manoel de oliveira

auto da primavera

serralves

A outra exposição em Serralves também merece uma visita (sendo-se ou não fã incondicional do cinema de Oliveira). A E. não descolou dos excertos do Aniki Bobo (temos de o ver em família em breve), eu chorei como sempre com os d’O Acto da Primavera e todos nos rimos na cena do burro a pôr gasolina.

A propósito do comentário da Marta ao post de ontem, o nosso segredo para ver tantas exposições com elas é mais ou menos isto: um adulto extra para ajudar, um sling para carregar a A. quando ela começa a ficar cansada e, sobretudo, bastante descontracção em relação ao assunto: às vezes vê-se melhor e outras menos bem, às vezes não se chega ao fim mas sempre se viu alguma coisa, vê o pai e depois a mãe ou vice-versa, numas é possível interessá-las pelo que estão a ver e noutras nem há que tentar e o importante é que nos deixem ver a nós sem se aborrecerem demasiado.

A despropósito, o destaque d’A Ervilha Cor de Rosa no site Escape e a entrevista mais interessante que dei até hoje no novo blog do Frederico Duarte.


serralves

serralves

9 comments » Write a comment

  1. Pois, se não virmos as coisas assim não vimos nada… e ficar em casa é que não:)

    Parabens pelo artigo:)

  2. A propósito da entrevista, lembro-me de ler o artigo que saiu há uns tempos no Ípsilon.

    Não tenho ideia de ser exactamente igual ao que se encontra publicado no blog do Frederico Duarte. Ou seria?

    De qualquer forma, gostei muito de o reler.

    Quanto às exposições e eventos semelhantes com crianças também me parece que o segredo é descontrair e aproveitar enquanto der.

    Quando eles estão cansados ou não estão para aí virados, forçar pode tornar o nosso (e o deles) prazer rapidamente em desprazer.

  3. O caminho é mesmo esse, se as crianças não tiverem contacto com diversas formas de cultura, nunca saberão se gostam. Nós também vamos tentando. :)

    E sim, a entrevista é muito interessante.

  4. Excelente a entrevista no blog do Frederico ! Aprendi um pouco mais sobre o movimento de artesanato urbano em Portugal, e admirei mais seu trabalho e suas idéias.

    Um abraço

    Flora Maria

Comentar