11 comments » Write a comment

  1. eu tricoto sem ser ao pescoço, e sem gancho e sem ser à espanhola. è aconselhável para quem tem tend~encia a ter uma malha muita “apertada”. A minha sogra no Natal pediu que me ensinasse como.

  2. eu ADOREI e estou desejosa que chegue o próximo sábado (ontem não tive tempo de me dedicar ao trabalho de casa mas de hoje não passa).

    e obrigada pela tua ajuda, Rosa :))

  3. Tenho de me candidatar a um workshop destes…
    Já tenho as agulhas, mas as experiências deste fim-de-semana não estão a correr lá muito bem :-S

  4. Eu também ADOREI, não só o que aprendi mas o convívio entre mulheres que gostam e valorizam este trabalho que só pode ser feito com muito amor e dedicação, porque apesar das mestras dizerem que é fácil… assim à primeira, ehehe, não parece. Mas acredito que depois de conseguirmos tricotar a primeira tudo vai parecer mais fácil.
    Mal posso esperar pelo próximo sábado :)
    Até lá vou tentar cumprir com o homework :)

  5. Também comecei as minhas depois de tanto tempo feita a encomenda: Regia + 5 agulhas bambu. Estou a adorar. É mais fácil do que parece.
    Bjs

  6. Fiquei a olhar para os fotos a sorrir. Lembrei-me da minha avó materna que “manobrava” não sei quantas agulhas magistralmente e eu ficava a ver, muito admirada, como a avó conseguia fazer aquilo! Nunca soube fazer meias… nem a minha mãe! :)

  7. Muito legal ver mais 4 pessoas interessadas na arte de fazer meias. Eu finalmente consegui fazer meias: fiz 2 pares para as minhas criancas. Eu comecei tentando fazer com as varias agulhas. Eu me adaptei melhor com 2 agulhas circulares. Obrigada por partilhar.

  8. :-) Lindo! Ainda hei-de aprender com a Zélia a fazer meias de cima até ao calcanhar, não me lembro como se faz, aprendi com a minha avó há muito tempo… agora só faço do calcanhar para cima. As fotos estão bonitas, parabéns!

Leave a Reply

Required fields are marked *.