毛糸の小ものカタログ

carapuço

carapuço

Um carapuço (ravelry) feito em três ou quatro serões, a partir de um dos livros japoneses deste Inverno. Seguir instruções de tricot em japonês é como um jogo. Na maioria dos casos há um esquema aos quadradinhos, em que cada um corresponde a uma malha, e em que aos diferentes pontos correspondem símbolos sempre ilustrados no final dos livros. Ajuda se se souber por exemplo que 目 é malha e que 号針 quer dizer agulha número e vale a pena imprimir para ter à mão a secção All About Japanese Knitting Patterns deste site, que tem tabelas de equivalências e óptimas explicações. A mais interessante que encontrei recentemente, neste blog, diz que o nome japonês para o ponto de meia – メリヤス編み (meriyasu ami) – deriva do Português e, digo eu, provavelmente da palavra meia. Como terá a malha chegado ao Japão?

PS: a lã é a Beiroa.

beiroa

20 comments » Write a comment

  1. Não sei como é que o tricot chegou ao Japão, mas que os livros japoneses fazem as delícias de qualquer um, ai isso fazem.
    E o gorro…ai o gorro :-))) é mesmo bonito!

  2. Ia jurar que já te tinha falado do meryasu… quanto ao resto, o tricot era em Portugal coisa de homens (v. história das camisolas poveiras). E só deve ter passado a lavor feminino quando a industrialização chegou às malhas…

    bom ano para todos aí em casa!

  3. Olá Rosa, finalmente estou a conseguir dedicar-me à interpretação de um esquema em japonês de um livro sobre Fair Isle que comprei na Retrosaria e confesso que estou com alguma dificuldade em começar. A informação que nos deu hoje foi “super importante”. Vou investigar o dito site … Não será possível criar um workshop “Fair Isle 2″ que nos ajude a iniciar um projecto específicop?, não sei se será exequível mas fica a sugestão/ideia. Mto obg, bj e Bom Ano.

  4. Gorro lindo!

    A minha Beiroa já chegou, já foi dobada e está prontinha a ser trabalhada. Gosto muito! É bom existir uma retROSAria assim!

  5. O tricot deve ser bem mais difícil de ser interpretado…. o crochet é facílimo, esquemas iguais aos nossos. Este ano enchi a casa com flocos de neve feitos a partir de um livro japonês.

  6. Rosa, o tricot existiu desde sempre no Japão. Os samurais usavam perneiras e protectores de braços tricotados e eram eles mesmos que os faziam , existem registos em gravura que retratam este aspecto da vida do samurai. Os monges budistas também usaram artigos tricotados desde muito cedo (c.1185 D.C.). É bem possível que nós também os tenhamos influenciado de alguma forma que seja irreconhecível aos nossos olhos hoje, embora não exista herança linguistica, semântica ou não.

  7. Carla, não sei de que fontes vem essa informação, mas tanto quanto sei os exemplos mais antigos de peças em tricot (não confundir com naalbinding e outras técnicas mais antigas, são de facto posteriores à chegada dos ocidentais. E o tricot dos Samurais é do século XIX. Este site sobre o assunto é muito interessante: knit japan.

  8. ola rosa,
    realmente a minha mãe tem tido alguma dificuldade em desvendar o livro de tricot japones para criaças que comprei na retrosaria para lhe dar no natal passado. até já combinamos passar por aí para a rosa lhe dar umas dicas…
    vou ver se estes links a ajudam.
    obrigada!
    marta

  9. Acho que a cultura japonesa foi bem influenciada pelos navegadores portugueses quando chegaram ao Chipango (como chamavam o Japão). Li que as afiadas lâminas das espadas japonesas nascem com a necessidade de cortar a cana-de-açucar que o portugues tentou plantar por lá. Será verdade?
    Quando estive na China tb achei coisinhas aqui e ali, que vinham dos portugueses.

  10. Realmente um projeto nada simples! E parabéns o resultado ficou muito bom! O gorro está lindo demais.

    Abraços
    Kelly

  11. comprei uma novelo de lã castanha na Retrosaria antes do Natal e iniciei-me no tricot com a minha avó… isto é SUPER viciante!! não consigo largar as linha e agulhas… dou por mim a fazer tricot em todos os instantes que tenho livres!

  12. estava com grande vontade de adquirir esse livro pois tem modelos giros ,mas por ser em japonês…Fica para uma próxima encomenda!
    Comprei o Knitter`s handbook e estou a aprender imenso,é muito fácil de utilizar.
    gosto imenso do seu trabalho.Parabéns!

  13. entendo perfeitamente a associação da interpretação do japonês a um jogo, são traços e tracinhos, parece um jogo de formas. o gorro ficou lindo!

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>