museu efémero

manhã

Ouve-se com frequência aos que moram ou passam pelo Bairro Alto queixas sobre os graffiti (tomam esta parte pelo todo a que do outro lado se chama street art). Que sujam o bairro e lhe dão um ar degradado, que são feios, que destroem a propriedade alheia, etc. A mim pessoalmente o que incomoda mesmo é a sujidade produzida pelos cães, pelas pombas e pelos muitos autóctones que não sabem operar um contentor do lixo. Quanto aos graffiti, tudo depende. Consoante a atenção e a intenção, mesmo os tags, entendidos como gatafunhos absurdos pelo comum dos mortais (eu incluída), podem merecer um olhar mais atento. Acima deles, gosto da maior parte e de viver numa espécie de hall of fame do stencil na cidade. Que há mais gente com a mesma opinião pode comprovar-se com uma visita ao Museu Efémero. Trata-se de uma iniciativa (apoiada pela Fundación Pampero) que propõe um itinerário pelo Bairro Alto (com legendas junto às obras e audio-guia disponível no site para download gratuito) para ver obras de vários artistas nacionais e de outros países. Enquanto lá estiverem.

As misteriosas portas azul Yves Klein, de autor desconhecido mas já com seguidores noutros tons, não fazem ainda parte da colecção. A Catarina Portas e a Inês já escreveram sobre elas e são, de facto, tão lindas quanto eloquentes.

De há mais de dez anos, o meu preferido: Nemo (e mais Nemo).

stencil . dolk, originally uploaded by kersavond.

8 comments » Write a comment

  1. Para mim há graffiti e graffiti…

    Sinceramente acho muitos dos que encontro no Bairro Alto feios e também considero muitos deles “rabiscos” que nada trazem de interessante ou bonito e cujo intutito me parece ser próximo da vandalização de uma parede acabada de pintar.

    Outros há que são bons ou muito bons. Lembro-me de ter visto em Barcelona alguns graffiti muito interessantes.

    Mais uns:

    http://www.johnfekner.com/industra/index.html

    A mim incomoda-me a sujidade das pessoas que teimam em achar que toda a rua é um contentor do lixo. Os cães são um reflexo dessas mesmas pessoas que apenas reproduzem com eles as suas atitudes em outros contextos: ou porque não acham importante apanhar os seus dejectos ou porque os abandonaram…

  2. i too love graffitti! i’m always somewhat sad when those wonderful irreverant colours get “wiped clean” when all the rest gets ignored (political campaign posters, for example, or most publicities, nevermind the usual garbage that, like you so poetically put it, misses the garbage can!) a new drawing on the cement wall reminds me the city is alive!

  3. Sempre apreciei a arte do stencil, se bem que nunca a utilizei em paredes ou propriedades alheias! Usu-a mais para pintar t-shirts, bonés, etc…

    Mas está a surgir uma nova técnica de stencil, que ao contrário das tintas, para desenhar as paredes, usa produtos de limpeza… o desenho acaba por ser a parte da parede limpa!

  4. É …o stencil está na moda… e na minha opinião é uma óptima moda…comecei a vê-los em Viana …hoje vi Dalaiama baixa de Lisboa e amanha vou levá-los para a “minha” ilha! Há que intervir! Mas a melhor descoberta de hoje foi mesmo o Museu èfemero! Obrigado Rosa… sempre com informações tão úteis :)

  5. Incredible to see we had the same things in mind at the same moment… I just returned from Lisbon where we “hunted” the stencils in all Barrio Alto and further… We had so much fun! And there are some beauties… We took a lot of pictures, but I still hadn’t the time to put them on my flickr.

    Oh, I wanted to thank you a lot. You made me like Lisbon from your blog, and now I love it after have seeing it!!! And I was surprised and delighted to cross your husband and big daughter’s way near Principe Real… She gave me a big, beautiful smile that I will remember all my life!

Leave a Reply

Required fields are marked *.