ilustrar

brincar

Ao lado da irmã, a A. é tímida a desenhar. Olha de esguelha para o desenho da E., tenta imitar, fica frustrada. Não é fácil ser a mais pequena. Nestes dias em casa, depois uma sessão de risota à custa do Maru, um daqueles cliques internos inexplicáveis fê-la libertar-se e ilustrar descontraidamente com a irmã o manual definitivo das brincadeiras com gatos.
É interessante como na cabeça de uma criança o desenho e a ilustração são coisas tão claramente diferentes.

brincar
A: não interromper quem está a brincar com o gato dizendo “queres brincar às mães e aos pais?”

brincar
E: uma pessoa de cada vez, senão o gato fica baralhado.

brincar
A: não atirar o gato para cima da cabeça da outra pessoa

12 comments » Write a comment

  1. AAaaahh! Tão lindo! E que boas ideias!
    Não atirar o gato para cima da cabeça da outra pessoa parece-me um conselho muito sábio. :)

  2. Sou apaixonada por desenho infantil. Tão pormenorizados e tão claros! Geralmente está lá tudo, mesmo que não pareça à primeira vista. E se pedirmos algumas explicações ficamos boquiabertos… Lindos! O meu filho está numa fase em que só desenha casas… estamos a construir uma há 3 anos… anda muito ansioso…tive que explicar à professora o fenómeno!

  3. Acho que são conselhos muito bons! É sempre bom evitar que o gato fique baralhado mas, ainda melhor, evitar que ele vá parar à cabeça de alguém, seguramente, algo que podia acontecer “anytime”.
    Beijinhos para as ilustradoras!

  4. Brilhante!
    É tão engraçado este sentimento de “vergonha”. Cá em casa sempre fui eu, apesar da diferença de idade e de ser a mais velha, a ter essa vergonha, perante os traços certeiros da Vânia :-) e só há dois anos é que me comecei a soltar e tem sido uma descoberta engraçada!

    Bjs

  5. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » montar as malhas:

Leave a Reply

Required fields are marked *.