da gata

twitter

twitter

O gato que tive em miúda não era nosso, era do quintal e dos telhados, e foi-se embora um dia. A Twitter é todo um novo assunto. Faz-me confusão a opinião generalizada de que é melhor alimentar os gatos a comida de pacote e a prática habitual de os esterilizar. Não tenho tido tempo para estudar os assuntos, e precisava de um bom livro sobre estes bichos (sugestões?).

Outras novidades de quatro patas em blogs que leio regularmente:

Miss Biscuit no My Paper Crane (o primeiro craft blog que conheci).

Nellie, no SouleMama, com direito a coleira especial de corrida.

44 comments » Write a comment

  1. De gatos não tenho qualquer experiência, porque por aqui somos gente de ter cães. Mas suponho que, no que diz respeito à alimentação, a opinião seja válida à mesma:

    Comida de lata ou pacote, não.

    Poucas pessoas reparam nisso, porque sempre deram ração ao animal, mas a minha teckel nunca teve qualquer problema de saúde até ter começado a comer regularmente comida para animais. Passado 2 anos nessa rotina, ficou doente com um cancro de esófago (felizmente detectado e removido).

    Por outro lado, o labrador do Nuno, sempre comeu ração, até ter começado a ter problemas de saúde de tal maneira que o veterinário mudou-lhe a dieta por completo, para comida “normal”, proibindo totalmente comida processada.

    Até percebo a dificuldade na tomada de decisão das pessoas que têm animais de grande porte e que comem quilos de comida diariamente, mas um gato é muito pequenino… :)

  2. Olá,

    Eu tenho um gato e optei por esterilizá-lo. Como moramos num apartamento era impossível ter um gato a marcar o território com urina. É um tanto ou quanto desagradável. Só para não falar que às vezes ficam meio agressivos. Quanto a gatas não sei. Só sei o que me contam, que miam imenso e não deixam ninguém em paz.

    Relativamente à comida de pacote não alimentamos o nosso Teko com comida seca. Nem enlatada. Ao fim ao cabo é um gato, um felino, e os felinos alimentam-se no mundo natural de presas: carne crua.

    Damos-lhe carne crua. Como tal, nem precisa de ter uma tigela com água. Nunca tem sede, os rins funcionam na perfeição (mija com abundância) e nunca teve qualquer tipo de doença. É um gatão lindo e toda a gente fica admirada com o pêlo sedoso que tem. Embora seja um rafeiro não deixa ninguém indiferente. É a primeira vez que tenho um gato alimentado com carne crua e nunca mais darei comida de pacote a qualquer gato que venha a ter. Há muita informação disponível na internet acerca da “raw diet” para animais de estimação.

    É óbvio que tem de se ter alguns cuidados e não esquecer a desparasitação interna. E nunca, mas nunca dar carne de porco, por razões óbvias (ténias e outras coisas). Ah, e ter sempre erva disponível para o gato poder usá-la como laxante. Costumo semear cevada numa antiga “retrete” dele. Ele adora a erva e depois de estar bem crescida tem o péssimo hábito de se deitar em cima dela. A sorte é que leva pouquíssimos dias a germinar depois da sementeira.

    Espero ter ajudado com o meu comentário.

    Cumprimentos.

    =)

  3. Tenho dois gatos, um casal de irmãos com 2 anos.

    Gosto muito de gatos dado o seu carácter independente, mantêm sempre o seu carácter felino que deve ser respeitado.

    Quanto à alimentação convém não esquecer que sendo felinos, são carnívoros, embora possam gostar de peixe. São muito esquisitos com a alimentação. A ração seca é uma boa opção, mas diz a minha experiência que deve ser alternada com comida húmida pois eles necessitam de água e raramente a bebem.

    Penso que nenhum mal vem ao mundo se lhes dermos restos, acontece que são sensíveis a certos tipos de alimentação.

    O leite, que todos achamos que adoram, causa diarreia. Os doces em particular o chocolate pode causar-lhes a morte.

    Em princípio a alimentação comercializada nos veterinários ou supermercados é mais equilibrada e previne alguns problemas que advém deles estarem fora do seu habitat e presos a uma habitação muitas vezes sem jardim. Comerem ervas é importante para expulsarem as bolas de pêlo.

    Quanto à esterelização, eu sou a favor, isto porque é com facilidade que eles se ausentam e facilmente se reproduzem, esta serve para que diminua a quantidade de animais abandonados. Além disso eles tornam-se selvagens conseguindo destruir o equilíbrio da fauna ( tudo o que mexe e tenha tamanho reduzido é passível de ser consumido), pois são predadores e para sobreviver caçam.

    No caso dos gatos homens eles têm um tipo de ejaculação ( não sei se é o termo correcto) que usam para marcar o território com o qual é impossível conviver, pois o cheiro, tem uma intensidade muito forte e não há detergente que o anule.

    Nas meninas é a questão do cio que enquanto dura ninguém dorme, e se conseguirem acasalar há que dar destino aos filhotes.

    Contudo os gatos esterilizados tornam-se gorduchos e têm uma esperança média de vida inferior.

    São brincalhões e fazem as nossas delicias, deixam pêlo por todo o lado adoram afiar as unhas nos sofás e trepar aos cortinados é bom arranjar um pouco de “cairo” ou uma “barra de sizal” ( vende-se feita ou pode fazer-se) para afiarem as unhas.

    Espero ter dado uma ajuda.

    Eu gosto de gatos Ibéricos ( mais conhecidos por rafeiro cinzentos e listrados).

