o burro e os pentes

pente

pentear

Depois de ver a Ti Paula fiar a lã aberta e preparada apenas à mão fiquei a conhecer o burro e os pentes. O burro é uma peça em madeira à qual se podem prender cardas ou pentes, as duas ferramentas mais importantes no preparo da lã. Com as cardas obtêm-se porções (panadas ou pastas, consoante a região) de lã com as quais se produz um fio cardado (woolen) – as fibras de lã ficam orientadas perpendicularmente ao fio que se vai criar. Com os pentes prepara-se o penteado ou estambre (worsted): apenas as fibras mais longas são seleccionadas e consegue-se que fiquem muito paralelas umas às outras, permitindo a criação de um fio mais fino e resistente, que nesta região era usado para tecer os cobertores (matéria para outro post).

pentes

Os pentes, idênticos aos que se usavam há oitocentos anos, são em madeira com duas fileiras de dentes de ferro que se protegem da ferrugem envolvendo-os num pedaço de lã por lavar (ainda saturada de lanolina).

A cada passagem pelo pente são retiradas as fibras mais longas, ficando as mais curtas de parte para serem depois aproveitadas para cardar.

O burro é estabilizado com uma pedra (uma enorme pedra que a Ti Paula foi buscar de propósito) e o cabo pente é encaixado num orifício, com os dentes para cima.

o burro e a pedra

A lã é colocada no pente e puxada de forma regular, para fazer o estambre:

Finalmente, as porções de estambre são cuidadosamente postas nas costas do burro:

o burro com a carga

…e também houve burros dos outros nas nossas férias.

a burra

9 comments » Write a comment

  1. Lindas
    Como senpre levo daqui alguma coisa. Continuação de boas ´férias

  2. Fico impressionada com as fibras tão compridas. E que peças mais apelativas!
    É incrível como num pequeno país como Portugal, haja tradições tão diversas sobre o mesmo tema. Suponho que a lã não seja oriunda da raça ovina da Serra da Estrela ou do Alentejo:)

  3. Pois não, Diane, vem das lindas ovelhinhas da raça mirandesa. E ainda tenho muitas fotografias de lã por mostrar desta viagem :)

  4. Por aqui se vê como Trás-os-Montes está um pouco esquecido dos portugueses e não só! Uma região riquíssima de cultura, fauna e flora!! Já para não falar da hospitalidade!! Muito obrigada, mais uma vez!

  5. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » tecer:

Comentar