nas agulhas

three

Ao contrário do que é costume, tenho três trabalhos diferentes de tricot em curso (mais o inevitável par de meias que me acompanha nos compassos de espera): um colete em linho deste livro da Kaze Kobo (será a primeira peça de verão que faço em muitos anos), um casaco em jacquard desenhado pela Mariko Mikuni para este livro e ainda um top improvisado para a E. num fio de composição insólita (para mim) mas que me agarrou pela textura e pelas cores. É uma novidade que vai estar na Retrosaria em breve.

☐☐☐☐

mantas de retalhos
mantas de retalhos
mantas de retalhos
mantas de retalhos
mantas de retalhos
No primeiro dia desarrumam-se todos os tecidos da loja e vêem-se muitas imagens para ficar bem claro que o patchwork não é uma coisa mas muitas coisas diferentes e que nunca por aqui foi preciso usar uma roda de cores para descobrir o que fica e o que não fica bem. As regras que dou são poucas e estão abertas a discussão: proponho escolher cores e desenhos dos quais continuemos a gostar daqui a mais de vinte anos (afinal uma manta de retalhos tem de durar bem mais do que isso), sugiro usar poucos tecidos com demasiadas cores e com cores que não existissem nos tecidos das nossas avós e insisto para que todas as costuras sejam tão bem feitas que resistam ao uso intenso que espero que as mantas venham a ter. Depois o jogo começa.