a língua de fora já!

Todos ao Museu de Arte Popular amanhã!

Conto convosco! Divulguem e venham ajudar. Tragam uma cadeirinha, um casaco e muita energia:

Amanhã, Sábado, comemora-se o Dia dos Museus. Por isso, resolvemos festejar o Museu de Arte Popular, um museu fechado que queremos ver vivo, reaberto, renovado.

Após a aprovação na semana passada, em Conselho de Ministros, da instalação do Museu da Língua no edifício do MAP, esta é a nossa última hipótese de protestar contra uma decisão arbitrária, leviana e culturalmente injustificável.

Assim, a partir das 12h00 de sábado, diante do Museu de Arte Popular, voluntários e voluntárias bordarão colectivamente um Lenço de Namorados gigante, declarando a sua estima ao Museu de Arte Popular. Quando a noite cair, suspenderemos o resultado na fachada do Museu.

Junte-se a nós. Fornecemos os materiais mas precisamos de mãos. Se não sabe bordar, não faz mal: esta é a ocasião de experimentar. Traga os amigos, a mãe, a tia, as crianças – o importante é mostrar que há quem não se conforme com o fim anunciado do Museu de Arte Popular.

A Língua de fora, já! Pelo Museu de Arte Popular, bordar bordar!

Organizadoras:

Catarina Portas, empresária A Vida Portuguesa / Quiosque de Refresco

Rosa Pomar

Joana Vasconcelos, Artista Plástica

Raquel Henriques da Silva, Professora de História de Arte, FCSH Universidade Nova de Lisboa

(imagem: Decoração mural da sala de Entre Douro e Minho, por Tomás de Mello (Tom) e Manuel Lapa)

PS: no Facebook, estamos aqui.

munições

9 comments » Write a comment

  1. Quero! Quero! Quero muito ir!

    Arrepiou-me… sim, essas recordações de menina com passeios a Belém!

    Belo sábado***

  2. Não posso aí estar presencialmente, mas partilho do protesto!

    Arrepio-me de ver a minha cultura apagada do mapa.

  3. Que pena, não posso ir. Lembro-me muito bem do museu por dentro, visitei-o várias vezes com os meus pais quando era pequena. Tenho pena de não poder passar por lá com a minha filha de vez em quando.

    Que bem que aquilo se aproveitava para manter o museu e outras exposições, há tanto para mostrar que as pessoas não conhecem. Não consigo compreender porque não investiram neste museu e não dão a oportunidade a quem quer pegar nele e mantê-lo.

    Espero um dia, poder aprender a fazer meias lá dentro do museu.

    vale mesmo a pena deitar a língua de fora!

  4. Apesar de ter dedicado os últimos 10 anos à defesa da língua portuguesa, à sua sobrevivência em terras onde ela está em perigo de não mais ser falada, pasmo com o descaramento de se ir destruir uma peça tão essencial do nosso património como é o MAP. para já, sei lá o que virá aí … Sei sim o que existe e que precisa de ser tratado, usado, estudado. Porque é que será sempre mais fácil destruir e fazer outra coisa em vez de aprofundar o que outros já iniciaram? Neste caso trata-se de crime. E um crime que faz pensar em quem seguramente ganhará com ele.

    É difícil não ter estes pensamentos …

    Tenho um grande desgosto de não poder estar aí convosco. Essa luta parece mesmo ao meu jeito. Desejo que o lenço seja enorme, lindo e que eu o possa ver no telejornal de amanhã.

    Estarei convosco em pensamento.

    Um abraço para todos.

  5. Excelente iniciativa! Contem comigo amanhã.

    Rosa, que tal anunciar no facebook?

  6. boa, mil vezes boa ! estive sem internet uns dias e só agora soube da vossa iniciativa, abaixo a pinderiquice do museu da língua portuguesa, sobretudo nestas circunstâncias ! e a língua portuguesa está também nos lenços dos namorados …

    a raquel foi minha professora no mestrado ! manda-lhe um beijinho :-)

Leave a Reply

Required fields are marked *.