chucha

...

A E. deixou de usar chucha este fim-de-semana. Há bem mais de um ano que só a usava para dormir e desde bem antes disso que eu e o F. nos questionávamos sobre a melhor altura para a fazer desaparecer. Nunca fomos grandes apoiantes da dita (a E. só começou a usar chucha por volta dos três meses) e os quase três anos e meio dela já tinham ultrapassado todos os prazos que nos propusemos. Em busca do método ideal, ouvimos os relatos de amigos com filhos e relembrámos as nossas próprias experiências (esquecer a chucha em casa na ida para férias ou fora no regresso a casa, convencer a criança a deitá-la ao mar/ao lixo, etc.). O único livro que temos sobre o assunto (boa história mas ilustrações muito fracas: A Chupeta de Nina, edições Ambar) nunca despertou grande interesse e as muitas conversas racionais que tivemos com ela serviram para a fazer perceber que mais tarde ou mais cedo chegaria o grande dia mas em geral só aumentaram a ansiedade relacionada com o assunto.


Eis senão quando um fim-de-semana quente demais e um pai decidido chegaram para pôr em prática o plano malévolo mas eficaz: a chucha estragou-se porque já estava muito velhinha (com a ajuda de uma tesoura) e foi atirada com desprezo cama abaixo depois de termos respondido a todas as perguntas sobre como é que a chucha se tinha estragado e porque razão não podíamos ir comprar uma nova (as lojas não vendem chuchas para meninas grandes). Acordou várias vezes de noite com as mesmas perguntas mas ontem já só demorou um bocadinho mais do que o habitual a adormecer. E por muito que consegui-lo com uma mentira me pareça em teoria má ideia, acho que neste caso o fim justificou plenamente os meios.

(Na fotografia, a recompensa do desmame. Não fui eu que fiz, que não tenho a habilidade da Hilda. É daqui.)

16 comments » Write a comment

  1. ho ho ho! deu certo! :-)

    o meu filho trocou a dele por um trator de plastico. nunca mais se falou no assunto. eu sempre achei ‘ chupetas’ uma coisa nojenta, mas o dentista me obrigou a da-la para o menino.

    essa saia esta a coisa mais linda… beijinhos! :-*

  2. =)))) genial!! ainda no sábado estive com esta saia na mão, cheia de vontade que houvesse um tamanho grande e a pensar “caramba, porque é que a sobrinha tinha que ser maria-rapaz?”…

    é linda!

    a minha chupeta, em teoria, foi atirada para o quintal do vizinho!! =))

    anos mais tarde lá descobri que o meu pai só fingiu o “atiranço” e lá continua ela, laranjinha, guardada na minha mesinha de cabeceira!

  3. Disse para a minha filha que se ela desse sua chupetapara a “Fada dos Dentes” , ela lhe daria um presente em troca e ela poderia escolher qual presente queria. Após algumas semanas ponderando, ela um dia me disse decidida que queria fazer a troca. Ao dormir, colocou a chupeta debaixo do travesseiro , depois que ela adormeceu coloquei o presente ao seu lado. Quando acordou, encontrou-o e assim foi.

  4. . . . . . . . . . . . .

    Saias! Que coincidência. (mas sem chucha, aliás não me lembro nada deste assunto, deve ser difícil de deixar, mas fácil de esquecer). A petir Patapon tem realmente coisas muito bonitas. A minha mãe ia à Cenoura! :) Andava sempre a condizer.

    . . . . . . . . . . . . (pintas à la carimbo :)

  5. A M. tem a idade da E. e conseguimos que ela deixasse a chucha no verão passado, principalmente porque estava a querer engravidar de novo e qeria que ela a esquecesse antes do bébé chegar. Nunca pensei que fosse tão rápido e eficaz. A caminho das férias a chucha ficou em casa de uns amigos! A M. chorou durante 1 hora no carro. Adormeceu exausta e a pedir a chucha (a chupeta estava na mala do carro e nós em plena auto-estrada, resolvemos aproveitar a oportunidade). Foi horrivel. Mas de noite adormeceu sem ela e nunca mais se falou no assunto. Agora que temos um bébé de 1 mês, de novo cá em casa, as chuchas voltaram a aparecer e a fazer voltar as saudades à M. Sempre que ela fala no assunto, eu vou à caixinha de recordações dela e mostro-lhe a sua primeira chucha. Tem bastado para a consolar, mas já lá fomos umas 3 vezes desde que o irmão nasceu. Nota-se bem as saudades que a chucha lhe deixou! Felicidades

  6. Oi, Rosa, ainda bem que conseguiram. Com o T. tivemos nada disso resultou e optamos por deixá-lo libertar-se calmamente (embora com ansiedade) quando se sentisse apto para… Felizmente, um dia acordou e disse !A partir de hoje não uso mais chupeta!” E à noite, rebolava na cama, sentindo um pouco a falta, mas nunca a pediu. É um valente. Com a M. já não vai ser assim. Acho que a E. se saiu muito bem! Força e parabéns para ela (e para vocês também…)

  7. Nós fizemos uma excursão organizada e solene até ao caixote do lixo da cozinha e passado dois dias, como prometido, fomos comprar um fogão de folha com todos os acessórios possíveis e imagináveis ao bazar Mateus… funcionou muito bem.

  8. ai, ai…

    ainda não tomamos a decisão.

    acho que ela vai sofrer muito se resolvermos assim de repente. temos de começar com as conversas, as histórias, blá, blá…

    depois penso nas fraldas e como falei, expliquei, decidi e não resultou. quando ela quis e sentiu que sim é que sim, foi de vez!

  9. Pois é…

    Pelos vistos a saia teve muita saída…

    Aqui por casa também há uma ;)

    Quanto a chuchas: em 4 filhos, só um a usa – O T. faz agora 3 anos, e estamos a tratar de a deixar, sem sucesso:(

    A M. tem 18 meses e nunca usou!

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>