que há dentro da mala de rosa pomar?

na rua

(…) Faz um pouco lembrar aqueles anúncios de pensos higiénicos, cheio de contrastes de cores fortes e de boa disposição (se calhar é uma comparação um pouco infeliz, pois pensando melhor os anúncios de pensos higiénicos são um pouco superficialistas, que é coisa que não sinto no teu blog (…)

Pois é. Às vezes aborreço-me com esta predominância do cor de rosa, que é um lado só das coisas. Para que fique bem claro, para ti Jorge que me escreveste uma carta tão simpática e que, a contar histórias do tipo o superhomem a lavar a roupa e a arrumar a casa, com o capuchinho vermelho a pregar-lhe partidas e trocar o champô do banho com o detergente, só podes vir a ter filhos cheios de sorte e para quem por aqui se enjoe com o tom monocromático e a recente prevalência de posts sobre aquilo que na minha primária se chamavam coisinhas queridas (veio-me agora à memória), os meus dias também são cheios de incongruências e hesitações, neuras, embirrâncias e muitas outras coisas menos agradáveis (e de todas essas minhas outras cores são testemunhas e vítimas as duas maravilhosas pessoas com quem vivo, feliz para sempre).