meias e mais

yet another pair of handknit socks

Antes de mais, muito obrigada a todas e a cada uma das pessoas que se deram ao trabalho de contar como conheceram este blog. Não querendo ser demasiado lamechas, posso dizer que fiquei emocionada com a quantidade e ainda mais com o conteúdo de muitas das histórias. Fiquei surpreendida com a quantidade de pessoas que cá vieram ter depois de verem o blog referido na imprensa ou daquele episódio na sic mulher. Parece que os media tradicionais conservam um peso maior do que o que tenho tendência a atribuir-lhes. O Random Integer Generator escolheu o comentário número 33, o que calha muito bem por ser a minha idade, de modo que o rolinho segue para a Cristina José. Por os comentários serem tantos tirei um segundo número à sorte pelo mesmo método: a dama de honor, que vai receber um bocadinho de cada um dos meus galões, é a Fã silenciosa (n.º 131).

A quem pediu a receita do bolo, o F. (que foi quem o fez) diz que é secreta, mas vou ver se o convenço a partilhá-la aqui em breve (e a fazer-nos outro, que este foi comido num instante).

As meias da imagem são as que terminei mais recentemente. São quase quase simétricas e mais altas que as anteriores (desta vez consegui usar o novelo praticamente todo). Tricotar estas lãs em público é sempre uma experiência divertida: ouvem-se muitos Oh! e Ah! a elogiar o trabalho até se explicar que o mérito é sobretudo da (esta é a 315). Depois os Oh! e Ah! passam para o novelo, acompanhados de um certo olhar de assim também eu. Quanto às meias, estão como as castanhas: quentes e boas.

17 comments » Write a comment

  1. Estão mesmo giras!! A lã que enviaste chegou na sexta e no fim-de-semana iniciei-me no obscuro mundo das meias…

  2. Eh eh eh, pois é, tricotar meias em público dá direito a reacções incriveis, tanto pelas meias como pela lã. Há uns meses estava a fazer umas enquanto esperava que me atendessem no Centro de Saude – foi a loucura das senhoras de idade que ficaram felicissimas de haver alguem que soubesse fazer meias!

  3. Perguntei-me muitas vezes, de cada vez que lia os novos comentários, se encontraria alguém que te tivesse encontrado da mesma maneira que eu. Como tal não aconteceu resolvi deixar ainda o meu testemunho.

    Descobri a Ervilha quando procurava na web a sapataria lisbonense. Deparei-me com o post abaixo….

    “Há meses que andava a namorar a montra da Sapataria Lisbonense, enquanto me decidia entre calçar ou não à E. uns sapatos mesmo a sério (porque pensando bem não tinha tido uns únicos até hoje cuja sola não fosse de borracha). A experiência, que já resultou num par de pés felizes, fez-me pensar que 1. há anos que não entrava numa sapataria propriamente dita; 2. só tenho e só tive nos últimos anos um par de sapatos sem sola de borracha e as vezes que os usei contam-se pelos dedos de uma mão; 3. esses mesmos sapatos são também, que me lembre (e apesar do nome enganador da marca), os únicos sapatos portugueses que tive em talvez mais de dez anos (!).”

    Posso dizer que desde aí continuei a acompanhar o blog por sentir que à parte as diferenças culturais que possam existir entre 2 mães com uma educação tão diferente, o amor de mãe e as escolhas que fazemos pelo bem dos dos nossos filhos, tão impopulares como adaptar a nossa vida profissional de maneira a poder acompanhar de perto a sua educação,trasmitir-lhes valores e criar um vínculo familiar forte, são comuns. Obrigada Rosa

  4. Olá Rosa, acabei por deixar escapar a oportunidade de contar a minha versão da história, mas a verdade é que não me lembro exactamente como é que vim cá parar! Sei que já venho há tempo suficiente para ter acompanhado o crescimento da A. na tua barriga, e para ter aguardado com expectativa aquelas primeiras fotos no berço da maternidade :o)

    Lembro-me, isso sim, que a primeira vez que tive contacto com o teu trabalho foi através do “Colheres”, quando andava à procura de ícones para o desktop do Mac. Tirei imensos e usei-os durante muito tempo, bem como um wallpaper chamado “Astrid” (era teu?). Aliás, ainda tenho um no meu computador em casa que acho que se chama Planetas. É provável que tenha sido a partir daí que o nome Rosa Pomar me começou a ser familiar, e depois disso acabei por descobrir o resto.

    Desde então sou visita (praticamente) diária – pelo menos nos dias úteis ;o) e até já comprei um dos teus bonecos para oferecer a uma amiga quando esteve grávida da primeira filha. Também já segui algumas das tuas sugestões e encomendei do Japão um saco Shinzi Katoh que agora tens na Retrosaria (o “Chérie”).

    Por isso vou voltar sempre!

    Ah, e as meias são lindas :o)))

    bjs

  5. Ihhhh, nem acredito!

    Estava mesmo a precisar de um “boost” de alegria e esperança! Isto é um bom presságio!!!

