17 semanas

17

Quando fui mãe aos 27 e aos 31 anos não me passava pela cabeça ser mãe aos 40. Aliás a ideia de ser mãe aos 40 parecia-me muito estranha, quase despropositada (os 40 pareciam-me uma idade longínqua e provecta). A verdade é que aos 27 fui a primeira das minhas amigas mais próximas a ser mãe e aos 40 conheço uma série de mulheres que acabam de se estrear na maternidade ou de ter mais um bebé, ou que ainda estão à espera do momento certo (coisa que tenho a certeza de que não existe).
Bastante desligada do universo das gravidezes e bebés há quase nove anos, parece-me que entrei num admirável mundo novo em que os toddlers comem no restaurante de tablet na mão e é considerado normal empurrar rua acima no carrinho uma criança de 4 ou 5 anos. Entretanto, as lojas de roupa para grávida parecem ter desaparecido da face da terra (mercê da descida das cinturas na moda de há uns anos ou da crise, vá-se lá saber) e eu sem uma faixa para substituir a que tinha e emprestei a fundo perdido (o melhor será fazer uma), os anti-vaxxers deixaram de ser uma minoria de extremistas para representarem um perigo real para a saúde dos filhos dos outros, a roupa de bebé que vejo por aí não me tenta minimamente (vêm aí vários pares de mini-calças de tricot de certeza) e a escola parece-me um sítio cada vez menos interessante para estar, ainda que esse seja todo um outro assunto.
De resto, para quem se interrogue sobre a questão, estar grávida aos 30 e aos 39 é muito parecido, ou quase igual, ainda que desta vez às 17 semanas já tenha uma barriga quase óbvia: apetece na mesma dormir muito, comer bem, fugir de tudo o que cheire esquisito e fazer o ninho.

tear

tear
Centuries ago someone built a loom. Generation after generation, weavers have used it, each one repairing and replacing any part that was broken. After many many years all the original parts were gone but the loom was the same. Or was it? How old is this loom? ~instagram