    Desfrutem da vossa Twiter

  4. também podes sempre fazer comidinha caseira (quase) todos os dias…

    mas tens de ter em atenção, sobretudo neste período de maior crescimento, se estás a fornecer todos os nutrientes necessários, e nas devidas doses. conclusão… adoro a ração seca :)

    (dá zero trabalho, é óptima para eles, faz-lhes bem à higiene oral- daqui a uns tempos vais saber o que é isso hee hee, e no fundo qd lhes apetece um petisco vão à vizinha do lado que todos os dias cozinha para os mil gatos que tem, mais os que são comensais!)

    qt à castração, pois bem, realmente as minhas gatas foram mm aos 6m, antes do 1º cio (evita aparecimento de tumores relacionados com hormonas femeninas). é pensar se queres ou não ter ninhadas várias x ao ano. caso elas estejam confinadas a casa, é saber se elas (e vocês, claro) conseguem passar bem pelos sucessivos cios…

    normalmente as gatas ficam mto mto inquietas, e se viverem em liberdade podem engravidar e seguir o seu ciclo natural, felizes da vida. qd as fechamos em casa… pois bem, verás :) pode ser que corra bem!

    e eles são mm amorosos, não são? eu nem gostava assim mto de gatos, mas desde há um ano que adoptámos dois e… estou rendida*

  5. Olá Rosa,

    Tenho dois gatos lindos com menos de um ano, o Tobias e o Crispim. Antes destes tive outro, chamado Clarim, que viveu saudável até aos 19 anos, sem qualquer tipo de doença. Todos eles sempre foram alimentados cuidadosamente com ração seca adequada à sua idade e condição. Escolhemos esta opção por recomendação dos veterinários, porque (em princípio) uma ração de qualidade contém todos os nutrientes adequados aos felinos. Sei também que também podemos alimentar os nossos gatinhos com uma preparação caseira, mas para isso é preciso especial cuidado, respeitando algumas regras para que nada lhes falte. Há alguma informação sobre isso no site da Royal Canin na secção Gato-Alimentação-Alimentação caseira ou industrial. Aqui http://www.royalcanin.pt

    Atenção, que é sabido que não se deve oferecer apenas carne ao gatos, porque “apesar do gato ser um animal estritamente carnívoro, em estado selvagem não come apenas os músculos ou o fígado. Ingere igualmente os ossos e as vísceras das suas presas, por vezes herbívoros ou omnívoros. O seu regime alimentar encontra-se assim sensivelmente equilibrado.”

    Quanto à esterilização da gatinhas-meninas não sei bem, mas costuma ser uma apoquentação enorme ver a aflição das gatas que vivem em casa na altura do cio… e dizem que a esterilização reduz muito as hipóteses de terem problemas nos ovários, que são graves mas muito comuns.

    A Twitter é linda! Tem um “pijama” igualzinho às gatas ariscas que há na ilha do Farol!

    Ah, Rosa, os meus gatos cinzentos e brancos têm um blog só para eles aqui http://www.o-tobias.blogspot.com !!!

    ***

  6. Olá!

    Em casa da minha Mãe há uma gata, esterilizada mas só porque fazia xixi em todo o lado (costuma ser mais comportamento de gato macho) e era uma porcaria! Fez 10 jovens anos em Maio!

    Também há um gato, obviamente castrado. Por ser gato de apartamento.

    E a primeira foi uma gata, que não foi esterelizada mas tinha várias vezes por ano cio.

    Até hoje lamentamos não termos esterelizado porque tinha gravidezes psicologicas, ficou com quistos, teve que ser operada e acabou por morrer a sofrer (muito muito triste)

    É maldade esterilizar, mas se são de apartamento, não saem à rua, acho que é melhor. Custa na altura mas depois são mais felizes.

    Bjinhos *

  7. Quanto à comida, deixaram-me pensativa porque o veterinário sempre que lá vou aconselha a comida de ração

    RElativamente à esterilização posso vos dizer que não se trata apenas do ruído que emitem, mas também quanto estão no cio e não têm “parceiro”, sofrem, têm dores e eu pude confirmar isso com a minha gatinha. Não é nada agradável. Quem tem gatos em apartamentes não é viável permitir “vida promíscua” :)

  8. Hola Rosa, yo soy amante de los gatos y siempre, siempre, desde niña, he tenido uno o más de 1.

    Yo recomiendo la esterilización, parece una cosa brutal y muchas personas no están de acuerdo, pero yo sí, es una manera de garantizar a tu gato una vida mejor.

    Las gatas se pueden esterilizar después de los 6 meses de edad. Se trata de una operación quirúrgica, le van a abrir la barriga y después de la operación va a necesitar cuidados, pero pasado eso, verás, tu felina va a ser muy feliz.

    No va a engordar ni va a tener comportamientos extraños, los gatos son ángeles : )

  9. Bom dia Rosa,

    Em relação à “opinião generalizada sobre a comida de pacote”, posso dizer-te que, em miúda, já lá vão 30 anos, tive o meu primeiro gato, que, nessa altura, como não havia tantas modernices, apenas comia peixinho cozido e outra comida como a nossa… o Garoto morreu aos 13 anos, devido a problemas de rins, provocados também por essa comida não ser adequada para ele.

    Desde então, todos os outros gatos que tenho tido (e já lá vão muitos!), são alimentados com ração seca, o melhor para eles sem dúvida alguma.

    A esse nível, aconselho-a a ler este excelente manual sobre o ser-se dono de um gato:

    http://www.felinus.org/fileDump/manual_dono_gato.pdf

    Quanto à “prática habitual da esterilização”, lamento dizer-te que, para mim, quem as não faz aos seus animais, apenas se encontra imerso em preconceitos ancestrais, por sinal, bem ridículos.

    Contrariamente ao que aqui foi comentado em cima, a esperança de vida dos animais castrados ou esterilizados não diminui… aumenta!

