lúcia

confeitaria nacional

confeitaria nacional

na escolinha os chapéus dos meninos estão guardados numa velha caixa de bolos da confeitaria nacional. sempre que a vejo regresso instantaneamente a uma qualquer das muitas tardes que lá passei contigo.

abi feijo

cá em casa vê-se pouca televisão. aliás, durante 8 anos vivi sem televisão (o que fazia com que, de cada vez que dava de caras com uma ligada, ficasse como boi a olhar para o palácio, mas isso é outra história). agora é ao fim da tarde que a ligo, às vezes, enquanto preparo o jantar da e. sempre no segundo canal, tenho apanhado fins de vários documentários (género televisivo de que mais gosto) de óptima qualidade. hoje vi parte de um sobre o abi feijo (que não tem um site que lhe faça justiça), realizador de filmes de animação. para além de tudo o resto, fiquei impressionada com os filmes realizados no âmbito de ateliers de animação com miúdos dos bairros do porto.

emílio peres

uma luzinha

um dia há muitos anos fui ao porto ter com o dr. emílio peres. chegada à consulta fartei-me de chorar. nos anos que se seguiram enviava-lhe um cartão pelo natal a agradecer a grande ajuda desse dia e ele respondia-me com letra cuidada e escrita azul clara a desejar-me coisas boas para o futuro. o dr. peres morreu há poucos dias. deixou livros e muitas muitas pessoas muito gratas.

nunca é por acaso

durante anos perguntei-me onde estavam as raparigas que deviam ter sido as minhas amigas (mais próximas, mais equivalentes, mais parecidas). só as estou a encontrar agora.