sonhar alto

drogaria

padaria

A busca continua. Obrigada por todos os votos de boa sorte e sugestões. Com outros tantos pares de olhos à coca, será de certeza mais fácil.

Hoje tive tempo para ir colar o nariz a mais umas montras, desta feita pelos lados da Madragoa. É lá que mora a minha drogaria preferida, aberta há cento e um anos. Encontrei muitas lojas fechadas (há mesmo mais lojas fechadas do que abertas, ou só parece?), e cumpriu-se a triste regra que vou encontrando um pouco por toda a parte: quanto mais preservados os interiores (chão, armários, etc.), mais perto da ruína está o edifício. Nos prédios que tiveram melhor sorte em geral as lojas perderam a graça pelo caminho. Mas a excepção há-de estar por aí à minha espera…

16 comments » Write a comment

  1. You wish it so hardly that you’ll find something : )

    As Virginia says: “quando menos esperares…”

    I’d like to comment in portuguese as well!

  2. Sim, há-de haver por aí uma excepção, o pior mesmo é encontrá-la…o mesmo se passa com habitações: ora com imensa alma, mas perto da ruína, ora novas e sem interesse algum…é o estado do nosso imobiliário e consequentemente do país.É pena!

  3. tenho de concordar com a teté. o mesmo se passa com as habitações… :(

    uma vez mais, boa sorte e boa procura!

  4. Se te quisesses estabelecer na “província”, há duas lojas assim aqui na rua por trás da minha ;))

    (e uma delas era uma retrosaria das antigas com chão de mosaico hidráulico, prateleiras de madeira e balcão de mármore)

    Boa sorte!

  5. Parece-me que outro dia passei pela loja da estilista Lidija Kolovrat na R. do Salitre e fiquei com a impressão de que ela ia sair dali (mas não tenho a certeza!). Acho que anteriormente foi uma padaria e tem umas janelas lindas.

  6. Uma loja linda e com “alma” está lá à tua espera e dos teus belissimos trabalhos. Procura Rosa, procura, pois … quem procura sempre alcança!

    BOA SORTE ! :))

  7. Muita sorte para a tua busca.:)

    Já pensaste ir para os lados de Campo de Ourique? Lá ainda há muitas lojas de bairro, talvez tenhas mais sorte.;)

  8. ah e para além do que tudo o que já te contei, também as há que de tão fechadas é impossível chegar aos donos ou arrendatários. Há casos onde ninguém sabe onde pára ninguém e outras tais que são casos de tribunal… medo!

  9. Olá :)

    Então e a antiga loja da Fermento? Na Rua do Século, ainda não abriu lá nada.

    Bj.

  10. Na minha família, mais propriamente na casa da minha avó materna há uma loja que está fechada há mais de 15 anos.

    É uma daquelas mercearias tipicas de aldeia, numa esquina, com duas portas, uma em cada rua, com 6 cubas em madeira para os cereais, com um balcão em madeira e com pedra mármore a dividir a loja ao meio, os armários são em madeira, com prateleiras e portas com vidro onde ainda se notam os defeitos por serem feitos à mão.

    O chão é soalho, original, com alguns remendos e o tecto em madeira de ripas cheias de ganchos onde se penduravam os chapéus que estavam à venda.

    Fica longe de Lisboa, a cerca de 60 km.

    É pena, senão seria a tua loja… e o meu alívio por não deixar morrer um espaço que fez a história da família e da minha infância.

    Boa sorte na tua busca,

    Daniel (o homem que vive com os papeisportodolado)

  11. Boa sorte, Rosa, na minha (antiga) rua havia uma dessas com alma, uma sapataria à antiga com armários de madeira, fechada durante anos, foi esventrada para dar lugar a uma “bela” imobiliária. Como sempre…

    Já viste no calhariz? Na área do “Prego sem Estopa” e da “Tom Tom” havia umas quantas fechadas, a zona é boa, perto do Bairro Alto ;).

    Boa sorte!! Decididamente vou andar de olhos abertos!

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>