúne cerca de dois mil (!) moldes diferentes, uns herdados, outros mandados fazer a gosto do cliente ou para trabalhos de restauro de pavimentos antigos. De cada molde podem sair muitos padrões, dependendo da forma como se usem as cores, pelo que as possibilidades são quase infinitas. Depois há ainda os lindíssimos mosaicos com fingido de madeira ou mármore, feitos com muita arte (desenhados individualmente à mão e sem molde). O melhor é ver, escolher e levar impresso, porque só uma ínfima parte dos desenhos está em exposição e o que apetece quando se lá chega é trazer um de cada.

Read more →

época de caça (iii)

almirante reis

Mais uma escola vista, as mesmas perguntas. Dou mais importância à professora propriamente dita ou à escola? À possibilidade de aprender bem e desde cedo uma segunda língua ou à familiaridade que uma escola pequena permite? A mudar para a mesma escola que os amigos de cujos pais nos tornámos amigos ou à solidez da formação? Risco da lista todas as escolas que usam a televisão para entreter as crianças? Aposto na escola pública que me parece mais promissora ou recuso-me a entrar na hipocrisia das moradas falsas e a ficar pendurada até à última para saber se teve vaga ou não? Etc., etc.

O mosaico foi fotografado quase sem olhar, enquanto conversava de A. no sling com outra caçadora de escolas de bebé à ilharga. Só depois reparei nos sapatos. E que sapatos. Não fui só eu a vê-los.

retrosaria

retrosaria

retrosaria

Chegaram novos tecidos para a Retrosaria. Estão entre os primeiros que pedi, mas os tempos de espera para se conseguir mesmo os tecidos de que se está à procura são longos. Gosto muito deles por várias razões: primeiro porque tenho uma predilecção por tecidos com mapas e lugares, depois porque estes em particular têm por motivo a cidade de Nova Iorque (mais precisamente a zona de Greenwich Village, com o Washington Square Park e as lindas Brownstones) e, finalmente, porque os desenhos são simples mas cheios de pormenor e fazem lembrar algumas ilustrações do princípio dos anos 70…

Read more →