raparigas

apaixonadas, cultas, independentes, despachadas;

que escolheram o curso superior que bem lhes apeteceu; que foram adolescentes durante dez anos ou mais; que tocam piano e falam francês; que trabalham (e muitas vezes de graça); que nunca tiveram um emprego; que acreditam em causas e deram o corpo ao manifesto; que estão a chegar aos trinta; que tiveram uma depressão algures pelo caminho; que fizeram a licenciatura num instante e muitas a seguir um mestrado; que tiveram ou vão ter um filho por amor.

que ainda precisam de ajuda para pagar a renda.

6 comments » Write a comment