os sirgos

a lagartinha comilona

sol

Fomos nomeados babysitters dos bichos da seda da classe da E. durante o fim-de-semana. Há anos que não tinha destes bicharocos em casa. Parecem-me mais pálidos (não tinham riscas mais escuras?) mas ainda cheiram ao mesmo. Ei-los a posar para a fotografia num dos nossos livros preferidos.

bichos da seda

21 comments » Write a comment

  1. eu amo esse livrinho, faz parte da minha wishlist ;)

    nunca tive bichos da seda, até já achava que ninguém andava com eles.

  2. por cá é o primeiro em muitos anos que não temos bichos da seda! os ovos que os do ano passado puseram, enquanto crisálidas, não chocaram, não sabemos porquê…
    os das riscas escuras, aprendi em miúda e os meus miúdos também aprenderam, são os machos… por outro lado, creio que são hermafroditas, portanto nem te sei dizer com toda a certeza ;)

    boa sorte com a busca de folhas de amoreira. Para nós é sempre um quebra cabeças quando eles nascem antes das ditas…

  3. Ai, que saudades me deram estas fotografias do tempo em que era pequenina e tinha bichos de seda! Esse livro é o cenário perfeito:)

  4. Ah, que saudade dos tempos em que era miúda e tinha esses bicharocos dentro de uma caixa de sapatos à minha espera depois da escola.

  5. Rosa,
    é a primeira vez que vejo bicho da seda de tão perto… quando penso neles é o casulo que me vem à cabeça…
    No Brasil, os bichos que trazemos da escola para cuidar em casa são grilos, minhocas ou formigas.
    Um abraço, Lisbeth

  6. O cheiro dos bichos da seda é inesquecível. Se tiveres problemas de folhas podes vir a Caxias. Há uma ruinha só com amoreiras e ao pé da igreja da cartuxa há uma amoreira enorme. E via-te.

  7. Esses são fêmeas, os machos é que têm riscas pretas.

    Não conheço criança que nesta altura do ano não tenha criado bichos da seda.

    Eu em criança tb os criei, já a minha mãe o tinha feito e os meu filhos tb criaram desses bicharocos. É uma maneira muito fácil de compreender a natureza.

  8. eu lembro-me da unica amoreira la do suburbio… onde ia com o meu pai apanhar as folhas… alguns anos depois deu lugar a um predio de betao feio e nunca mais vi amoreiras! e eu tambem aprendi que os riscados eram os machos… aqui nunca ouviram falar de tal coisa… mas no outro dia disseram-me que e possivel comprar os casulos (ja nao me lembro para que tinha algo que ver com a seda…). tambem temos livros do eric carle aos pontapes, mas esse e um classico. quanto a animais de estimacao la dei o braco a torcer por uns ratos do deserto, e que feliz ficaram…

  9. Em Benfica vendem-se folhas de amoreira branca numa loja de animais, provavelmente já se vendem em muitas, mas na Ajuda (Rua das Florindas)há muitas amoreiras. Quando era pequena tive brancos com riscas pretas e também todos «pálidos», agora só temos dos brancos, e isso não é sinal que sejam todos machos ou todos fêmeas, quando nascem as borboletas entendem-se :-) o cheiro é realmente inesquecível e o ruído que fazem também.
    Na Fia do ano passado, na parte de artesanato português mostravam ao vivo como desses casulos se faz o fio de seda para os bordados de castelo branco, e fiquei a saber que em Portugal só existe um local onde fazem isso que é no Centro Sericícola da Carapalha da APPACDM.

  10. Quando era miúda lembro-me de os ter em casa e fazia-lhe imensas atrocidades… achava que eram monótonos, como tal pintava-os às riscas coloridas com canetas de feltro :-S
    A minha mãe detestava-os e ficava danadíssima quando eu, toda feliz, vinha com uma caixa de sapatos cheia deles :-)))

  11. Quando a minha filha me apareceu com um dentro da caixa de sapatos, fiquei c um sorriso idiota na cara: a minha filha, levou-me até uns tempos já passados, em que tb eu levei uns para casa :D
    É mt bom reviver, mt bom!
    BELAS FOTOS!

  12. a minha avó tambem teve quando era criança e dizia que andava com eles na mão a passear. :)

    eu nunca tive mas tenho curiosidade, isso do cheiro é uma novidade pra mim. Também se podem chamar sirgos?

  13. Já alguém fez criação de grilos? É uma das mais gratas memórias de infância: ir ao campo apanhar um macho e uma fêmea e esperar… num ano um dos grilinhos durou até ao Natal!! Agora que tenho um pequeno jardim vou repetir a experiência com o meu filhote. Ah! Um dia deste ouvi um grilo no jardim da praça ao pé de casa!! Fiquei felicíssima! Ainda há grilos na cidade, nem pude acreditar!!

  14. Pois é, o regresso às memórias de infância! Há quanto tempo! Esse cheiro mesmo inesqucível e às vezes à noite pareceia ouvirmos os bichos a roer a s folhas! Esse livro também é um dos nossos preferidos e com os verdadeiros bichos lá dentro como nessa tua foto o livro até ganha vida! :)

  15. Também me lembro deles mais verdes…
    Adorei ver fiar o fio de seda na feira do artesanato FIA – nunca tinha visto e apenas imaginava como seria- é muito bonito ver ao vivo!

Leave a Reply

Required fields are marked *.