35 semanas

knits

A um mês das 40 semanas, a tricotar:
Mais umas calças pequeninas, desta vez com lã João. O modelo, muito simples e gratuito, é o mesmo destas, mas em João ficaram mais pequeninas.
Uma touca feita num fio de lã da Brooklyn Tweed guardado há mais de quatro anos para uma peça especial. O modelo, Djevellue, também é gratuito.
Umas meias minúsculas em Malabrigo Sock improvisadas com 32 malhas e trabalhadas em canelado 2*2.
À direita, umas pantufas que andava há anos para experimentar, com receita do Temple of Knit. São um tipo de aconchego para os pés que se usa um pouco por toda a europa: em Espanha e França usam-se por dentro dos tamancos, em burel ou tricotados, como estes de Lugo e estes chaussons pour les sabots, com receita da 100 idées).

Madreñas
Madreñas, por César Poyatos

Mais para o centro e norte, e até à Turquia, há-os de muitas cores e feitios.
A propósito, um artigo sobre um interessante projecto de integração de migrantes baseado precisamente nestas pantufas: Balkan Slippers.

balkan slippers
Balkan Slippers

…e outro modelo a experimentar em breve (numa casa em que os sapatos ficam à porta dá sempre jeito mais um par): Fair Isle Slippers.

17 semanas

17

Quando fui mãe aos 27 e aos 31 anos não me passava pela cabeça ser mãe aos 40. Aliás a ideia de ser mãe aos 40 parecia-me muito estranha, quase despropositada (os 40 pareciam-me uma idade longínqua e provecta). A verdade é que aos 27 fui a primeira das minhas amigas mais próximas a ser mãe e aos 40 conheço uma série de mulheres que acabam de se estrear na maternidade ou de ter mais um bebé, ou que ainda estão à espera do momento certo (coisa que tenho a certeza de que não existe).
Bastante desligada do universo das gravidezes e bebés há quase nove anos, parece-me que entrei num admirável mundo novo em que os toddlers comem no restaurante de tablet na mão e é considerado normal empurrar rua acima no carrinho uma criança de 4 ou 5 anos. Entretanto, as lojas de roupa para grávida parecem ter desaparecido da face da terra (mercê da descida das cinturas na moda de há uns anos ou da crise, vá-se lá saber) e eu sem uma faixa para substituir a que tinha e emprestei a fundo perdido (o melhor será fazer uma), os anti-vaxxers deixaram de ser uma minoria de extremistas para representarem um perigo real para a saúde dos filhos dos outros, a roupa de bebé que vejo por aí não me tenta minimamente (vêm aí vários pares de mini-calças de tricot de certeza) e a escola parece-me um sítio cada vez menos interessante para estar, ainda que esse seja todo um outro assunto.
De resto, para quem se interrogue sobre a questão, estar grávida aos 30 e aos 39 é muito parecido, ou quase igual, ainda que desta vez às 17 semanas já tenha uma barriga quase óbvia: apetece na mesma dormir muito, comer bem, fugir de tudo o que cheire esquisito e fazer o ninho.