    A esterilização/castração é muito importante como:

    - Forma de controlo da natalidade dos animais de rua (em articular dos gatos, que se reproduzem de uma forma muito mais célere do que a dos cães, uma vez que as gatas possuem sucessivos períodos de cio, contrariamente às cadelas);

    - Prevenir o aparecimento de doenças (infecções no aparelho reprodutivo, quistos mamários, etc.), que a pílula ou os cios sucessivos tornam mais frequentes;

    - Forma de evitar o sofrimento físico e ansiedade que as gatas e os gatos sentem nos períodos de cio – o facto de não acasalarem faz com que os animais entrem em grande stress e permanente estado de ansiedade, deixando de comer e até de dormir;

    - Reduzir consideravelmente as possibilidades de um indivíduo perder o seu animal de estimação por este ter fugido na tentativa de acasalar;

    - Reduzir as lutas pelo território e impedir o envolvimento em lutas pela fêmea;

    - Impedir que os machos contraiam doenças sexualmente transmissíveis.

    A este nível, aconselho-te a ler este artigo:

    http://www.felinus.org/index.php?area=artigo&action=show&id=77

    Logicamente que a decisão final sobre estes dois assuntos será tua, a dona da Twitter. Mas lembra-te que, em última instância, um animal é um ser vivo e, logo, todas as decisões que tomares afectam a sua vida actual e futura.

    Nesse sentido, aconselho-te vivamente a falares com um veterinário, que te possa aconselhar melhor sobre estes dois temas.

    Um abraço

  10. Bem-vinda Twitter!

    Também tenho um gato, lindo, saudável e…feliz.

    Segui sempre as indicações do seu veterinário e nunca me arrependi: castração aos 8 meses (no fim do dia da cirurgia já estava óptimo e bem disposto), ração seca de boa qualidade(mais equilibrada que qualquer outra, fará com que vivam mais tempo e com maior qualidade de vida),água sempre disponível (que adora beber nos sítios mais improváveis), unhas cortadas (pois!), desparasitações de 3 em 3 meses, cuidados com as bolas de pêlo, vacinas em dia, uma ida por ano ao veterinário, uma boa escovadela diária.

    Acresce o amor que temos por eles e o tempo para as brincadeiras que exigem.

    Não é preciso mais que isto e tem-se um gato feliz.

    (às vezes penso que só sirvo para pagar a renda de casa DELE e manter satisfeitos os seus desejos…)

  11. Olá!

    Agora não tenho nenhum gato, porque moro num apartamento, e acho impensável ter um gato num espaço fechado. Mas em solteira, vivia numa vivenda com jardim e quintal e tinha uma data de gatos. Tudo começou com uma gata que depois foi parindo e nós deixávamos ficar sempre um filhote. A gata sempre comeu os nossos restos e às vezes massa ou arroz com carne feitos de propósito para ela e os filhos. As únicas vezes que a gata tomou banho foi quando o meu irmão a atirou para o tanque de rega “para a ver a nadar, tão gira!” – dizia ele. Sempre achámos que o que ela se lavava com a língua chegava. A gata nunca foi esterilizada, nunca nos passou pela cabeça tal coisa. Sempre fez as necessidades numa caixa com areia e, esporadicamente, num buraco que cavava no quintal. A gata já tem mais de 10 anos e ainda vive feliz e contente! Ah, e não se vê por lá um rato há anos! Isto para dizer que os gatos não precisam de grandes cuidados, precisam é de ar livre. Beijinhos e muitas brincadeiras com a twitter!

  12. ola, rosa!

    eu nao consigo cozinhar para a fiona, alem disso o nosso veterinario disse que estas comidas secas tem boas proporcoes de tudo do que gatinho precisa e tal (espero que ele nao seja uma pessoa que trabaha para uma marca de comida, mas acho que nao, nao nos recomendou nenhuma marca concreta…) e que e dificil aprender e preparar tal comida em casa se nao se tem muito tempo.

    a nossa fiona come o seco, compramos-lhe ‘o melhor seco’ numa loja de comida para os animais e nao num supermercado (mas as vezes acontece o do supermercado tambem), e um molhado de vez em quando. fiona bebe agua sem problemas. as vezes damos-lhe um pouquinho de nata ou um pedaco de folha de alface, gosta. ou do frango fresco (nao cozinhado).

    e esterilizamo-la. sofreu imenso antes! e o nosso veterinario disse-nos que se nao se o faz e a gata nao tem gatinhos e muito comum que tenha uma doenca tipica de gatas, nao sei o nome em portugues, mas e algo do utero. entao se nao se planeja que a gata tenha filhos (eu as vezes arrependo-me, fiona e fantastica e gostava de ter fionas pequenas, mas a e tarde demais e a nossa casa e muito pequena) e acho que e melhor faze-lo.

    beijinhos!

  13. Rosa,

    eu tenho gatos (4 em casa & uns 20 abandonados passeando pelos telhados & instalados no jardim da minha proprietária – q muito irritada anda !). Adoro gatos, sempre vivi com eles e será a minha paixão, concordo com a Alexa. Há uns tempos aqui perto da minha casa fui testemunha de um drama com gatos abandonados que ficaram prisoneiros no interior de 1 casa abandonada q tinham fechado com tijolos todas as janelas e portas deixando là dentro animais vivos.Agradeço aos bombeiros de Lisboa pela atençaõ simpatia e disponibilidade com que efectuaram a ajuda em salvar estes animais, e o chefe bombeiro explicou-me q o grande drama de tanto animal abandonado perdido sofrendo pela cidade é pq as pessoas não

    têem o hábito de esterelizarem os animais, neste caso os/as gatas que fogem qd buscam companheiros.

    também te aconselho em arranjares um veterinário de confiança, não aquelas clínicas q só querem dinheiro e mais dinheiro e tudo é razão para hospitalizarem o teu animal. Em lisboa, gosto da dr inês de almeida q trabalha de manhã no consultório da união zóofila, av valbom – consultas baratas, comidas com redução de preço e sempre todos muito simpáticos – e a clinica joão XXI, av de roma, com muito bons profissionais também, um pouco mais caro !

    se precisares de uma catsitter podes deixar a twister cá em casa, há espaço para cada gato sem muitas lutas penso eu !

