de cá

organic cotton fleece

Tentar conhecer melhor a nossa indústria têxtil tem sido um dos aspectos mais interessantes do meu trabalho. Os galões foram a maior conquista a até agora (e ainda não desisti de encontrar quem mos faça em algodão), mas tenho outros projectos em carteira. Um deles, agora concretizado, era o de conseguir produzir o tecido da fotografia: uma malha peluda (chama-se felpo) e muito macia, feita de algodão orgânico. Vai dar uns óptimos slings e muitas outras coisas.

noro

a

Há muito, muito tempo, na altura em que percebi que as lãs que queria usar estavam na internet e não nas lojas da Baixa, a Noro foi a primeira marca a seduzir-me. Fiz com lãs Noro esta camisola (Ravelry) para a E. que ela usou até as mangas lhe estarem pelos cotovelos. Passou directamente para a A., que começou a usá-la no Inverno passado e continua em óptimo estado. Depois disso fiz muitos gorros e continuo fã.

Na fotografia está a A. com uma gola-capuz (em Inglês diz-se cowl) feita com as Noro que chegaram agora à Retrosaria. O modelo é este (sem o canelado) e fi-la em três serões. Está a uso permanente (por mim, claro).

Outras peças a experimentar com a Noro Silk Garden: este gorro, este cachecol e este colete.

inventariando

organizo

Queria poder ter aberto hoje o novo site da Retrosaria, mas afinal ainda vou demorar mais um dia ou dois a inventariar todos os tecidos e outras coisas. Vai haver novos galões, livros, tecidos africanos…

Até lá, ficam alguns links para outros tantos dos meus blogs preferidos:

Teacher effects: o poder de um bom professor.

Out with the old: os ensinamentos de um ano sem comprar roupa (uma ideia muito tentadora).

Sock dolls and the news: amor em tempos de cólera.

PS: e mais um:

Baby food. If breast is best, why are women bottling their milk?: Uma história da amamentação a não perder. A brief history of food: when the rich eat white bread and buy formula, the poor eat brown bread and breast-feed; then they trade places (via Daddytypes).