steeks

hillhead slipover

hillhead slipover

Mais um post sobre o colete antes de o mostrar terminado (está mesmo quase), para se perceber melhor o processo das assustadoras tesouradas. Como já tinha dito, o corpo é tricotado sempre em círculo. Quando se chega aos ombros tem-se uma espécie de saco pouco fotogénico com três buraquinhos que são a base das cavas e da gola. Acima deles deitaram-se algumas malhas extra (as riscas verticais nas imagens) que permitem que a peça não se desmanche quando é cortada e que são aquilo que os livros da especialidade chamam steek.

hillhead slipover

hillhead slipover

Quem, como eu, não for demasiado confiante, pode reforçar estes steeks com uma costura feita à mão, em crochet ou mesmo à máquina. Depois, é cortar com muito cuidado e uma tesoura bem afiada.

✁ ✂ ✃ é só para avisar

hillhead slipover

A incomparável Elizabeth Zimmermann recomenda que a seguir a cortar nos retiremos para um quarto escuro com uma bebida forte para recuperar. É um bom conselho.

E pronto, as orlas ficam bastante resistentes e prontas a receber as malhas dos respectivos canelados.

13 comments » Write a comment

Leave a Reply to Silvia Cancel reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.