  14. Fico feliz de saber que a gatinha da Marina tem 10 anos e ainda vive muito feliz e contente, apesar de ter tantos (ou tão poucos) cuidados como os de qualquer gato que viva na rua e sem dono!

    Em minha opinião o ponto é precisamente esse: logicamente que os gatos se “safam” muito bem sozinhos na rua, na maioria dos casos (desde que alguém lhes dê comidinha, tenham um local onde se proteger, não sejam atacados por cães cujos donos os instigam contra eles – para os treinarem para as famosas lutas ou por outras pessoas com grandes problemas psicológicos que para aí andam e fazem o pior possível com animais abandonados ou de rua)… logicamente também que sempre houve gatos de campo e nunca tiveram os tratamentos a que hoje em dia damos mais importância.

    No entanto, ao adoptarmos um animal, ao trazermos para os nossos lares (apartamentos ou casas) um animal, neste caso um gato, temos que nos mentalizar que temos sobre ele responsabilidades, tal como se se tratasse de um filho. E, se existem uma série de tratamentos, prescrições e hábitos alimentares que podem contribuir para uma vida mais longa dos nossos animais, em minha opinião, devemos segui-los. Porque é claro que os gatos na rua se safam sempre e sobrevivem, mas ao adoptá-los passaram a ser da nossa inteira responsabilidade… e, tal como não deixamos os nossos filhos ao deus dará na rua, assim devemos agir para com os animais (desculpem ser tão radical nesta opinião, mas é mesmo aquilo que penso).

    A questão levantada pela Maria, sobre os animais abandonados/de rua não esterilizados e a sua procriação é muito importante.

    Por isso é que depois há tantos animais (gatos e cães) a irem parar aos Canis Municipais ou a lá serem deixados pelos seus próprios donos (muitas vezes, deixam a sua própria gata com os filhotes que teve, como já vi por diversas vezes)!

    A título de exemplo, para quem não conheça a realidade do que se passa na grande maioria dos nossos Canis/Gatis Municipais, deixo-vos aqui o testemunho do que vi na primeira vez que entrei no de Lisboa:

    http://parolesimages.blogspot.com/2007/04/uma-tarde-no-canilgatil-municipal-de.html

    Assim como podem ler neste outro blog, o caso em que me envolvi para de lá resgatar 7 gatos dos quintais (das minhas traseiras) e 3 ninhadas que l+a foram parar, porque uma vizinha se fartou de os ver no seu quintal (já eram muitos!) e chamou o Canil (logicamente que agora, nesses quintais, existem inúmeros ratos): http://setegatosquintais.blogspot.com/

    Mas é como disse no 1º comentário que aqui deixei, a Rosa é que decidirá sobre tudo isto… mas penso que seria importante aconselhares-te também com um veterinário.

    Um abraço

  15. Olá Rosa! Essas questões são muito complexas, e há poucos meses atras também me questionei bastante, mas como quase tudo foi aqui já dito, deixo-te aqui uma dica. Logo que o Ming cá chegou fizemos um “arranhador” e ele aprendeu a usá-lo logo desde o inicio, e nunca arranhou nada cá em casa, para além que ele adora brincar e dormir nele! Vê aqui: http://saquinhosdecheiros.blogspot.com/2008/10/cresceu.html#links

    é fácil de fazer e bastante mais económico e bonito do que os das lojas.

  16. A nossa gata tem 3 anos, não é esterilizada e come ração seca e os restos que vai apanhando. Água, só quando a torneira está a escorrer. Não bebe água parada.

    Foi uma única vez ao veterinário, com uns 6 ou 9 meses, que aconselhou esterilização só depois do 1 ano. Por preguiça e por razões financeiras (a coisa custa uns 100 euros) nunca lá voltámos, de maneira que umas 3 ou 4 vezes por ano lá aguentamos com o cio… que é a única altura em que fica meiga, de resto é super-arisca.

    Como não há grande forma de sair do apartamento, nunca nos preocupou a possibilidade de ficar grávida.

    O seu grande senão é ter dado cabo das costas do sofá ao fim de 2 semanas… e continua a afiar a unha no tapete, nas costas das cadeiras (em tecido, nas costas do sofá e, no outro dia, nas pranchas de bodyboard (são feitas de uma espécie de espuma muito densa e dura…)dos miúdos que por segundos foram deixadas ao alcance dela…

    Já ouvi todas as opiniões dadas por outros proprietários de gatos, ecoando conselhos de veterinários, sobre esterilizar/não-esterilizar e comida de pacote/comida a sério. Resumindo e concluindo parece-me que reduz-se muito a uma questão de opinião – nada de muito científico ou concreto. O gato de uns amigos nossos tem 18 anos e só come comida de pacote – e apenas tem as maleitas próprias da idade; as gatas familiares da nossa, propriedade de grandes amantes de todo o género de animais (têm também em casa tarântulas, cobras, ratos, etc), são todas esterilizados, quando muito esperam pela 1ª ninhada…

    Quanto às arranhadelas, gostava mesmo de arranjar solução. A única que me pareceu eficaz é extremamente bárbara – arrancar as unhas aos desgraçados. Mas olha que há quem o faça!

    Enfim, não li nada sobre o assunto, tem sido um pouco navegação à vista. Mas a bicha parece hiper saudável e eficiente na caça que dá aos que se lhe submetem na cadeia alimentar ;)

  17. Eu tenho um livro singelamente intitulado “O que você precisa saber sobre o gato”, escrito por dois veterinários chamados Joel Dehasse e Colette de Buyser.

    Achei-o bastante eficaz, designadamente para auxiliar na educação do nosso primeiro gato, que inicialmente era um pequeno demónio e que acabou por se transformar no animal que mais gostei de ter até hoje.

    Se quiseres empresto-te.

