jogo das tampas

jogo da tampa

jogo da tampa

Apontamentos da E.:
De casa até casa da avó: 108 (pelo caminho anormal).
De casa até à loja: 30
e da loja até casa da avó: 71.

Objectivo: pisar o maior número possível de tampas (qual o nome técnico destas tampas?) entre o ponto de partida e o ponto de chegada do caminho.
Regras: só vale pisar as tampas do passeio (a não ser nas ruas que não têm passeio). As tampas grandes valem 5.

jogo da tampa

17 comments » Write a comment

  1. :-)
    Eu adorava esses jogos.
    …acho que ainda hoje gosto, embora já esteja “um bocadinho crescida” para os praticar sem ser dada como louca.

  2. Nos regressos a casa, ao final do dia, para evitar colos, inventei com a minha filha vários jogos com tampas. ainda hoje, e ela já tem 5 anos, qd me diz que está cansada, desafio-a para um jogo de tampas e chegamos a casa num instante. Os jogos consistem em pisar as tampas e depois pode variar entre pisar todas as tampas pequenas ou as grandes, pisar só com um pé ou com os 2, etc.
    Ro

  3. :)

    os meus jogam também com as tampas (ou com as pedras pretas… na rua garrett dá muito bem…)como se fossem granadas que só não explodem se forem pisadas; mas se forem pisadas muito tempo (medições deles) explodem mesmo e têm de saltar não-sei-quantos metros para diante – jogos de rapazes ensinados por rapazes mais velhos…

    a calçada portuguesa é óptima também-jogo dos pés tortos (só pisar as pedras pretas), macaca inventada (regras indecifráveis) e as clássicas variações de não pisar o —-.

    e se há coisa que os miúdos gostem de ver é os calceiteiros a fazer o puzzle da calçada…; e também gostam de chutar as pedras soltas durante o máximo de tempo possível sem cair no asfalto…

    entretanto, ouvi dizer que o a. costa queria retirar a calçada em certas ruas por causa dos velhotes e das pessoas de mobilidade reduzida… e que tal uma ajuda qualquer concreta (tipo cadeiras-elevatórias nos prédios velhos…) para casos concretos?

  4. Eu brincava com os meus irmão a só pisar as pedras pretas (ou as brancas) da calçada dos passeios. Às vezes ainda brinco assim ;)

  5. Isto faz-me lembrar o jogo das árvores de natal, eu e a minha irmã contávamos as árvores de natal iluminadas que se viam das janelas no trajecto de casa da minha avó até à nossa casa, quem visse mais ganhava. E o belo jogo da calçada portuguesa, em que só podíamos pisar as pedras pretas, as brancas eram água e se as pisássemos morríamos afogadas!

  6. a teresa que tem 2 anos e pouco ainda não descobriu as tampas mas é viciada em buracos na calçada. com em lisboa são fáceis de encontrar, anda sempre de buraco em buraco e às vezes até leva uma pedra solta para casa.

  7. Eu, irmã mais nova de quatro, adorava as viajem domingueiras de carro da Póvoa até Guimarães, apesar de acabarem sempre um bocadinho para o torto… Cada um escolhia uma letra e assim que era avistada na matrícula de um carro…, não, não ganhávamos nada de especial mas sim um “monte de porrada” nas costas!! Nortenhos rufias!! Era o jogo das matrículas. Isto porque ainda não existiam regras de seguranças tão rígidas (importantes!) e podíamos ir os quatro no banco traseiro livres como passarinhos… até que o meu pai era obrigado a parar o carro para pôr um pouco de ordem nos passageiros traseiros. Vivam os irmãos!!!

  8. quando saí o trabalho dei por mim a contar as tampas da água, contei 35 até ao comboio :DDD
    isto fez-me lembrar que quando eu era pequena tinha o hábito de contar os táxis verde e pretos que via circular na rua quando eu própria circulava de carro com os meus pais e avós.

  9. Nós fazemos um jogo com a calçada. Primeiro só se pode pisar as pedras brancas e depois só as pedras pretas :)
    Este também me parece giro, vamos experimentar.

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>