    Mais do que por ir receber os retalhos, fiquei feliz por finalmente ter escrito um comentário no teu delicioso blog.

    Vamos lá ver se sou digna desta sorte e dou aos retalhos uma vida gloriosa. Se ficar engraçado depois mostro!

    As meias estão muito giras. Conseguir fazer riscas com malha matizada requer arte.

    Mais uma vez Obrigada!!

  6. Essa lã foi a que eu ofereci à minha irmã!!! Ela está a adorar tricotar as meias! :)

    E essas também estão lindas, Rosa!

  7. Olá Rosa,

    No CEARTE, em Coimbra, vai ocorrer um curso de Tinturaria Natural e Tecelagem, de 23 a 27 de Fevereiro. Já frequentei dois cursos neste centro e gostei muito. Se estiveres interessada, consulta o plano de formação na área dos textéis na página on-line:

    http://www.cearte.pt

    Bons posts,

    Luísa

  8. hola Rosa,

    Si entiendo bien te gustaría saber cómo hemos encontrado tu blog…

    Yo vi tus fotos en Flickr -hace ya … ¿dos años?- y me encantaron, unos gorros como de gato… era lo más bonito en gorros de ñiño que ví en mi vida.

    Después, en Ravelry encontré tu perfil o hilos Zitron (tengo dos madejas del color que tejiste el jersey a tu hija) y Zitron me fascina. Así que a partir de este día cuando veo en Rav. que hay nuevo post no puedo resistirme a leerte, y me está gustando mucho, las fotos. el concepto… y no sólo por estética! me gusta la consciencia y cariño que pones en todo lo que haces. Una admiradora,

    Alícia

  9. Depois de ler esse último post, achei bacana deixar uma mensagem – é um dos meus blogs favoritos. Mando meu blog pra conhecer meu trabalho. Aqui mesmo vejo muitas cópias de suas idéias – mas quem cria não tem medo das cópias pois a criação não tem limites e a cópia sim.

    Parabéns pelos trabalhos!

  10. boa tarde Rosa

    Encontrei o seu blog através do da Celina “Novelos & Agulhas”. Acabei por ir cuscando os 2 blogs, já que sempre soube fazer tricot, mas tinha abandonado há uns anos. Tenho 47 anos e na minha época as mães ensinavam às filhas (foi o meu caso). Até aos 25, 26 anos fiz uma quantidade enorme de tricot em especial camisolas com desenhos em jackard, que adoro fazer.

    No entanto nunca fiz meias, apesar de minha mãe saber fazer. Já agora, quantos novelos de lã para um par de meias com agulhas 3,5/4?

    Com os vosso blogs roeu-me o bichinho de novo e recomeçei o tricot com uma camisola para mim, bastante simples.

    Agradeço por me ter reinspirado e continue o blog.

    Beijinhos

    Ana Maria Silva

  11. Para não viciar as probabilidades não comentei no dia do sorteio… É que pouco sei de costura.

    Descobri a Ervilha Cor de Rosa exactamente no dia 8 de Dezembro de 2008, foi a minha comadre que me falou dela!

    Aqui reencontrei o tricot, que aprendi em miúda com a minha ‘terceira avó’, mandei logo vir a Trekking XXL e ofereci meias no Natal. Já vou no 5º par.

    Agora continuo as pesquizas para entrar em trabalhos de fundo!

    Obrigada!

  12. Olá Rosa!

    Passei por aqui e estive a ver que houve por aqui uma especie de referendo do conta-me como foi. Pareceu-me delicioso e por isso resolvi contar-te também como aqui vim parar a primeira vez. Faz agora dois anos, eu e a minha irmã estavamos as duas à espera de bebé, ela um menino e eu uma menina. Para mim foi uma espécie de gravidez de gémeos! O meu tempo e a minha disponibilidade nessa altura puseram a minha criatividade a trabalhar no enxoval dos dois. É claro que a net é uma ferramenta indispensável para encontrar coisas originais e diferentes do tradicional e foi assim que no meio de tanta pesquisa encontrei a tua ervilha que por ser cor de rosa (e não só por isso!) veio trazer mais cor à minha forma de ver estas coisas. Os teus trabalhos fascinam-me pela forma como combinas padrões tão diferentes e os teus bonecos são absolutamente deliciosos! Espero que continue tudo a correr pelo melhor contigo, para que possas continuar a iluminar-nos com as tuas criações.

    Beijinhos

  13. Sou mesmo uma sortuda! :)

    Andava já algum tempo de olho nos galões, de modo que esta é uma excelente surpresa.

    Obrigada Rosa!

  14. Olá,

    Gostava de deixar umas palavrinhas…

    Gosto muito de tudo o que apresenta e da forma como o apresenta!

    Conheci este blogue ao procurar “coisas de design” e ilustração.

    Continuação de um bom trabalho e de bom gosto! :)

    *Bi*

Comentar