  18. Olá,tenho gatos e uma, a Joana,que é muito parecida com a Twitter, e já trabalhei numa clínica veterinária e digo-lhe que apesar de parecer generalizado, a ração seca (nunca húmida, ou seja de lata ou saqueta, diz quem conhece a produção que é um nojo) é a melhor solução para ela, a mais saudável, porque tem nas quantidades certas o que ela precisa; para nós é a mais higiénica e caso tenha de ficar de férias com alguém também é menos complicado. Os gatos são extremamente selectivos no que respeita ao paladar se lhe der habitualmente carne ou peixe mesmo que misture legumes ou arroz ela só vai comer o peixe ou a carne e isso não é bom para ela, são demasiadas proteínas e mais nada durante toda a vida. Tendo em conta que os gatos têm um sistema urinário bastante sensível ela poderá vir, mais cedo ou mais tarde,a desenvolver uma insuficiência renal, tenho assim um gato e já há anos que só come ração especifica para o seu problema e nunca mais teve problemas de cálculos renais. Recomendo-lhe uma boa ração seca, evite as rações de supermercado têm demasiada gordura e não são de todo as melhores.

    Em relação à esterilização, acho que é uma opção vossa, que têm de ponderar bem, se querem ou não que ela seja mãe, se ela tem acesso á rua, caso tenha e vôces não queiram que ela procrie é melhor castrarem-na senão vão ter muitas gravidez indesejadas. Uma gata castrada ainda nova tem muito poucas hipóteses de vir a desenvolver cancro da mamã, infecções uterinas que obrigam a uma castração de urgência e que coloca em perigo de vida a vossa pequenina. Conviver com uma gata com o cio é um inferno já a aviso, pelo menos a maioria assim é, têm de se preparar para isso, ela deixa de ser a gata que vocês conhecem, é assim com a nossa Joana, é uma decisão difícil que nós ainda não tomamos, isto porque do outro lado existe aquilo que é natural. Têm de pensar no que é melhor para ela e para vós. Muitas felicidades.

  19. Muito rapidamente: o Ming tem sido seguido por veterinário desde que veio cá para casa, há 4 anos, já o esterilizámos e come comida seca. è muito bem disposto e saudável.

    A identidade dos gatos não passa pelo facto de serem, ou não, sexualmente activos. Também vou ao veterinário da João XXI, de que gosto muito.

  20. Só para esclarecer a Alexa: a gata toda a vida viveu no campo (ah, e nunca foi ao vet., nunca precisou), assim como eu e os meus pais, e eu dentro de dias para lá voltarei, para viver com o meu marido e o meu filho numa vivenda com um jardim e um quintal muito grandes, onde também teremo gato(s?). No campo é prática comum os gatos andarem na rua e viverem mais ou menos em liberdade. Também é hábito as crianças brincarem na rua, umas com as outras, a treparem às árvores ou a andar de bicicleta no meio das terras(não fazendo isso dos pais, maus pais). Eu sei que não é fácil as pessoas que vivem em meios maiores conceberem estas coisas simples. De facto, numa cidade, é irresponsável deixar, quer uma criança, quer um animal, andar na rua sozinho. Se bem que uma coisa não tem comparação com a outra (gatos e crianças), cada macaco no seu galho! Mas no campo é seguro e o perigo não espreita a cada esquina. Vivendo no campo, uma saloia portanto (lol), tenho esta visão das coisas.

  21. Primeiro que tudo, parabéns pela Twitter! Quanto à alimentação e esterilização, existe imensa informação online sobre o assunto, mas posso dar-te a minha experiência derivada de vários anos com gatos, pareceres veterinários, e imensas horas de pesquisa na net.

    A esterilização é essencial, e quanto mais cedo melhor. Já para não falar no mais óbvio (a prevenção de crias), uma gata esterilizada bastante cedo, antes ou por volta do primeiro cio, evita uma potencial infecção uterina que se chama piómetra, cancros mamários e dos ovários.

    Para além do factor saúde, as gatas têm o cio de 15 em 15 dias, o que é muito incomodativo para elas, visto passarem o dia a miar e roçarem-se em tudo o que mexe!

    Quanto à alimentação… Sem dúvida que é muito melhor a húmida, visto os gatos que se alimentam só de ração seca terem uma predisposição natural para (potencialmente fatais) problemas urinários e de rins, visto não beberem água suficiente através da ração, ao contrário dos gatos com uma alimentação húmida.

    Caso tenhas dúvidas, os gatos fémea safam-se bem com uma alimentação mista, com um pouco de seca e húmida.

    Boa sorte com a pequenina.

  22. Olá, Rosa

    Sou totalmente a favor da esterilização, de preferência antes do 1º cio.

    Podes encontrar muita informação na net sobre este assunto.

    Alguns exemplos:

    http://www.humanesociety.org/pets/pet_care/why_you_should_spay_or_neuter_your_pet.html

    http://www.esteriliza-me.org/

    Relativamente à alimentação (http://arcadenoe.sapo.pt/artigo/a_alimentacao_do_seu_gato/137) os animais que vivem connosco comem diariamente ração seca e com menos regularidade ração húmida. O melhor será discutires este assunto com o veterinário. Se optares por ração aconselho-te a apostares na compra de uma marca de qualidade.

  23. Rosa,

    Tenho 2 gatas e sublinho totalmente o respondido pela Alexa.

    E essa teoria de que os gatos não precisam de ir ao Vet é, no mínimo, neanderthal!!

    As pessoas vão ao médico só quando estão doentes?? Ou fazem prevenção, vacinas, dietas específicas para certos problemas, etc?

    Com os animais é igual.

    O meu conselho é: arranje antes de mais um bom veterinário que, sendo competente, a irá informar correctamente do que é melhor para a sua gata, considerando o seu meio e as circunstâncias que a rodeiam. Porque nestas questões dos animais, como nos assunto relacionados com filhos e nas opiniões, raramente existe consenso, logo o melhor, para eles e para nós, é a informação e sobretudo o bom senso.

    Boa sorte.

    Já agora e, se não fui clara:

    ração SIM

    esterilização SIM SIM!!

