*plim*

armazenei o melhor de quatro anos e *plim*, formatei o disco.

vou voltar a escrever emails (perdi-te o rasto, daniel, e isso vai-me preocupando).

comentário de um desconhecido simpático: “…is a really amazing illustrator and she took some rad photos of New York that she pieced with other little items”.

também eu

me sinto quase egoísta por nunca mais ter escrito.

não fiz promessas de ano novo. cumpro agora as do que passou e estou contente por isso.

será que as pessoas a quem não respondo passam por cá?

daniel (ainda aí estás?), a resposta à tua pergunta é obviamente sim. que outra coisa podia desligar-me desta maneira? e não é só isso, que dito assim até parece mal. é mesmo a sério.

curiosidades chegadas por email:

“hoje, às quatro da manhã, teatro mágico…. não para todos! preço de entrada: a razão…” (de um anónimo e misterioso remetente).

“começo por dizer que não sou pessoa para estas coisas de falar/email com pessoas que não conheço. depois não sei o que tenho para dizer, se é que tenho” (de um pedro).

“sois uns merdas eu queria procurar o amor cortes e vos nao tendes nada disto cagados da merda…………..etc……..” (de um adolescente chamado decay que não encontrou o trabalho de casa feito nas páginas de história e resolveu agradecer-me. how nice. pelo menos sabe conjugar).

estou a ter aulas de código e a minha mana deu-me um single que não nos sai da cabeça. está tudo bem, portanto.

“o espaço é só ar à volta” (e eu a ti).

uns dias

sem ver o email (o que é que se passa comigo?) mas regresso para uma inbox cheia de surpresas: a aline finalmente encontrou-me – e eu a pensar que o jorge e o daniel não lhe iam dizer graças a quem é que a conheceram – “parênteses: quem é a rosa??? foi ela que falou do meu blog para estes distintos gajos!”…

o supracitado jorge também voltou a escrever, apesar do meu silêncio. ainda bem. como o daniel (daniel, estás bom?), queixa-se da confusão que por aqui anda: “o teu blog está um bocado esquisito. será do software, ou és tu em escrita automática?”. provavelmente.