tecidos que falam (2)

Kumasi, Ghana

Eliot Elisofon, Cloths on display, for sale at the market. Kumasi, Ghana, 1959 (imagem do Smithsonian Institution Research Information System).

Mais algumas imagens para ilustrar a história dos tecidos que falam. Nas últimas semanas tenho passado horas a olhar para fotografias de África. À medida que se reconhecem mais padrões as imagens ganham novas hipóteses de leitura. É viciante. Aqui ficam mais alguns bestsellers:


Precious beads make no noise

Precious beads make no noise

Precious beads make no noise, um de vários tecidos/provérbios alusivos ao valor do silêncio. Imagens: Ivory Coast (1989), Angola, Seydou Keïta, Untitled (Mali, anos 1950) e Gana (2007).

snail

You have taken me as cheap and easy as the snail (imagens: Fellani woman, Mali e Umbrella and chitenges, Zâmbia). Talvez se possa traduzir por qualquer coisa como levaste-me à certa.

the eye of the rival

L’oeil de ma coépouse ou I am not afraid of my rival’s eye, é usado como desafio de uma mulher à sua co-esposa ou à amante do seu marido (a poligamia é um traço cultural presente em muitos destes países africanos – ver Un panier de crabe nommé polygamie). Nas fotografias estão uma versão antiga do padrão (Seydou Keïta, Untitled, Mali, anos 1950) e outra contemporânea (Burkina), em que o tecido olha literalmente para o interlocutor de quem o veste.

gramophone

Grammophone record. Procurem-se imagens de celebrações e danças no Gana ou na Nigéria e este pano aparece quase sempre. Representa um disco de vinil e é usado em ocasiões festivas ou alegres. É o caso das das imagens: Church XV e Eliot Elisofon, Musicians and dancer in the courtyard of the shrine house. Besease, Ghana, 1971 (imagem do SIRIS).

Further reading:

Egbomi Ayina, Pagnes et politique.

Les pagnes qui parlent: kit pedagógico para atelier escolar sobre a história dos panos africanos, com documentário incluído. Gostava de ver!

13 comments » Write a comment

  1. Rosa

    como uma apaixonada de tecidos africanos com família em moçambique, adoro a tua pesquisa e recolha.

    Estou fascinada e agradecida pela tua iniciativa.

    bjs

    rute

  2. I like “precious beads make no noise” and Seydou Keita´s photographs are amazing. I like everything about this series.

  3. I’m very impressed by those fantastic snail earings!!

    but also by all these wonderful africans prints.

    bom dia : )

  4. De facto, os brincos em forma de caracol, mais parecem braceletes… Mas que fotografias fabulosas! Estamos a adorar esta tua análise/exposição. Obrigada!

  5. Rosa,

    Desde que leio o teu blog tenho vindo a reparar mais nas coisas que me rodeiam, como por exemplo o mosaico hidráulico.

    Ontem a passar na rua vi uma senhora vestida com tecidos africanos. Tive pena de não ter a máquina comigo e pus-me logo a pensar no significado do tecido. Há na verdade tecidos lindissimos, como estes que dás a conhecer.

    Obrigada pela partilha.

    MJ

  6. Olá ,

    descobri este blogue num passeio pela net…e qual não é o meu espanto dou com coisas da minha terra!!!

    Casei-me o ano passado e o meu vestido de casamento foi feito em Moçambique e em capulana pela Carla Pinto, do http://www.ideiasametro.net/.

    Tenho uma colecção de capulanas antigas de fazer inveja

    Padrões dos anos 60/70/80 que já não aparecem.

    Só tenho pena que se tenha deixado passar TANTOS ANOS para se dar valor ao que se fazia e faz em Moçambique…

  7. Pingback: Artigo do Buala : http://www.buala.org/pt/a-ler/kikulacho-kimo-maungoni-mwako-kanga-da-tradicao-a-contemporaneidade | FIOS4Capulana

Comentar