  24. também concordo totalmente com a alexa.

    depois de falar com vários veterinários, uns contra e outros a favor da esterilização, optei pela mesma. ele assim não sofre, não tem necessidade de ir atrás das gatas. e ao contrário do que me avisaram, não passou a ser um gato mole e pachorrento. continuou super activo e brincalhão.

    quanto à comida, nem pensei noutra coisa, é ração seca (e da boa). é o mais equilibrado que há. e também cá em casa não se cozinha carne nem peixe.

    tenho cá por casa uns livros da royal canin sobre gatos, mas não faço ideia se são bons ou não. na altura, li bastante sobre o assunto na internet e fiz imensas perguntas aos veterinários. mas se quiseres posso-tos emprestar.

    a propósito, há umas duas semanas comprei uma prenda para a twitter. andou perdido na minha mala e até foi comigo para madrid. lá ver se esta semana lhe dou o brinquedo.

  25. Olá, Rosa.

    Também sou um pouco nova nesta coisa de gatos, só temos o Burton à um ano e pouco.

    Como já foi dito, o melhor é começar por ter um bom veterinário.

    Dar as vacinas, fazer desparatisação.

    O que faço é dar ração seca e dou uns miminhos de vez enquando, um pouco de peixe cozido, um pouco de massas ou arroz(pouco), carne cozida. O veterinário concordou com a diéta, só me disse para evitar dar pescada porque pelos vistos causa-lhes problemas nos rins.

    Em relação à estrelização. Sou a favor, não só para impedir que engravidem sistematicamenta reduzindo a esperança de vida, mas também para evitar problemas de saúde.

    Pode parecer um discurso egocêntrico, mas existem tantos gatos abandonados, tantas associações com dezenas de gatos para adoptar, para quê colocar mais neste mundo?

    O Burton foi castrado, não só pela questão da marcação de território, mas para ver se acalmava e deixava de ir às gatas. Desapareceu de casa duas vezes e quando voltou nessas duas vezes veio em muito mau estado.

    Aqui vai um conselho para quem não consegue que o seu gato beba água suficiente ou parada, comprem uma daquelas fontes para os animais. O Burton adora e passou a beber muito mais água, tive que lhe comprar uma porque teve uma infecção urinária por beber tão pouca água.

  26. Rosa

    em relação à esterilização de animais domésticos (quer cães quer gatos) concordo em absoluto com a Alexa.

    Uma fêmea esterilizada, cujo corpo não atravessa – sucessivamente e em vão – todos os estádios hormonais do cio com vista à procriação, é menos susceptível de desenvolver várias doenças do foro uterino e mamário. Para não falar que, no caso das gatas, o som q elas fazem quando estão com o cio é de levar à loucura – parece que estão a sofrer horrores.

    Esterilizar os animais domésticos é, na minha óptica, essencial quer para o bem estar deles, quer para impedir a proliferação de animais abandonados, abatidos e mal-tratados.

  27. ‘Faz-me confusão a opinião generalizada de que é melhor alimentar os gatos a comida de pacote’.

    Não concordo que seja uma ideia generalizada. É uma ideia muito em voga nos países anglo-saxónicos, veiculada por uma corrente de veterinários, após vários estudos no que se refere às infecções urinárias, mas por cá ainda muito pouco relatada (são ainda raros os vets portugueses que a aceitam).

    O que se passa é que, dado não terem muita sede, ao comerem somente ração seca, os gatos vão ficando progressivamente desidratados e começam a criar cristais na urina, e no casos os machos, podem inclusivamente ficar bloqueados e até morrerem como consequência.

    Ao incluires mais humidade na alimentação, o que acontece com a ração de lata e pacote, o gato está automaticamente a ingerir mais água na sua dieta.

    É como se comesses só All-Bran e quase não bebesses água nenhuma, certamente terias problemas a nível renal e urinário, ao passo que com uma sopa, já ingeres a água necessária a todo o processo.

    Quem tem gatos sabe que ao contrários dos cães, não costumam beber muita água, o que os propicia a este género de doenças.

    Quanto à esterilização, sim, sim, e sim. Não é cruel, é uma simples operação que impede que hajam mais animais nas ruas, com o grande bónus de as gatas evitarem vir a ter cancros de origem hormonal.

    No que toca a cuidar de animais, quanto mais informação tiveres, melhor será.

  28. É a primeira vez que entro aqui e estou encantada com seus bonecos!!! São lindos e fofos! Parabéns pela criatividade!

    Neste mês de junho estou fazendo um sorteio de um colar de pérolas lá no meu blog, aberto à participação de todos :)

    Ah e já estou te linkando lá tb!

    Abraços!

  29. tenho dois gatos que vivem vidas separadas mas felizes. o félix tem 18 anos vive com os meus pais num apartamento, sempre comeu ração e foi castrado aos 9 meses, ou melhor, antes de janeiro começar e as gatas entrarem no cio. é um calmeirão, defensor do lar das pessoas estranhas e começou recentemente a perder a vitalidade que tinha. quando morrer temos a certeza de que teve uma vida cheia de emoção e muito carinho.

    a maria tem 5 anos, vive connosco num apartamento é completamente louca e desvairada, come sempre ração. foi castrada (não tem útero nem ovários) porque quando teve o primeiro (e único cio) ficámos horrorizados com o sofrimento do animal. foi operada e passados 3 dias já corria novamente.

    os gatos têm isto de brilhante, a sua capacidade de resistir à dor, mudança, independencia.

    mesmo num apartamento os gatos podem ser felizes e terem vidas muito dinâmicas, posso dizer que da minha varanda minuscula, a maria já apanhou mais de uma dezena de passaros !! sendo a sua alimentação 99% de ração, logico que nao resistimos a dar umas lascas de bife, pescada cozida ou um bom osso de borrego. os efeitos colaterais desses petiscos são algum comportamento mais “selvagem”, o espalhar de ossos e espinhas por sítios que não o prato deles. fora isso é sempre uma grande aprendizagem.

    boa sorte!

