fiar na roda

No início do ano passei mais de um mês de roda de um artigo que fui convidada a escrever. As viagens pelas ilhas e pelos livros resultaram em mais de vinte páginas que verão a luz do dia lá mais para a frente este ano. Não tenho muita facilidade em pôr ideias no papel. Adio o mais possível, desculpo-me com uma leitura por fazer, uma ideia por confirmar, prometo a mim mesma começar amanhã. Acabei por ter de pôr tudo o resto de lado e dedicar-me só à escrita, os dias que fosse preciso, sem interrupções até estar feito. Esta semana fiz a última revisão à bibliografia e juntei as imagens e agora resta-me esperar. Entretanto várias horas de recolhas guardadas em discos esperam também que as edite e partilhe, porque são muito mais do que um complemento ao texto. Este vídeo que publiquei hoje (já com quase quatro anos de atraso) é uma verdadeira aula de fiação na roda de tipo 1. Deixei-o assim longo de propósito, para que se vejam e revejam os vários momentos do processo: o estirar e torcer das fibras e o enrolamento no fuso, a correcção das irregularidades do fio, o pegar de uma pasta com a seguinte, o pôr do fio na roda quando ele se solta. Toda uma coreografia que se repete imutável há pelo menos oitocentos anos.

biquinhos de crochet

biquinhos de crochet
[instagram] #maximalism > beautyfying everyday kitchen towels with crochet edgings is the pastime of choice of uncountable portuguese (older) women, thus keeping their hands busy at times once used for spinning, mending or knitting socks. large bold ‘joyful’ prints and bright yarns are always preferred over lighter ‘minimalistic’ palettes, discarded as too plain or simply ‘sad’.

#àsvezeslánomeumonte

Uma semana a sul. Do meu instagram:

a bata
a bata, principal elemento do traje popular feminino contemporâneo > the smock, worn daily by most women in rural areas of portugal #alentejo

monte
#latergram from #alentejo > having dinner with sr manuel and sra emília who live in an isolated “monte” with their cows, pigs, sheep, goats and poultry. there are no weekends or holidays here, only hard work and the gentlest smiles. #àsvezeslánomeumonte #bringapocketknife #thefatoftheland

comer
#protocol > when invited for a meal at a peasant or shepherd’s home, bring your own pocket knife. you will be expected to use it to help yourself to the communal loaf of bread, cheese, and fruit, and to replace the knife you would expect to see by the plate that might not be there as well (opinel or a swiss army knife will do just fine but go for portuguese ivo or palaçoulo pocket knives if you can). having spent so many years gazing at medieval imagery, even after many memorable meals i am still moved by the longevity of these century old table manners #Portugal #bringapocketknife