  30. Olá Rosa!

    O Twiter é um espanto, tem uma cor super original. Eu tenho 3 gatos duas gatas a Luna e a Liz e o Jonas. Convém esterilizar os animais para que depois não possamos ter surpresas menos agradáveis. Nos gatos é conveniente, especialmente porque eles têm a mania de marcar território e o cheiro a urina é insuportável. Além disso eles ficam mais calmos e também engordam um pouquinho mais.

    Quanto à comida costumo dar-lhes ração seca e alterno com a húmida, entanto, dou-lhes peixe cozido e miúdos de frango cozidos, mas sem sal, leite, iogurte e água. A Liz consegue abrir a torneira da cozinha para beber água. Alguns têm preferência por água corrente.

    Gostam de banho se forem habituados desde pequeninos. A cabeça é sempre a ultima parte a ser molhada e lavada.

    Relativamente à coleira não usam, porque eu não gosto de ver. Se colocares uma no Twiter não coloques guizos na coleira porque isso pode provocar-lhes surdez.

    Por fim, querem muito mimo, e muita brincadeira. Deixo-te aqui um link com um tutorial de um rato de tecido que eles adoram…. ***** Espero ter ajudado!

  31. Cara Rosa,

    O meu gato, o Óscar, tem cerca de 8 a 9 anos.

    É um senhor gato!Adora dormir, dormir e dormir, comer e brincar – por esta ordem :)

    Foi castrado logo em pequenino e recomendo vivamente: evitamos xixis desnecessários pela casa e choros desesperados pela noite dentro devidos ao cio.

    Sempre comeu ração e de vez em quando, muito esporadicamente, dou-lhe lata – que ele adora (!)mas que não faz nada bem:é hipercalórico, vicia etc. Uma porção de ração e outra de água fresca por dia é tudo o que precisam para serem felizes. Este não só é feliz como saudável!

    Não esqueçer a desparatização.

    Livros há muitos, mas faça como eu:passe uma horinha na Fnac, é o que basta para saber mais sobre estes fantásticos animais de companhia…

  32. Marina,

    Muito obrigada pela clarificação, mas eu compreendi no seu 1º post que vivia no campo.

    Daí ter mencionado ser normal que no campo, desde tempos ancestrais, os animais vivam mais em liberdade e comunhão com a natureza (no caso dos gatos, acabando basicamente por serem como se fossem gatos de rua).

    E, no caso da sua gata, como também salientou, que não tenham tantos cuidados como aqueles que, a grande maioria dos donos, actualmente, dá aos seus gatos nas grandes cidades (mas alguns, também, no campo).

    Tudo isto depende de mentalidades e concepções de vida!

    O que quis salientar, quando aqui partilhei o meu ponto de vista sobre este assunto, é que, essencialmente, quando adoptamos um animal e o trazemos para os nossos lares (seja em apartamentos, casas ou vivendas), temos que nos mentalizar que temos sobre ele responsabilidades.

    E permita-me que lhe diga, Marina, que, quando diz “Se bem que uma coisa não tem comparação com a outra (gatos e crianças), cada macaco no seu galho!”…

    Um gato ou cão bebé é tão ou mais frágil do que qualquer criança e, em muitos casos, vivendo nas ruas das cidades ou dos campos, corre muito mais perigos do que uma criança.

    E é precisamente devido a esses “cada macaco no seu galho” que Portugal está nas condições em que está em termos de defesa dos direitos dos animais… que até hoje continuam a ser concebidos como coisas e não como seres vivos!

    Um abraço

  33. Desde que me conheço, sempre tive gatos. O mais importante e que deves fazer, é levar o gato a um veterinário, para ser desparasitado, vacinado e tudo o resto. Isso é muito importante, principalmente quando se tem crianças em casa. O resto, o veterinário sabe melhor do que ninguém, não são precisos livros. Cada gato tem a sua personalidade, as suas manias, as suas brincadeiras.

    Aaaahhh!!Uma dica divertida:há uma erva, que os gatos gostam muito e é estimulante (mas só quando adultos), que se chama catnip. Tenho a certeza que vais fazer uns brinquedinhos de tecido, daqueles lindos de morrer e podes sempre por essa erva, junto com o enchimento!

  34. Visto ser gata, e não um macho, podes alternar comida seca com húmida (os machos são mais propensos a doenças do foro urinário). Ainda assim, é muito importante dar alguma comida húmida diariamente para tornar a urina mais fluida (os gatos não são grandes bebedores de água).

    Quanto à godura, existe uma ideia falsa generalizada que as comidas húmidas têm mais gordura, mas tal não podia estar mais longe da verdade. Pega numa embalagem de comida de boa qualidade (da mesma marca e género, claro está), Royal Canin, Hill’s, Purina, e compara a informação nutricional: os níveis de gordura na seca andam geralmente á volta dos 25/30%, enquanto na húmida rondam os 5/10%.

    Esta simples comparação está disponível e pode ser comprovada por qualquer um.

    Qunato à esterilização, a resposta é sim, pelas razões já aqui relatadas por outras pessoas.

    Gostaria também de acrescentar que os gatos não devem andar soltos pela rua para não correrem o risco de ser atropelados, mortos, brigarem com outros gatos ou cães, adoptados por outra pessoa ou ainda, muito importante, para não apanharem, entre outras, as doenças de imunodeficiência felina, FIV e FeLV.

    Tem as vacinas e a desparatização interna e externa em dia, dá-lhe muito amor e carinho, e já está, em princípio nada correrá mal.

  35. Eu concordo e revejo-me bastante na opinião da Alexa. Adoptar um gato é acrescentar um elemento à família. É precisa muita responsabilidade e estar ciente dos encargos que isso traz.

    E não podia concordar mais com esta observação da Alexa: “Portugal está nas condições em que está em termos de defesa dos direitos dos animais… que até hoje continuam a ser concebidos como coisas e não como seres vivos!”.

    Da minha experiência (tenho gatos há 14 anos), digo sim à ração e à esterilização.

    Uma coisa que recomendo: procurar de maneira incansável um bom veterinário e ouvir opiniões médicas. Já tive muitas más experiências, mas finalmente encontrei a veterinária ideal para os meus 3 gatos.

  36. olá rosa,

    a nossa procura não foi longa, cá em casa já moram duas ‘novidades’. têm dois meses e andam sempre na brincadeira. sobre os assuntos focados também vou ter de me actualizar…

    abraço grande

  37. Li agora o comentário da Marina, e deixa-me dizer-te Rosa, que pelo contrário, os gatos necessitam de imensos cuidados como eternas crianças que são.

    Quanto à liberdade, os gatos caseiros vivem em média cerca de 12/15 anos, mas aqueles que têm acesso **não supervisionado** à rua, vivem somente cerca de 2 anos!! A gata de 10 anos referida tem tido imensa sorte, mas infelizmente é um caso nada habitual.

    A razão? Como já aqui foi dito, para além do atropelamento, os gatos morrem envenenados, atacados, ou de doenças apanhadas na rua.

    Um gato mesmo com dono, caso ande pela rua, tem exactamente as mesmas hipóteses de morrer que qualquer gato vadio. Já bastam as mortes daqueles que não possuem a sorte de ter uma família.

    Caso tenhas quintal, podes deixar a Twitter brincar lá fora supervisionada, caso contrário o melhor será mantê-la dentro de casa, com muitos brinquedos para não se aborrecer.

    Boa sorte com a criança.

  38. Olá Rosa

    Eu tenho um gato (o Pilas), com 5 anos. Quando ele veio cá tentei informar-me ao máximo sobre os felinos domésticos e em que é que nós, como familia, poderiamos ajudar o nosso menino a ser um menino feliz.

    A castração não foi discutida, optámos por a fazer visto que o Pilas seria um gato de apartamento, e a acrescentar a essa crueldade não lhe quizemos dar a de não poder ser um macho frustado.

    Quanto à alimentação. Também usados ração seca, de marca de veterinário, dxe acordo com as suas necessidades e tendo em conta que é um macho, castrado e vive em casa. De vez em quando come uns petiscos, como carne crua, fiambre ou leite.

    Não tenho dúvida que é um gato alegre e bem disposto. Adora brincar connosco e atenção. É um gato muito mimado…

    Beijinhos da Ana Cristina

  39. Rosa,

    Como sabes, tenho duas gatas.

    Poderia dar-te aqui muito conselhos, mas já os obtiveste, e muito bons e acertados, através dos comentários da Alexa, com quem não poderia estar mais de acordo. Um gato (um qualquer animal) é mais um membro da família. A nossa responsabilidade para com ele é enorme. A responsabilidade de lhe proporcionarmos uma vida longa e feliz.

    Atenção à máquina de lavar roupa (muitos gatos gostam de se esconder aí) e às janelas (usa redes de protecção).

    Rosa Caldeira

  40. Olá Rosa!

    Não quero parecer intrometida a dar muitos palpites sobre como cada um trata os seus animais, mas já que pediu sugestões… aqui vai a minha:

    Actualmente, quer os cães quer os gatos que vivem nas nossas casas, acabam por se adaptar a um tipo de vida diferente da que teriam se fossem selvagens. Ou seja, não faz muito sentido tentar dar-lhes a comida que eles comeriam, mas depois estar à espera que urinem numa caixinha de areia e venham para o nosso colo. Além disso, a comida própria para animais é concebida para lhes proporcionar todos os nutrientes de que precisam e na medida certa – o que é difícil de conseguir sendo nós a preparar-lhes a comida (além de que sai mais caro e dá mais trabalho). Por experiência, recomendo ração seca, para evitar diarreias, mas nesse caso é importante ter sempre água limpa à disposição. A Twitter irá beber quanta precisar, eles sabem tomar conta de si. Quanto melhor é a ração, melhor será o seu pêlo, o seu hálito, etc. etc. E depois é uma questao de ir ajustando conforme a idade e até os gostos, porque há gatos que se fartam com mais facilidade, uns que se contentam com a ração do pingo doce, outros que só lá vão é com whiskas.. sei lá!

    Agora quanto À esterilização, também a aconselho. Previne problemas de saúde relacionados com o aparelho reprodutor, evita fugas de casa para ir acasalar, já para não falar que uma gata com o cio é mesmo algo incomodativo para nós e os vizinhos. Há quem pense que é anti-natura, mas também o é deixá-la ter os cios sem deixar que acasale. Digo eu…

    A esterilização é uma operação muito simples, barata, o pós-operatório não é assim muito complicado…

    Termino este testamento dizendo apenas que não tenho gatos, só cães (uma cadela esterilizada e um cão adoptado da rua) mas sou voluntária numa associação (o SOS Animal) pelo que me limitei a passar aquilo que na associação tentamos transmitir sempre que possível às pessoas, na nossa luta para salvar os animais abandonados e encontrar-lhes donos responsáveis.

    Ah, afinal tenho mais uma coisa para dizer: hoje comprei uma Bernina Aurora 440qe (em segunda mão, ufff!) como meu presente de aniversario e estou nas nuvens!!!

  41. Alimento seco: SIM

    Esterilização: SIM (de preferência antes do primeiro cio.

    Por todos os motivos já acima mencionados. Caso precise de alguma orientação na escolha de um médico veterinário na zona de Lisboa é só perguntar. É claro que estou disponível para qualquer dúvida ;-).

    Continuação de um bom trabalho (eu estou a aproveitar cada segundo da licença de maternidade)

  42. Hi,

    Was wondering where you bought your Bernina Aurora 440QE from as I am looking to get one and am in Portugal.

Comentar